Página inicial
 
Mural de recados
27.05 | Alex
É o fim da picada a contratação de Candinho, juntando todos os atacantes não dá ...
26.05 | marcelo
Concordo plenamente com voce paulo esses reporteres das radios de caruaru sao do ...
26.05 | Davi
Infelizmente o editor desse blog não publicou meu comentário, so sei de uma cois ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
27/11/2014
05h52 | esportes - COPA DO BRASIL
Atlético-MG domina o Cruzeiro e é campeão da Copa do Brasil
CLIQUE E CONFIRA.

Da Gazeta Esportiva

O Brasil vai amanhecer em preto e branco. O Galo é o novo dono da Copa do Brasil pela primeira vez na história. O maior clássico de todos os tempos entre Atlético-MG e Cruzeiro foi digno da tradição dos dois maiores clubes do futebol brasileiro na atualidade. A decisão jamais será esquecida pelos atleticanos, que dominaram a Raposa dentro do Mineirão e venceram por 1 a 0, conquistando o título inédito.

O Galo já entrou em campo com vantagem, por ter vencido o duelo da ida por 2 a 0, no Independência, e mesmo assim tomou a iniciativa do jogo, pressionando o Cruzeiro, até que no fim do primeiro tempo Tardelli transformou o domínio da partida em vantagem no placar, anotando o gol do título. A vitória do Atlético-MG carimba a faixa dos cruzeirenses, que foram campeões brasileiros no último domingo.

Campeão da Copa do Brasil, o Atlético-MG ainda tem mais dois compromissos no Campeonato Brasileiro antes de encerrar a temporada. No domingo, os alvinegros recebem o Coritiba, no Independência. Já o Cruzeiro tem o título do Brasileirão confirmado por antecipação e visita a Chapecoense no final de semana antes de fechar o ano com o jogo das faixas contra o Fluminense, no Mineirão.

AFP
Leonardo Silva levantou o troféu inédito do Atlético-MG, depois da vitória por 1 a 0 (Foto: Douglas Magno)
A final da Copa do Brasil entre os maiores rivais de Minas Gerais é a confirmação que os dois times de Belo Horizonte deslocaram o eixo do futebol nacional para Belo Horizonte. A organização e a estrutura dos clubes é só um dos fatores que explica o sucesso do Atlético-MG, agora campeão da Copa do Brasil, e do Cruzeiro, tetracampeão Brasileiro, que já estão garantidos na Libertadores de 2015.

 

 

O jogo – Como era de se esperar, o superclássico começou em ritmo alucinante no Mineirão. Mesmo com a vantagem, foi o Galo que começou com uma postura mais ofensiva. A Raposa, porém, também estava a fim de jogo, proporcionando uma grande final entre os dois melhores do futebol brasileiro.

Aos sete minutos, Luan fez grande jogada pela direita e cruzou na medida, mas Tardelli não conseguiu o desvio em um bom momento dos alvinegros. A troca frenética de posições entre os atacantes atleticanos deu muito trabalho para os defensores cruzeirenses. O time de Marcelo Oliveira usou a estratégia de chamar o Galo para seu campo para encaixar o contra-ataque.

Com pouco mais de 1.800 torcedores no Gigante da Pampulha, a torcida do Atlético-MG fez muito barulho no Mineirão. Aos 12, Marcos Rocha saiu na cara de Fábio, que fez grande defesa. No rebote, Tardelli mandou pela linha de fundo, confirmando que o time de Levir Culpi conseguiu fazer uma leitura melhor do superclássico nos primeiros minutos.

A primeira grande oportunidade do Cruzeiro só veio aos 15 minutos, com Ricardo Goulart surpreendendo a defesa do Galo, mas falhando na hora de finalizar. Apesar da chance, o Atlético-MG seguiu ocupando melhor os espaços, chegando a irritar alguns jogadores da equipe celeste, que teve problemas na armação das jogadas.

Habitualmente é o Cruzeiro que impõe o ritmo dentro do Mineirão, mas, nesta quarta-feira, o Atlético-MG, mesmo como visitante, dominou o jogo. Aos 24, Dátolo cobrou falta para a área e Tardelli desviou com o joelho, mandando sobre o travessão. A situação alvinegra se complicou um pouco quando Luan, melhor jogador da equipe nos últimos jogos, sentiu dores no joelho.

No atual time do Galo, Luan é o atleta que melhor representa a raça e a garra que fazem parte do espírito de qualquer atleticano. Por isso, ao deixar o campo, o jogador foi ovacionado pelo público. Após os 30 minutos, o Cruzeiro melhorou no jogo, equilibrando mais as ações, porém, ainda não foi o suficiente para chegar ao gol, que, aliás, esteve perto do Atlético-MG aos 42, com Dátolo desperdiçando oportunidade clara.

AFP
Diego Tardelli marcou o gol que garantiu a vitória ao Atlético-MG nesta quarta-feira (Foto: Douglas Magno)
A superioridade do Atlético-MG foi coroada aos 47 minutos, com Dátolo cruzando da direita e Tardelli completando para as redes, abrindo o placar. Bastante emocionado, o atacante do Galo vibrou muito com o gol. Precisando de quatro gols para ficar com o título, o Cruzeiro voltou para segundo tempo sem conseguir pressionar os visitantes.

 

Com ampla vantagem, o Galo diminuiu o ritmo e passou a valorizar mais a posse de bola, sem se descuidar da marcação, que, implacável, anulou as principais peças criativas da Raposa. Os alvinegros seguiram melhores no jogo e quase ampliaram aos seis minutos com Maicosuel, que perdeu quase em cima da linha.

O melhor momento dos celestes no superclássico aconteceu depois dos 15 minutos, quando o time de Marcelo Oliveira procurou adiantar as linhas de marcadores, se expondo mais aos contra-ataques alvinegros. Aos 17, a zaga atleticana não cortou cruzamento e a bola caiu nos pés de Ricardo Goulart, que errou o alvo na hora do tiro, acertando a rede pelo lado de fora.

O canto dos atleticanos foi se multiplicando no Mineirão, abafando em boa parte do jogo a grande maioria cruzeirense, que jogaram com o mando de campo. Aos 30, o argentino Dátolo cobrou falta com enorme violência, acertando o travessão de Fábio. No fim do jogo, a festa alvinegra, com direito a olé, coroou o ano do futebol mineiro, indiscutivelmente o melhor do Brasil.


...
 
 
 
eXTReMe Tracker