Página inicial
 
Mural de recados
26.05 | marcelo
Concordo plenamente com voce paulo esses reporteres das radios de caruaru sao do ...
26.05 | Davi
Infelizmente o editor desse blog não publicou meu comentário, so sei de uma cois ...
26.05 | Patativa
É verdade Paulo alvinegro excelente o seu comentário você estar de parabéns. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
02/08/2013
22h40 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B > Sport 1x2 Chapecoense/SC - Leão toma virada no fim!
Oferecimento: Bezerra Engenharia
A vitória do Sport parecia certa até os 42 minutos do segundo tempo. Em dois lances, porém, a euforia virou frustração. Duas falhas individuais. Renan Teixeira e Pereira. Dois gols da Chapecoense. A alegria passou para o outro lado. A derrota por 2 a 1 em plena Ilha do Retiro, neste sábado, não estava nos planos do Leão. O que parecia ruim após a goleada sofrida para o América-MG ficou pior. O cenário positivo mudou.

Desde o início do jogo, ficou claro que não seria uma partida fácil para o Sport. A Chapecoense justificou a sua boa colocação na tabela mostrando suas qualidades. É um time que foca na marcação forte, até mesmo individual em alguns casos, com um bom preparo físico e um contra-ataque perigoso. Embora soubessem do estilo de jogo do adversário, os rubro-negros tiveram dificuldade para superá-lo.

Embora tivesse mais posse de bola, o Sport não conseguia encontrar uma maneira de furar o bloqueio da Chapecoense. Os catarinenses congestionavam o meio, visto que o Leão tinha claras dificuldades para jogar pelos lados. Fábio Bahia, improvisado, mal passava da linha do meio campo. Pery, estreando, demorou a superar a timidez e ainda não contou com a confiança dos companheiros, que em alguns momentos sequer olhavam para o lado esquerdo.

Teresa Maia/DP/D.A Press
Foi um primeiro tempo equilibrado, muito pegado e com chances escassas para os dois lados. O Sport ia bem quando Lucas Lima ou Marcos Aurélio tinham a bola. Os dois, no entanto, abusavam da individualidade algumas vezes, quando a melhor saída talvez fosse as jogadas em velocidade, para superar a forte marcação adversária. A Chapecoense teve suas melhores oportunidades nos contra-ataques rápidos quase sempre aproveitando os erros de passe rubro-negros.

O segundo tempo tinha tudo para ser tão encardido quanto o primeiro. Mas no primeiro lance ofensivo da etapa, Lucas Lima foi derrubado na quina esquerda da entrada da área. Falta. Marcos Aurélio caprichou na cobrança a trouxe o alívio para o Sport: 1 a 0 e mais tranquilidade para jogar, sem a pressão de ter que superar a retranca adversário. Agora a Chapecoense teria que sair, tornando a partida menos truncada.

E foi exatamente o que aconteceu. Se é um time que se destaca pelo poder de marcação, quando tem que sair para o jogo a Chapecoense não mostrou tanta qualidade assim. Jogando mais solto, o Sport continuou com o controle da partida, embora sem conseguir, a exemplo do que acontecia no primeiro tempo, penetrar na defesa adversária. Na tentativa de corrigir isso, Martelotte colocou Roger, para ter uma referência no meio da zaga catarinense.

Na base da pressão, a Chapecoense tentou o empate no final. Agora, era a hora do Sport se defender e se posicionar para sair no contra-ataque. A vitória parecia ser uma questão de se segurar atrás e esperar o tempo passar. Mas o Leão arriscou demais. Aos 42, Renan errou um passe bobo no meio campo que ocasionou o contragolpe do adversário. Na sequência do lance, Soares foi derrubado na área por Pereira: pênalti. Bruno Rangel cobrou e empatou o jogo.

O Sport havia recuado demais e o gol de empate havia sido um castigo. Mas o pior veio em seguida. Nova descida da Chapecoense e após cruzamento na área, Pereira falha incrivelmente. Bruno Rangel domina e toca por cima de Magrão. Era a virada. Em dois lances, a vitória que parecia certa fugiu das mãos rubro-negras. Frustração na Ilha do Retiro.

Ficha do jogo

Sport

Sport: Magrão; Fábio Bahia, Pereira, Tobi e Pery; Anderson Pedra, Rithely, Lucas Lima (Renan Teixeira) e Camilo; Marcos Aurélio e Felipe Azevedo (Roger). Técnico: Marcelo Martelotte

Chapecoense

Chapecoense: Nivaldo; Glaydson, Rafael Lima (André Paulino), Dão e Anderson Pico (Tiago Luís; Wanderson, Augusto, Paulinho e Athos (Soares); Fabinhos Alves e Bruno Rangel. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Estádio: Ilha do Retiro. Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA). Assistentes: Janete Mara Arcanjo (MG) e Carlos Jorge (AL). Gols: Marcos Aurélio (1 min do 2°T) e Bruno Rangel (44 min do 2°T e 47 min do 2°T). Cartões amarelos: Dão, Rafael Lima, André Paulino (CH), Fábio Bahia, Anderson Pedra, Tobi, Pereira (S). Público: 19.419. Renda: R$ 284.920,00.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker