Página inicial
 
Mural de recados
23.02 | kaio
Era Bom pro central Kiros Ou Junior Juazeiro ...
23.02 | VICTOR HUGO
O CENTRAL VAI PRA FINAIS DO CAMP. PE, COM CERTEZA , VAMOS CONTRATAR SÓ DPOIS DO ...
23.02 | KLEO
GALERA AS INSCRIÇÕES PRO CAMP. PE. ENCERROU , PRA CONTRATAR AGORA SÓ PRO BRASILE ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
13/09/2017
22h48 | esportes - COPA SUL-AMERICANA
COPA SUL-AMERICANA - Sport 3x1 Ponte Ponte Preta
O jejum está quebrado. O Sport voltou a vencer. A convencer. Após seis partidas de seca no Brasileirão, o Rubro-negro largou na frente na disputa das oitavas de final da Sul-Americana pela inédita classificação às quartas da torneio. Na noite desta quarta-feira, na Ilha do Retiro, o Leão teve uma atuação equilibrada. Cansou de desperdiçar oportunidades no segundo tempo, mas ganhou por 3 a 1 da Ponte Preta. O gosto amargo ficou pelo gol que sofreu, feito na primeira finalização do adversário no jogo e já no fim do segundo tempo. As equipes se reencontram daqui a uma semana, em Campinas. Antes, os pernambucanos tentarão retomar também as vitórias na Série A: domingo que vem, no Rio de Janeiro, contra o Flamengo. 

Desfalcado 
 de Henríquez, Wesley e Everton Felipe, o Sport foi escalado com mais novidades que se esperava. Além de Durval, Sander e Lenis nos respectivos lugares deles, Raul Prata também ganhou uma chance e ocupou a vaga do contestado Samuel Xavier na lateral direita. Sem mostrar abatimento pela série de jogos sem ganhar no Brasileirão, com direito a três derrotas seguidas, o Leão tomou logo a iniciativa da partida como há tempos não tomava. O prêmio veio. Aos sete minutos, Aranha defendeu cabeçada venenosa de Diego Souza, mas não segurou o chute de Ronaldo Alves no rebote do lance: 1 a 0.
 
O gol no início serviu como elo de aproximação entre a torcida e a equipe. Pode até ter evitado maiores cobranças a um Sport que começou a diminuir progressivamente a sua volúpia, de modo que praticamente nenhuma chance clara era criada. O Rubro-negro passou a ter dificuldade na armação. Havia pouca aproximação entre os atletas. E, assim como surgiu o primeiro gol, o Leão tentava se valer de bolas alçadas na área diante de uma Ponte Preta quase nula para atacar.

Mais uma vez, a jogada aérea deu certo. Antes em rota de colisão com os torcedores, Rithely completou para o gol um novo cruzamento de Mena, aos 44 minutos da etapa inicial. A Ilha do Retiro se inflamou ainda mais com um Sport, apesar de pouco criativo, disposto, poderoso na finalização e eficiente na retaguarda. 
 
Os leoninos aumentaram bastante a intensidade de jogo no segundo tempo e cresceram vertiginosamente de produção. Diego Souza já começou perdendo um gol na cara do goleiro. André furou na frente de Aranha logo depois. Na sequência, Raul Prata se atrapalhou com a bola, perdeu o ‘timing’ para finalizar, mas ainda viu a zaga salvar o seu gol em cima da linha. Tudo isso com somente onze minutos de partida.

Contra uma Ponte exposta, permissiva e com um ataque que inexistia, o Sport tinha agora facilidade para tocar a bola e adentrar na defesa adversária. No entanto, continuava perdendo gols. Tivessem mais capricho, Patrick, Rithely poderiam ter aumentado a vantagem no placar. Um chute desviado do mesmo Rithely beijou a trave inacreditavelmente. De tanto martelar, porém, o Leão ampliou após passe de Raul Prata, aos 30. Nesse cenário, o inimaginável aconteceu. Na primeira finalização da Macaca, o Leão sofreu gol, feito por Felipe Saraiva, aos 37. Magrão ainda salvou o segundo dos campineiros.
 
Sport
Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Durval e Sander; Patrick, Rithely, Mena, Lenis (Rogério) e Diego Souza; André (Anselmo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Ponte Preta
Aranha; Nino Paraíba, Marllon, Luan Peres e Danilo Barcelos; Naldo, Fernando Bob, Elton (Renato Cajá) e Felipe Saraiva; Lucca (Jeferson) e Léo Gamalho. Técnico: Gilson Kleina. 

Estádio: Ilha do Retiro (Recife-PE). Árbitro:Gustavo Murillo (Colômbia). Assistentes:Humberto Clavijo e Wilmar Navarro (ambos da Colômbia). Cartões amarelos: Diego Souza, Durval, Sander (Sport); Danilo Barcelos, Nino Paraíba, Fernando Bob (Ponte Preta). Gols:Ronaldo Alves (7’ do 1T, Sport), Rithely (44’ do 1T, Sport), André (30’ do 2T, Sport) e Felipe Saraiva (37’ do 2T, Ponte). Público: 6.254. Renda: R$ 114.825,00.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker