Página inicial
 
Mural de recados
16.08 | CLEO
O TERRENO ONDE DEVEM CONSTRUIR O CT DO CENTRAL? TÁ JOGADO PRAS COBRAS, COMO SE D ...
15.08 | MARCOS LEITE
RESTA AOS SÓCIOS PROPRIETÁRIOS DO COMÉRCIO, SE UNIR, RESTAURAR E REFORMAR O CLU ...
15.08 | VICTOR HUGO
É VERDADE GUSTAVO, O CENTRALZÃO TEM Q CONSTRUIR SEU CT NINHO DA PATATIVA NO SEU ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
29/03/2016
08h00 | esportes - SELEÇÃO BRASILEIRA
ELIMINATÓRIAS > Paraguai 2x2 Brasil - Seleção Brasileira consegue empate com gosto de vitória
Pelo menos até setembro, quando a Seleção volta a campo pelas Eliminatórias para enfrentar o Equador, a torcida brasileira vai seguir fora da briga por uma vaga no Mundial da Rússia. Em Assunção, o time de Dunga empatou em 2 a 2 com o Paraguai, chegou aos nove pontos que o deixam na 6ª colocação e manteve intensa a pressão sobre o treinador gaúcho.

Mais do que futebol, faltavam ideias. O Brasil entrou no gramado do Defensores del Chaco apresentando as mesmas deficiências que mostrou no segundo tempo do jogo contra o Uruguai, na Arena Pernambuco. Com dificuldade para fazer a transição da defesa para o ataque, não ameaçou o Paraguai nos primeiros minutos, e teve que se segurar como pôde para evitar um gol dos donos da casa, que pressionavam.

Maior do que a insistência paraguaia nas jogadas de bola parada, que levavam perigo - em duas delas, a Seleção precisou contar com o reflexo de Alisson -, era a incapacidade brasileira de reagir. Sem padrão de jogo, sem brilho individual e cheio de problemas na armação das jogadas, tudo que a Seleção conseguia fazer era contra-atacar em velocidade e, quando muito, chutar de longe. Assim nasceu a melhor chance do time, uma finalização de Willian que acertou o travessão.

Só que mais do que improdutividade ofensiva, o problema brasileiro era também defensivo. Todas as chegadas paraguaias faziam o sistema defensivo bater cabeça. De tanto perseverar, a Albirroja saiu na frente: Lezcano recebeu passe dentro da área e finalizou sem chances para o goleiro brasileiro. Assim, a Seleção voltou para os vestiários perdendo por 1 a 0.

Mais apatia
No entanto, mais assustadora do que a má atuação na primeira etapa foi a passividade brasileira na volta para o segundo tempo. Poucos minutos de bola rolando foram suficientes para mais um castigo: 2 a 0. Sem dificuldades, o veterano Roque Santa Cruz driblou três marcadores e armou a jogada para Benítez se antecipar a Dani Alves e chutar de bico para ampliar.

Maior do que a desorganização dos brasileiros em campo era a facilidade com que o Paraguai conseguia marcá-los. Mesmo em ampla desvantagem, a Seleção seguia lenta, e só conseguia ameaçar em jogadas de bola parada. Mas mesmo sem inspiração, o Brasil se aproveitou da retração dos donos da casa para diminuir: Hulk chutou de fora da área e Ricardo Oliveira aproveitou o rebote.

Após o gol, mais pressão brasileira. Que surtiu efeito, quando Daniel Alves invadiu a área para finalizar, já nos acréscimos, e definir o empate. Um resultado tão precioso quanto incoerente, que pode ter dado uma sobrevida ao técnico Dunga, mas que não melhorou em absolutamente nada a imagem da Seleção aos olhos de uma torcida cada vez mais habituada à mediocridade.
 

Paraguai 2
Villar; Paulo da Silva, Agillar, Gómez e Samudio; Richard Ortiz (Jonathan Santana), Ortigoza, Derlis González e Edgar Benítez; Jorge Benítez (Santa Cruz) e Lezcano (Iturbe). Técnico: Ramón Diaz.

Brasil 2
Alisson; Daniel Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Lucas Lima), Fernandinho (Hulk), Renato Augusto, Willian e Douglas Costa; Ricardo Oliveira (Jonas). Técnico: Dunga

Estádio: Defensores del Chaco (Assunção-PAR). Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia). Gols: Edgar Lezcano (40’ do 1ºT) e Benítez (3’ do 2ºT) (PAR); Ricardo Oliveira (33’ do 2ºT) e Daniel Alves (471 do 2ºT) (BRA). Cartões amarelos: Villar, Gustavo Goméz e Samudio (PAR); Miranda (BRA).
 
DO SUPER ESPORTES  

...
 
 
 
eXTReMe Tracker