Página inicial
 
Mural de recados
27.04 | Givaldo
Esse tal de Patativa devia mudar o nome para Urubu, esse desgraçado só faz corta ...
27.04 | Patativa
Meu Deus isso foi mostrado e um gramado ou um chiqueiro ...
26.04 | MARCOS LEITE
O CENTRAL PERDEU VÁRIOS BONS JOGAGORES Q DISPUTARAM O PERNAMBUCACNO DESSE ANO, A ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
24/01/2015
21h44 | esportes - AMISTOSO
Amistoso - No primeiro teste do ano, Sport derrota o Nacional do Uruguai e conquista a taça Ariano Suassuna
Leão derrotou o time uruguaio por 2 a 1 na Arena PE e ficou com o título
Do Super Esportes PE 
 
Em um evento que deve ficar marcado na história do Sport como exemplo de boa organização, divulgação e realização, o Leão conquistou seu primeiro título do ano de 2015, a taça Ariano Suassuna, ao vencer o Nacional-URU, por 2 a 1. Foi uma taça festiva, mas que dá confiança, já que o adversário vinha numa sequência de 16 jogos invicto. Mas o mais importante não foi o título em si. A apresentação do time do primeiro tempo, considerado titular, deixou uma ótima impressão. Assim como uma expectativa de que o ano pode, sim, ser ainda melhor do que 2014.

O primeiro tempo começou morno, com as duas equipes se estudando, mas se esforçando para manter o posicionamento tático e fazer valer toda a preparação da pré-temporada. Apesar disso, o jogo muitos erros individuais. Foi assim que saiu, logo aos quatro minutos, o primeiro gol rubro-negro da temporada. A marcação do Nacional falhou e a bola sobrou no pé de Samuel. O estreante manteve a calma e bateu forte, no cantinho, para abrir o placar.

Após o gol, o Nacional tentou chegar mais à frente através de lançamentos longos, quase sempre em direção ao centro-avante Iván Alonso. Mas esbarrou no bom posicionamento da defesa rubro-negra, que soube deixar o artilheiro em impedimento. Mas o segundo gol leonino não tardou a sair. Em uma ótima troca de passes com Régis, o meia Élber bateu cruzado e acertou a trave. No rebote, Danilo completou para o fundo das redes, ampliando.

O Leão seguiu jogando bem, com muita movimentação no setor ofensivo, principalmente dos meias Régis e Élber, que tentavam aparecer para dar seu toque na maioria das jogadas. Mas o Nacional levava cada vez mais perigo. Até que, num cruzamento de De Pena, Durval terminou desviando a bola, confundindo Magrão e marcando contra, diminuindo para os uruguaios, minutos antes do intervalo.

Segundo tempo
A segunda etapa deu início à série de substituições de Eduardo Baptista. A que mais agradou ao torcedor foi a saída de Samuel para a entrada de Joelinton, que foi muito aplaudido quando chamado pelo treinador. Graças ao grande número de mudanças, o jogo perdeu um pouco de fluência, e passou a servir para o comandante rubro-negro fazer testes, inclusive reposicionando jogadores que já estavam em campo no primeiro tempo.

A partida seguiu nessa toada, sem grandes chances para nenhum dos lados, durante quase todo o segundo tempo. O principal momento foi a expulsão do atacante Iván Alonso, que deu uma entrada violanta em Wendel e levou cartão vermelho direto. Com um a mais em campo, o Sport exerceu um domínio ainda mais amplo. Teve chances com Páscoa, de cabeça, e com Mike, ambas sem muito perigo. O Nacional não teve reação. E restou ao Leão comemorar a conquista da taça festiva.

.
 
 
 
eXTReMe Tracker