Página inicial
 
Mural de recados
28.06 | ojuara
CONCORDO NELHOR PAGAR SAFADAO DE QUE INVESTIR NESSE CLUBE SAFADO DE LADROES PORQ ...
28.06 | Paulo Junior
Parabéns pela atitude dos torcedores do Central em dividir o dinheiro com os fun ...
27.06 | Carlos
Eu acho que esse verdade nua e crua tem problemas mentais ele fica pensando,pens ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
07/06/2015
12h23 | esportes - SÉRIE A
SÉRIE A -> Sport consegue segurar o Fluminense no Maracanã, arranca empate e segue firme no G4: 0x0
CLIQUE E CONFIRA.
O Sport fez uma partida consciente das suas limitações no Maracanã. Não se arriscou. Por diferentes razões sem Joelinton, Samuel e Elber, todos desfalques no setor ofensivo, restou ao técnico Eduardo Baptista optar uma estratégia mais conservadora, apostando no que tem de melhor em mãos: o sistema defensivo. E deu certo. Fazendo uma partida sólida na defesa, sem sofrer grandes sustos, o Leão conseguiu o resultado que foi buscar neste domingo: o empate. Inofensivo no ataque, segurou com maestria o 0 a 0.

O terceiro empate consecutivo fora de casa, fizeram os rubro-negros somarem mais um precioso ponto que os mantêm invictos na Série A e dentro do G4 (única equipe a passar todas as rodadas no seleto grupo). O Sport volta a campo no próximo sábado, às 21h, quando receberá o Joinville, lanterna da Série A, na Ilha do Retiro.

O jogo
Foi um primeiro tempo acima de tudo morno. Sem inspiração, as equipes cansaram de errar passes. Foram 53 toques errôneos na etapa - média superior a um passe torto por minuto. Bastante desfalcado no setor ofensivo, o Leão fez o jogo que lhe cabia. Recuou-se para esperar o adversário. Na tática de priorizar a marcação, a equipe fez a sua parte na defesa. No ataque, porém, foi nulo. Mike errou tudo o que podia. Maikon Leite esteve sumido e Diego Souza Pouco inspirado. O Leão não deu sequer um chute a gol em 46 minutos. 

Para se ter uma ideia, o melhor lance rubro-negro foi uma jogada que culminou com uma falta sobre Maikon Leite na entrada da área, mas não marcada pela arbitragem. Apesar de retraído, o Sport segurou a bola em sua posse. Cozinhando o jogo, irritou a torcida do carioca. Fez Fred orientar e pedir, com veemência, o empenhos dos companheiros. Quando o Tricolor arriscava acelerar o jogo, parava na impecável marcação de Rithely. Apenas em meados dos 30 minutos, o Fluminense acelerou o ritmo. Na sua melhor jogada, a bola passou de pé em pé até Wagner, que foi travado no chute por Renê. A etapa terminou sob vaias. 

Os protestos da torcida na saída para o intervalo parece ter acordado ambas as equipes. O segundo tempo melhorou. Ganhou velocidade e os dois times passaram a se arriscar mais em busca do gol. Aos 10, Antônio Carlos testou para grande defesa de Danilo Fernandes. O Leão respondeu em dose dupla com Diego Souza. Aos 14, após contra-ataque rápido, o meia mandou cruzado, rente à trave. Aos 16, em fez boa jogada individual e obrigou Cavaliere a fazer boa defesa. Neste momento, a partida ficou em aberto por alguns minutos.

Com o passar dos minutos, Eduardo Baptista preferiu apostar na defesa. Sacou o atacante Maikon Leite para a entrada do volante Rodrigo Mancha. Recuou. E não levou o gol de empate aos 43 por um milagre. Giovanni cruzou e Marcos Júnior testou pra grande defesa de Danilo Fernandes. No rebote, Renê salvou o Leão. Guerreiro, o Sport conseguiria segurar o empate até o fim.

FICHA DO JOGO

FLUMINENSE 0
Diego Cavalieri, Renato (Wellington Silva), Gum, Antônio Carlos e Giovanni; Edson, Jean, Gerson, Vinicius (Marcos Júnior) e Wagner; Fred (Magno Alves).
Técnico: Enderson Moreira.

SPORT 0
Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Neto Moura (Régis), Mike (Danilo) e Diego Souza; Maikon Leite (Rodrigo Mancha).
Técnico: Eduardo Baptista.

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro. 
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR). 
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Moisés Aparecido de Souza (PR).
Cartões amarelos: Wagner, Wellington Silva e Marcos Júnior (FLU); Renê e Matheus Ferraz (SPT).
Público: 15.411
Renda: R$ 368.520,00
 
Do Super Esportes  

...
 
 
 
eXTReMe Tracker