Página inicial
 
Mural de recados
26.06 | Paulo Junior
GAIA NELES. FUTEBOL É COISA SÉRIA, NÃO É BRINQUEDO NÃO. FICAM BRINCANDO COM O FU ...
26.06 | ALCINDO PM
GENTE...GENTE...GENTE...TEM QUE FECHAR AS PORTAS...NO PARANÁ A JUNÇÃO DE DUAS EQ ...
26.06 | alessandro viana
Triste a derrota. Mas é do jogo. Lógico q ninguem goata de perder. o jogo foi mu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
11/08/2015
10h26 | esportes - SÉRIE A
De rebaixado a cobiçado: Eduardo Baptista revê Corinthians nesta quarta
Eduardo Baptista Corinthians 2009 (Foto: Fernando Pilatos / Gazeta Press)Eduardo Baptista foi preparador físico do Timão em 2007 (Foto: Fernando Pilatos/Gazeta Press)

DO GLOBOESPORTE.COM 

É bem provável que um filme passe pela cabeça de Eduardo Baptista nesta semana. Um dos técnicos mais elogiados da nova geração graças à ótima campanha do Sport no Campeonato Brasileiro, ele terá pela frente na próxima rodada um clube que conhece bem. Oito anos depois de ser rebaixado com o Corinthians para a Série B, o ex-preparador físico tenta frear em Itaquera a equipe que chegou a cogitar contratá-lo antes da volta de Tite.

O nome entrou em pauta no Timão enquanto o grupo político de Andrés Sanchez buscava alternativa para o lugar de Mano Menezes. O ex-presidente e hoje deputado federal (PT-SP)  não estava convencido de que o retorno de Tite seria a melhor alternativa. O dirigente se animou com as informações que recebeu sobre o trabalho de Eduardo, com quem conviveu rapidamente quando ele foi preparador físico do clube em 2007, com o pai Nelsinho Baptista.

A ideia só não avançou graças à disponibilidade de Tite no mercado. Após recusar a proposta feita pelo Internacional, o treinador campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes manifestou a Roberto de Andrade, presidente eleito em fevereiro, que aceitaria regressar até com um salário inferior. Andrés, que também pensara em Oswaldo de Oliveira para a vaga, acabou sendo voto vencido. 

– Eu sou treinador há um ano e meio e tenho 20 anos de carreira no futebol. Receber um elogio de uma pessoa do quilate do Andrés é importante, me faz estudar mais, para um dia receber uma oferta. Por que não? Fico contente, mas ciente de que preciso evoluir sempre – afirmou Eduardo Baptista, de 45 anos. 

O treinador conhece bem o mundo alvinegro. Em setembro de 2007, Eduardo, como preparador físico, e o pai, como técnico, desembarcaram no Parque São Jorge como bombeiros e milagreiros. A missão não era simples. O Corinthians fazia uma terrível campanha no Brasileirão e tinha um time de dar calafrios na torcida. 

A meta era bem diferente do atual momento do Corinthians, de brigar por títulos ou pelo menos uma vaga na Libertadores de 2016. Sem poder de reação e mergulhado em uma crise política que culminou na queda do presidente Alberto Dualib, o Timão foi rebaixado pela primeira vez em sua história, no dia 2 de dezembro, ao empatar por 1 a 1 com o Grêmio, no estádio Olímpico. Nelsinho não resistiu e acabou demitido poucos dias depois. 

Eduardo Baptista Sport x Cruzeiro (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Hoje técnico do Sport, Eduardo Baptista está na quinta colocação do Brasileirão (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)


– Pegamos um time que vivia uma crise interna muito grande. O Nelsinho fez um trabalho excepcional de reação. A equipe não vinha bem fisicamente, conseguimos dar todas as condições, mas o tempo era curto. Não conseguimos o sucesso necessário – recordou Eduardo. 

Quis o futebol que a resposta da família Baptista fosse justamente em cima do Corinthians, comandado por Mano Menezes e em meio à construção da equipe que, mais tarde, serie campeã da Série B. Cinco meses depois do rebaixamento em São Paulo, pai e filho levaram o Sport à maior conquista de sua história. Após perder por 3 a 1, no Morumbi, o Leão fez 2 a 0, na Ilha do Retiro, e levantou a taça da Copa do Brasil pela primeira vez. 

– O futebol é rápido. Caímos com o Corinthians e, logo depois, estávamos sendo campeões em cima dele. Quando você cair, tem de ser em pé. E do mesmo jeito que, quando estiver em pé, precisa deixar os pés bem no chão para não ser surpreendido. São lições que tomamos – disse. 

Com passado corintiano e um trabalho que agrada aos dirigentes alvinegros, Eduardo Baptista tem nesta quarta-feira, a partir das 22h, em Itaquera, a chance de atrapalhar a vida de Tite na briga pela liderança do Brasileirão. O Timão é vice-líder, com 34 pontos, apenas quatro acima do Sport, quinto colocado. O radar corintiano está ligado, para o futuro.  

– Se contarmos desde o ano passado, são 24 jogos e apenas uma derrota (para o Atlético-MG) do Sport no Brasileiro. O Corinthians é um clube pelo qual sempre tive admiração. Trabalhar lá foi importante, mesmo em um momento ruim. Você cresce e ganha projeção. Poder enfrentá-lo também é bom.

Nelsinho Baptista Sport (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Eduardo é filho de Nelsinho Baptista: foram campeões da Copa do Brasil-2008 (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)


...
 
 
 
eXTReMe Tracker