Página inicial
 
Mural de recados
15.08 | MARCOS LEITE
RESTA AOS SÓCIOS PROPRIETÁRIOS DO COMÉRCIO, SE UNIR, RESTAURAR E REFORMAR O CLU ...
15.08 | VICTOR HUGO
É VERDADE GUSTAVO, O CENTRALZÃO TEM Q CONSTRUIR SEU CT NINHO DA PATATIVA NO SEU ...
13.08 | Gustavo
O central nao precisa do comercio pra construir uma sede social o terreno ao lad ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
30/07/2016
13h11 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - Sport 2x0 Atlético/PR - Rubro Negro engata terceira vitória consecutiva e se afasta do Z4
A festa de Diego Souza foi completa. O meia chegava ao seu 100º jogo com a camisa do Leão e isso, certamente, o incentivou a protagonizar mais uma grande atuação. Não foi a sua maior apresentação com a camisa rubro-negra, é verdade. O camisa 87 também não fez nenhum lance plástico ou jogada de efeito, mas foi decisivo quando necessário. Participou dos melhores lances da partida e mostrou a raça de sempre. O bastante para ajudar o Sport a vencer o Atlético-PR por 2 a 0, na Ilha do Retiro. O Rubro-negro engatou, assim, a terceira vitória consecutiva na Série A, se afastando um pouco mais da zona de rebaixamento.

Mais uma vez, Oswaldo de Oliveira não contou com Durval e a zaga foi composta por Ronaldo Alves e Matheus Ferraz. A dupla se mostrou sólida e não cometeu nenhuma falha crucial. O resultado da boa atuação foi que a equipe voltou a temrinar uma partida sem sofrer gols, algo que não ocorria desde a 10ª rodada, quando o Leão empatou o São Paulo no Morumbi. O meio de campo e o ataque seguiram o ritmo dos defensores e funcionaram bem. Souberam equilibrar a marcação com as investidas ofensivas. Só faltou equilíbrio nos avanços. Everton Felipe foi o principal motor da equipe e concentrou as jogadas pelo lado direito. 

O jogo
Até os dez minutos de partida, as equipes pareciam determinadas em não perder a posse de bola e estudar o adversário ao máximo. Foi assim que Everton Felipe começou a partida errando lances bobos. Drible ou passe. Nada dava certo para o camsa 97. Só após as equipes ultrapassarem a desconfiança inicial é que os ataques, principalmente o do Sport, começaram a funcionar. Foi aí que Everton apareceu de forma positiva e o jogo começou a ser mais favorável ao Leão. 

Ao menos dois escanteios foram conquistados por Everton e ficava claro que os donos da casa estavam bem mais perto de abrir o placar do que os visitantes. Porém, não foi o 97 que iniciaria a jogada que resultaria em um pênalti sobre Rogério. Foi o 87. Aos 15 minutos, em uma bola lançada por Diego Souza por cima da defesa, Rogério tentou dominar e foi calçado. Lance que rendeu muita reclamação dos atletas do Furacão, mas que o árbitro Wilton Pereira Sampaio não teve dúvidas. O homenageado da noite foi para a bola e não decepcionou. Bateu no ângulo e não permitiu que Weverton pensasse em defender: 1 a 0 para o Leão.

O gol foi o motor para o Sport seguir pressionando, mas havia um problema. Ou melhor, dois. Rogério e Edmilson estavam destoando do restante da equipe e isso refletia nas finalizações sem perigo ou nos erros no último passe. Como o Leão atacava muito pelo lado direito, talvez o principal problema do time na primeira etapa, o Furacão decidiu que o melhor era pressionar justamente nas costas de Everton Felipe e Samuel Xavier. Foi assim que pelo menos dois lances de perigo ocorreram, mas nada que assustasse Magrão. O maior risco que o camisa 1 correu em todo o primeiro tempo foi na falta cobrada por Rafael Galhardo, já nos acréscimos. 

Segundo tempo
Mais uma vez os times não mudaram a postura inicial e nenhum dos rubro-negros se atirou ao ataque. Edmilson, no entanto, estava destinado a ser figura principal no início da segunda etapa. Aos seis minutos, Diego Souza rolou para Samuel Xavier e o lateral direito deixou Edmilson na cara do gol através de um passe rasteiro. Era só rolar para o gol, mas o camisa 17 quis inventar. Tentou finalizar de letra. Errou e sofreu com as reclamações. 

A recuperação do atacante veio em apenas dois minutos. Após escanteio, Rogério recuperou a bola na entrada da área e chutou para a defesa parcial de Weverton. O rebote foi parar nos pés de Edmilson, que desta vez não perdoou: 2 a 0 para o Sport e o clima de tranquilidade, e logicamente festa, se instaurou na Ilha do Retiro. 

Com a boa vantagem, o Sport, logicamente, não se atirou mais ao ataque. Soube concentrar os seus esforços em sair para o jogo apenas quando era necessário. Consequentemente, o Furacão buscou bem mais o ataque e Magrão começou a ter mais trabalho. O primeiro a testá-lo foi o atacante Pablo, que após a bola ser mal desviada, dominou livre na área e forçou o goleiro a fazer grande defesa. O mesmo jogador chutou um pouco mais de longe logo no ataque seguinte e levou perigo outra vez ao camisa 1.

Após os sustos, Oswaldo de Oliveira foi pontual. Aos 25 minutos, decidiu tirar Serginho, que já tinha recebido um cartão amarelo, e colocou Rodrigo Mancha em busca de novo fôlego na marcação. Deu certo e os avanços dos curitibanos foram minimizados. Ainda houve tempo para promover a estreia do volante Paulo Roberto, que fechou de vez o meio de campo e contribuiu para que o Sport voltasse a sair da partida sem a meta ser vazada após seis jogos.

FICHA DO JOGO

Sport
Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Rodney Wallace; Serginho (Rodrigo Mancha, aos 26’ do 2ºT), Rithely e Diego Souza; Everton Felipe, Rogério (Paulo Roberto, aos 40’ do 2ºT) e Edmilson (Mark Gonzalez, aos 33’ do 2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira

Atlético-PR
Weverton; Rafael Galhardo, Paulo André, Wanderson e Nicolas; Marcão, Luciano Cabral e Marcos Guilherme (Giovanny, aos 49’ do 2ºT); Juninho (Matheus Rosseto, aos 20’ so 2ºT), Yago (Lucas Fernandes, aos 26’ do 2T) e Pablo. Técnico: Paulo Autuori

Estádio: Ilha do Retiro 
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO/Fifa).
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO/Fifa) e Cristhian Passos Sorence (GO).
Gols: Diego Souza (aos 16’ do 1ºT) e Edmilson (aos 8’ do 2ºT) (SPO)
Cartões amarelos: Serginho e Paulo Roberto (SPO)
Público: 22.491
Renda: R$ 380.625.
 
DO SUPER ESPORTES PE 
(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

.
 
 
 
eXTReMe Tracker