Página inicial
 
Mural de recados
29.04 | Paulo alvinegro
Gostei muito da contratação de Marcelo bonan excelente goleiro. ...
28.04 | Antonio
Esse Danilo Costa parece ser um monstro na zaga ...
28.04 | Anderson
Esse zagueiro Danilo parece ser um bom jogador para a nossa PATATIVA!!!! ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
23/06/2016
12h25 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - São Paulo 0x0 Sport - Empate no Morumbi deixa o time leonino na 17ª posição, ainda na zona de rebaixamento
Foram precisos 18 jogos de espera. Mas enfim, na noite do dia 23 de junho de 2016, após 17 derrotas consecutivas, o Sport conseguiu pontuar contra o São Paulo, atuando na capital paulista. Com uma grande atuação do sistema defensivo, os rubro-negros conseguiram segurar o 0 a 0 no Morumbi. A última vez que uma equipe pernambucana havia, ao menos, empatado contra o São Paulo, fora de casa, havia sido há 34 anos, quando o Náutico ficou no 1 a 1 com o tricolor. O resultado histórico manteve o Leão na 18ª posição, ainda na zona do rebaixamento. Mas enche o time de moral para deixar as últimas posições no próximo domingo, contra a Chapecoense, na Ilha do Retiro.

Para a partida, o técnico Oswaldo de Oliveira optou pelo entrosamento da defesa. Assim, como já teria que improvisar o atacante Rodney Wallace na lateral esquerda, no lugar do suspenso Renê, o treinador rubro-negro decidiu manter Matheus Ferraz formando dupla de zaga com Durval, deixando assim o recém-contratado Ronaldo Alves como opção no banco de reservas. E no primeiro tempo, a escolha do treinador rubro-negro se mostrou acertada.

Isso porque o Sport praticamente não levou sustos na primeira metade da partida. Com um time bem postado em campo, e marcando muito, os leoninos não deram espaço para os são paulinos, que mesmo com maior posse de bola, se resumiram basicamente a levantar bolas na área, principalmente usando o lado esquerdo, com Michel Bastos. O único lance de perigo contra a meta de Magrão veio no único vacilo da defesa rubro-negra, com Ganso, na entrada da pequena área, chutando por cima aos 14 minutos.

No mais, o Leão fez uma partida inteligente e foi melhor na etapa. Sabendo que o São Paulo teria que ir para cima, os leoninos atuaram a espera de falhas na cobertura defensiva dos donos da casa. E quando elas apareceram, coube a Diego Souza criar as oportunidades. Foram pelo menos três boas descidas em contra-ataque, além de uma falta cobrada da entrada da área. Faltou ao camisa 87 apenas uma melhor pontaria na hora de finalizar.

As duas equipes voltaram para o segundo tempo com a mesma formação. E com isso, o cenário não mudou. Com o Leão fechando os espaços para o pouco criativo São Paulo, procurando explorar os espaços deixados para a defesa. Dessa vez, porém, sem conseguir ir a frente. No entanto, defensivamente seguia com uma boa atuação. Tanto que só aos 16 minutos, o tricolor obrigou Magrão a aparecer, em boa defesa após chute de Michel Bastos. 

Em dificuldade para achar brechas na defesa pernambucano, o técnico são paulino Edgardo Bauza mudou o ataque, com as entradas de Centurión e Alan Kardec nas vagas de Kelvin (lesionado) e Ytalo. Já a primeira mudança do Sport veio aos 25 minutos e de forma forçada, com Serginho deixando o campo com uma lesão muscular, para a entrada de Rodrigo Mancha. Apesar das mudanças, o desenho da partida seguia inalterado, com o São Paulo sem espaço se limitando a alçar bolas na área, facilitando o trabalho da defesa leonina. Assim foi até o apito final. Estratégia que rendeu ao Sport um resultado histórico.


Ficha do jogo

São Paulo 0
Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Matheus Reis; João Schmidt (Luiz Araújo), Thiago Mendes, Kelvin (Centurión), Ganso e Michel Bastos; Ytalo (Alan Kardec). Técnico: Edgardo Bauza

Sport 0
Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Rodney Wallace; Rithely, Serginho (Rodrigo Mancha), Gabriel Xavier, Diego Souza e Éverton Felipe (Luiz Antônio); Edmilson (Lenis). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo. Árbitro: Rafael Traci (PR). Assistentes: Rafael Trombeta e Pedro Martinelli Christino (ambos do PR). Cartão amarelo: Edmilson, Samuel Xavier (S) . Público: 11.145. Renda: R$ 321.698.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker