Página inicial
 
Mural de recados
23.06 | Danilo
http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2017/06/empresario-ilu ...
23.06 | Duda
Eu acredito!!! Vamos meu Central, vamos sair dessa série D. Lícius tem feito o p ...
23.06 | MARCOS LEITE
CENTRALZÃO EM BUSCA DA CLASSIFICAÇÃO E A TORCIDA CHEGANDO DE MONTÃO NO LACERDÃO, ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
20/08/2016
10h42 | esportes - OLIMPÍADAS 2016
OLIMPÍADAS 2016 - Brasil bate Alemanha nos pênaltis e conquista OURO inédito para futebol

 

Rio de Janeiro - Foi com muita emoção. Mas veio. O tão sonhado ouro olímpico no futebol veio para o Brasil. Após empate em 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, a vitória veio nos pênaltis, e também não foi fácil. A partida só foi decidida na última rodada de cobranças, quando Weverton defendeu a cobrança de Petersen e Neymar fechou em 5 a 4 para a Seleção. O estádio do Maracanã tremeu com a comemoração. Um dia para ficar na história.

Muito concentrado, o Brasil foi muito bem taticamente no primeiro tempo. Renato Augusto foi posicionado pelo técnico Rogério Micale à frente zaga, fazendo um papel perfeito na saída de bola. A seleção foi um time bastante participativo, com os jogadores da frente chamando bastante o jogo, mas sem afobação. Quando era necessário, a equipe tocava a bola na defesa sem problemas.

A Alemanha veio posicionado para jogar nas brechas dadas pelo Brasil na sua defesa. Por algumas vezes, jogou nas costas dos laterais, chegando com perigo. O jogo era concentrado principalmente no lado esquerdo, com Bandt. A primeira grande chance da partida foi justamente com ele, que bateu colocado e acertou pelo primeira vez o travessão do goleiro Weverton. 

O gol do Brasil veio em uma cobrança perfeita de falta, aos 27 minutos, com Neymar. O Maracanã veio abaixo com o lance. Na comemoração, o atacante saiu gritando: "Eu estou aqui" e correu para o camarote da sua família, onde Usain Bolt estava. Em homenagem ao tricampeão olímpico, o brasileiro fez o gesto do raio, eternizado pelo velocista jamaicano.

Durante o primeiro tempo, a Alemanha acertou mais duas bolas na tave, deixando o público no Maracanão atônito. Ao todo, foram três chances reais de gol alemãs que pararam no poste brasileiro, mostrando que a equipe não estava morta. E realmente não estava. No início da etapa final, Max Meyer empatou, finalizando bem, após jogada tramada pelo lado direito de ataque.

A Alemanha encaixou melhor o seu jogo no segundo tempo, tomando mais a iniciativa. O Brasil tentava sair nos contra-ataques rápido. Renato Augusto, o melhor em campo, organizava todas as jogadas. Empurrado pela torcida, a seleção voltou ao domínio da partida, da metade até o fim da segunda etapa. Chegou a criar chances de marcar o gol da vitória, mas não aproveitou, algumas claramente por causa da ansiedade.

Prorrogação
A decisão então foi para o tempo extra. O Brasil foi mais incisivo, enquanto a Alemanha tocou a bola no campo de defesa o máximo de tempo que pôde. Por várias vezes, acionaram o goleiro, formando uma linha de passe na sua defesa. Quando a seleção atacava, os alemães formavam linhas de marcação, tirando as opções de passe e dificultando bastante a chegada ao ataque.

Bastante cansado, com Neymar sofrendo com cãibras, o Brasil levou o segundo tempo da prorrogação na base da raça e da vontade. Enquanto a Alemanha insistia em tocar a bola, a seleção buscava o ataque. Voltou a criar chances para marcar e dar fim ao sofrimento, mas não aproveitou nenhuma. Não teve jeito. A decisão foi para os pênaltis.

Pênaltis
Nas cobranças de pênaltis, a Alemanha começou batendo, com Ginter, que marcou. Renato Augusto foi o primeiro brasileiro e cobrando no alto também fez. Na segunda rodada, Gnabry não cobrou bem, mas Weverton não segurou. Marquinhos por sua vez foi muito bem e deixou tudo igual. Batendo no lado esquerdo, Brandt fez o dele. Rafinha escolheu o mesmo lado para empatar novamente. Com força, sem defesa, Sülle marcou. Deslocando o goleiro, Luan marcou. Então entrou Weverton. Ele defendeu a cobrança de Petersen. Agora, caberia a Neymar fechar. O craque do Brasil não falhou. 

Ficha do jogo

Brasil 1 (5)
Weverton; Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos; Walace e Renato Augusto; Luan, Gabriel de Jesus, Gabriel (Felipe Anderson) e Neymar. Técnico: Rogério Micale

Alemanha 1 (4)
Horn; Toljan, Ginter, Süle e Klostermann; Sven Bender, Lars Bender (Proemel), Brandt, Meyer e Gnabry; Selke (Nils Petersen). Técnico: Horst Hrubesch

Árbitro: Alireza Faghani (IRA). Assistentes: Reza Sokhandan (IRA) e Mohammadreza Mansouri (IRA). Gols: Neymar (aos 27 do 1ºT), Max Meyer (aos 14 do 2ºT). Cartões amarelos: Zeca, Gabriel, (A) Selke, Proemel, Sven Bender e Süle.Público: 63.707
 
DO SUPER ESPORTES PE 

 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker