Página inicial
 
Mural de recados
16.10 | MARCONDES
É VERDADE CLEO, SE PESQUEIRA É AZUL E AMARELO ELES USA TODO D AZUL , TEM CABENSE ...
16.10 | VICTOR HUGO
OS 2 CAIXÕES DE PANCADA DA SEGUNDONA, FERROVIARIO DO CABO E CHÃ GRANDE JÁ ESTÃO ...
14.10 | CLEO
EU ACHO Q O PESQUEIRA TEM JOGAR TODO DE AMARELO SÓ O NUMERO AZUL, JÁ TEM MUITOS ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
01/06/2017
05h30 | esportes - Copa do Brasil
COPA DO BRASIL - Sport 1x1 Botafogo - Rubro Negro está fora da competição
Na estreia do técnico Vanderlei Luxemburgo, o Sport apresentou aquilo que foi elogiado pelo treinador logo em sua apresentação. Raça, entrega e vontade de vencer. Mas faltou o resto. A parte em que o novo comandante terá que trabalhar. Organizar melhor o time em campo, o posicionamento defensivo, a transição ofensiva e a criação no ataque. Porque motivação é importante. Mas não é o bastante. Assim, os rubro-negros não tiveram forças para reverter a desvantagem na derrota por 2 a 1 no jogo de ida para o Botafogo e com o empate por 1 a 1, na Ilha do Retiro, foram eliminados nas oitavas de final da Copa do Brasil.

No próximo domingo, o Leão volta a campo. Agora pelo Campeonato Brasileiro, contra o Avaí, em Florianópolis. Com mais tempo para trabalhar o time, será cobrado de Luxemburgo uma evolução tática da equipe.

O jogo

No primeiro tempo, o Sport de Vanderlei Luxemburgo foi o mesmo Sport da dupla de zaga pouco confiável, falho na marcação do meio de campo e pouco criativo no ataque. Algo visto muitas vezes em campo nesta temporada. Assim, apesar de ter 61% de posse de bola, os donos da casa pouco ameaçaram a meta do goleiro Gatito Fernandez. Isso porque não adianta ter a posse de bola e não saber o que fazer com ela. Por outro lado, o Botafogo mostrava o oposto. Bem postado em campo e com várias opções de passe, a equipe carioca levou perigo em quase todas as vezes em que esteve com a bola nos pés. Eficiência é o nome disso.
 
O que foi provado logo no primeiro ataque da equipe, aos 12 minutos. Após uma saída errada de Durval, o meia João Paulo (ex-Santa Cruz) deu lindo passe para Roger, que deixou Matheus Ferraz no chão e tocou com categoria por cima de Magrão. Golaço.

A desvantagem de 1 a 0 terminaria ficando barata para o Sport, tamanho domínio do alvinegro carioca, que ainda mandou uma bola no travessão de Magrão e teve um gol anulado de forma absurda pela assistente da Fifa Tatiane Sacilotti dos Santos, ao marcar impedimento de Rodrigo Pimpão que estava a pelo menos três metros atrás da linha da bola.
 
Vendo que a sua equipe pouco produzia, Luxemburgo fez a sua primeira mudança logo aos 30 minutos, tirando de campo Everton Felipe (muito acionado, mas pouco produtivo) para a entrada do colombiano Lenis. Surtiu pouco efeito. O Sport seguia buscando o gol apenas em bolas alçadas na área ou em uma bola espirrada. Em uma delas, Diego Souza ficou de frente a Gatito Fernandez e tentou dar um toque por cima, mas o goleiro alvinegro foi mais esperto.
 
 

Empate no segundo tempo

Os dois times retornaram para a etapa final com a mesma formação, mas Luxemburgo não demoraria a voltar a mexer no Sport. Auxiliado por Daniel Paulista à beira do gramado, o treinador sacou Ronaldo para pôr em campo o garoto Thallyson. Precisando de dois gols para levar a disputa ao menos para os pênaltis, o Leão, no entanto, seguia lento e errando passes na saída para o ataque, facilitando a vida do Botafogo. Que por sua vez, continuava efetivo nos contra-ataque, fazendo justamente o contrário. Usando rapidez e precisão nos passes.
 
Para piorar, Rogério foi expulso aos 12 minutos após levantar o pé no rosto de João Paulo. Segunda expulsão seguida do atacante (havia recebido o cartão vermelho na final da Copa do Nordeste, contra o Bahia). O que foi criticado por Luxemburgo logo na sua apresentação no clube. 
 
No entanto, se não dava na parte tática e técnica, era a hora de entrar o que foi exaltado pelo treinador logo de cara: a superação. E assim, por incrível que pareça, o Leão com um jogador a menos, e na base da raça, melhorou em campo. O empate veio com Durval, de cabeça, aos 22 minutos, em uma das dezenas de bolas levantadas na área do Botafogo.
 
No tudo ou nada, Luxemburgo ainda colocou Marquinhos na lateral, vaga de Fabrício. E já com o adversário sem conseguir sair com tanta força para o ataque, o Sport pressionou. Sempre tendo como arma as bolas aéreas. Sobrou raça, faltou um time mais organizado.

Ficha do jogo

Sport 1
Magrão; Fabrício (Marquinhos), Matheus Ferraz, Durval e Mena; Ronaldo (Thallyson), Rithely e Diego Souza; Everton Felipe (Lenis), André e Rogério. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.
 
Botafogo 1
Gatito Fernandez; Emerson Santos, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luís; Airton, Rodrigo Lindoso (Dudu Cearense), João Paulo (Matheus Fernandes) e Camilo; Rodrigo Pimpão e Roger (Guilherme). Técnico: Jair Ventura.
 
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP). Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos (Fifa-SP). Gol: Roger (12 min do 1º) e Durval (22 min do 2º). Cartões amarelos: Emerson Santos, Rodrigo Pimpão, Roger, Igor Rabelo (B) e Diego Souza, Rithely, Lenis (S). Expulsão: Rogério. Público: 10.385. Renda: R$ 184.625

Do Super Esportes
 
 
 
eXTReMe Tracker