Página inicial
 
Mural de recados
27.04 | Givaldo
Esse tal de Patativa devia mudar o nome para Urubu, esse desgraçado só faz corta ...
27.04 | Patativa
Meu Deus isso foi mostrado e um gramado ou um chiqueiro ...
26.04 | MARCOS LEITE
O CENTRAL PERDEU VÁRIOS BONS JOGAGORES Q DISPUTARAM O PERNAMBUCACNO DESSE ANO, A ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
25/03/2015
06h27 | esportes - Copa do Nordeste
Copa do Nordeste -> Quartas de final - Sport erra muito e perde a primeira para o Fortaleza: 1x0
Foto: Edimar Soares/O POVO

Foto: Edimar Soares/O POVO

A derrota por 1×0 para o Fortaleza na noite desta quarta-feira (25) pode ser encarada como lucro para o Sport nas quartas de final da Copa do Nordeste. Depois de um primeiro tempo razoável e um segundo errando em todos os setores, os rubro-negros poderiam ter saído do Castelão com um prejuízo bem complicado de ser revertido no jogo da volta. No próximo domingo (29), na Ilha do Retiro, os atuais campeões precisam vencer por 2×0 para avançar às semifinais. Qualquer empate classifica os cearenses. Se o Sport vencer por 1×0 a decisão vai para os pênaltis. Se vencer por um gol de diferença com o Fortaleza marcando (2×1, 3×2, etc.) o Tricolor do Pici avança.

Como era esperado, o Fortaleza procurou pressionar a saída de bola do Sport. Conseguiu e obrigou os rubro-negros a apelar para o chutão e até entregar o ouro em algumas oportunidades, como fez Durval logo aos dois minutos diante de Pio. O volante tabelou com Lúcio Maranhão e chutou cruzado. Maranhão desviou a escanteio. Até cerca de 20 minutos, o time pernambucano passou por aperto. Depois o Tricolor do Pici recuou o bloco de marcação para o meio e os leões respiraram mais aliviados e começaram a tocar a bola.

Com mais controle do jogo, o time da Ilha trocou passes e aos poucos foi criando suas oportunidades. A melhor delas em dose dupla de Diego Souza, aos 28. Wndell cruzou e o camisa 87 cabeceou para baixo. Deola deu rebote para ele mesmo, que soltou a bomba na trave. Mike também aproveitou bobeira de Adalberto e chegou a passar por Deola mas perdeu o ângulo e permitiu a recuperação do goleiro. O Fortaleza passou a esperar mais o erro do Sport e não deixou barato quando encontrou oportunidade. Aos 38, Éverton cruzou da esquerda e Lúcio Maranhão vinha de frente para o gol sem ninguém a pressioná-lo. Só chegou atrasado e viu a bola cruzar a grande área.

Na volta para o segundo tempo os leoninos abusaram dos erros de passe. Além de prejudicar a criação das jogadas, também permitiu que os cearenses jogassem mais tempo no campo ofensivo. Logo aos seis minutos, Lúcio Maranhão cabeceou cara a cara com Magrão, que fez uma grande defesa. A dificuldade do Sport era tamanha, que passar da linha divisória do gramado era um feito heroico. De tanto pressionar, o Fortaleza chegou ao gol aos 19. Lúcio balançou na frente de Páscoa e soltou uma bomba no canto direito. A bola ainda bateu na trave antes de entrar.

Nem a desvantagem fez os visitantes acordarem. O time continuou abusando dos erros de passes e nem as alterações feitas por Eduardo Baptista mudaram a situação. Régis entrou no lugar de Mike mas prendeu demais a bola. Joelinton assumiu o posto de Diego Souza, mas centroavante de time que erra muito passe fica isolado.

 

Azarado
No primeiro tempo Lúcio Maranhão chegou atrasado, quando estava livre de marcação e não fez o gol. No segundo, bateu muito mal o pênalti. No minuto seguinte ficou em posição de impedimento e ‘matou’ um grande contra-ataque.

 

 

O melhor
A atuação de Magrão foi tão boa que aliviou até a vida do árbitro, que marcou um pênalti inexistente de Durval. Além da penalidade, o camisa 1 rubro-negro fez dois milagres, um no começo do jogo e outro no início do segundo tempo. Foi o 21º pênalti defendido pelo goleiro.

 

 

Desobedientes
Ainda no Recife, o técnico Eduardo Baptista afirmou que não havia nenhuma orientação para Rodrigo Mancha jogar mais adiantado e Rithely mais recuado. Os dois jogadores parecem não ter ouvido o recado pois no 4-1-4-1 leonino, Rithely ficou na frente da linha de defesa e Mancha formou a segunda linha de quatro no meio.

 

 

Descompactados
A estratégia era correta mas na prática não funcionou. O motivo? As linhas muito distantes. Por isso tanta dificuldade tanto de criar e de marcar o adversário.

 

Ficha do jogo:

Fortaleza: Deola; Tinga, Lima, Adalberto e Wanderson; Correa, Auremir, Pio (Uiliam) e Maranhão (Márcio Diogo); Lúcio Maranhão (Cássio) e Éverton. Técnico: Marcelo Chamusca.

Sport: Magrão; Vítor, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely, Wendell (Danilo) e Diego Souza (Joelinton); Mike (Régis) e Élber. Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Arena Castelão, em Fortaleza-CE. Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL). Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Lorival Candido das Flores (RN). Gol: Éverton, aos 19 do segundo tempo. Cartões amarelos: Lima e Ewerton Páscoa. Público total: 25.619.

Do Blog do Torcedor 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker