Página inicial
 
Mural de recados
21.08 | MARCOS LEITE
O MAC MARANHÃO ATLÉTICO CLUBE QUASE SOBE PRA SÉRIE C COM UMA FOLHA DE 70 MIL, PE ...
20.08 | Jose Helio Pessoa
Bom dia centralinos, surge uma esperança na história do nosso querido Central de ...
19.08 | Gustavo
O Atletico do Acre conseguio o acesso pra serie C com uma folha salarial de 60 m ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
13/06/2015
13h00 | esportes - Futebol
'Ameaçado', Pato exige mais R$ 16 milhões do Corinthians na Justiça
Lancenet
 
Pato está emprestado ao São Paulo até o fim do ano (Foto: Ale Cabral/LANCE!Press)
 
No processo para rescindir o contrato com o Corinthians, e consequentemente anular o empréstimo até o fim do ano para o São Paulo, Alexandre Pato também exige o pagamento de seus vencimentos até o fim de dezembro de 2016, quando se encerra o vínculo de trabalho com o Timão. Os valores beiram R$ 16 milhões, considerando 18 meses de R$ 800 mil de salários (R$ 500 mil de direito de imagem + R$ 300 mil em CLT), além do pagamento do 13º. Essa questão, porém, só será tratada após a audiência do dia 3 de setembro.
 
No documento entregue à Justiça, o jogador afirmou que também pretende rescindir com o Corinthians porque sofreu ameaças em 2014, quando torcedores invadiram o CT Joaquim Grava e prometeram quebrar suas pernas - além de ser vítimas de ameaças virtuais, via redes sociais (Twitter e Instagram).

Segundo João Henrique Chiminazzo, Pato também já foi alvo de protestos e xingamentos depois de ser divulgada a ação contra os clubes, em que ele alega falta de pagamento de direitos de imagem - dez meses de atraso do Corinthians e três meses de atraso do São Paulo - e irregularidade no recolhimento do FGTS de ambos os clubes.
 
Em busca de “integridade física”, o atacante pediu que o processo corresse em segredo de Justiça, algo negado pela juíza Maria Alice Severo Kluwe, responsável pelo caso. O processo corre na 61ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho.
 
A posição do Corinthians é que não há nenhum débito atual com o jogador (R$ 4 milhões foram pagos na última quarta-feira) e que a "má fé" partiu do próprio, uma vez que a dívida estava sendo negociada há alguns meses. Outra argumentação é que o jogador não é proprietário de sua imagem, que foi comercializada com uma empresa inglesa antes mesmo da contratação pelo Timão. Pato não é sócio da empresa e, portanto, não é contemplado na distribuição de lucro e não é quem recebe os valores de direito de imagem pagos pelo clube.
 
- O Corinthians está tranquilo nesta questão por dois motivos. O primeiro é que não deve nada ao jogador. O segundo é que não deve nada à empresa titular que detém os direitos de imagem do jogador. Empresa esta, inclusive, da qual o Pato não é sócio. Ele não recebe o valor relativo ao direito de imagem. A imagem foi cedida a essa empresa antes dele chegar ao Corinthians - afirmou o advogado do Corinthians, Luiz Felipe Santoro, à Rádio Bandeirantes.
 
No processo, Chiminazzo afirma que o pagamento de direitos de imagem é uma tentativa de burlar a lei trabalhista, algo contestado pelo advogado corintiano.
 
- Houve uma alteração na Lei Pelé em 2011. O artigo 87-A diz claramente que o atleta pode licenciar o uso da imagem em contrato de natureza civil, inconfundível com o contrato de trabalho. No coloquial, o que todos falam é salário, atraso de salários. Mas, juridicamente, o São Paulo paga o salário e o Corinthians paga uma quantia à empresa titular dos direitos de imagem dele. Quando se fala de fraude, que é citada no processo, é algo que não existe - ressalta Santoro.

.
 
 
 
eXTReMe Tracker