Página inicial
 
Mural de recados
28.06 | ojuara
CONCORDO NELHOR PAGAR SAFADAO DE QUE INVESTIR NESSE CLUBE SAFADO DE LADROES PORQ ...
28.06 | Paulo Junior
Parabéns pela atitude dos torcedores do Central em dividir o dinheiro com os fun ...
27.06 | Carlos
Eu acho que esse verdade nua e crua tem problemas mentais ele fica pensando,pens ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
12/11/2014
09h59 | esportes - COPA DO BRASIL
Galo aproveita clima no Horto e abre vantagem sobre o Cruzeiro na final
CLIQUE E CONFIRA.

Atlético-MG x Cruzeiro - Final da Copa do Brasil (Foto: Ramon Bitencourt/LANCE!Press)

 

O Atlético-MG deu um passo importante para faturar o título inédito da Copa do Brasil. O Galo cantou forte, foi vingador e venceu o rival Cruzeiro por 2 a 0, nesta quarta-feira, em um Independência colorido de preto e branco. Na primeira parte da decisão histórica, Luan e Dátolo foram os heróis, fazendo um gol em cada tempo.

 

Com o resultado, o Galo pode até perder por um gol de diferença no jogo de volta que vai se dar bem no confronto e levantar a taça. Para o Cruzeiro, um placar favorável de 4 a 1, por exemplo (que o rival usou nas quartas e na semifinal), é uma das opções suficientes. A definição do campeão será no dia 26 de novembro, no Mineirão, só com torcida cruzeirense.

 

Mesmo com o Independência não tendo lotação total, a atmosfera do primeiro dos dois jogos decisivos entre os rivais mineiros foi fantástica. No primeiro tempo, os times responderam com disposição, apesar de a inspiração ter sido muito menor que a transpiração. Uma correria sem fim.

 

Apesar do duelo pegado, não houve roteiro melhor para o Galo: placar aberto logo aos oito minutos do primeiro tempo. Luan, que já tinha marcado nos jogos do "eu acredito" contra Corinthians e Flamengo, também balançou a rede diante da Raposa. O cruzamento de Marcos Rocha foi certeiro, Mayke bobeou, e o atleticano comemorou. Quem também deu mole foi a arbitragem. O auxiliar Rodrigo Corrêa não viu que Luan estava em posição de impedimento na jogada.

 

O Cruzeiro ficou um pouco anestesiado, enquanto o Galo seguiu elétrico, energizado pela massa. A Raposa preferiu adotar a estratégia de cadenciar o jogo. Só que a cadência não significou trocas de passe eficientes no campo de ataque. Foi uma enxurrada de cruzamentos e jogadas lentas que quase não levaram perigo a Victor.

A Raposa teve os mesmos problemas na etapa final. Nem a entrada de Nilton deu equilíbrio ao meio-campo ou resolveu a saída de bola. Pelo contrário. O Atlético-MG continuou vibrante, explosivo. E o Independência pegou fogo de vez quando Dátolo fez o segundo gol, aos 13 minutos.

 

Marcelo Oliveira tentou dar outra cara ao Cruzeiro, sacando o inoperante Everton Ribeiro e colocando Júlio Baptista. Mas não foi só o craque do Brasileirão-2013 que ficou devendo. Também houve mérito do sistema defensivo do Galo. As torres gêmeas da vez foram Leonardo Silva e Jemerson. E elas não sucumbiram com os raros ataques aéreos celestes. Prova disso é que Marcelo Moreno não arrumou nada no jogo.

 

O Galo se segurou e o Cruzeiro parou. Agora é esperar o jogo no Mineirão e saber se o "eu acredito" vai mudar de lado (vestindo-se de azul) ou se o "caiu no Horto, tá morto" terá efeito permanente na final da Copa do Brasil.

 

 

ATLÉTICO-MG 2 X 0 CRUZEIRO

 

Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data/Hora: 12/10/2014, às 22h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Rodrigo Corrêa (RJ)
Cartões amarelos: Josué (CAM)
Gols: Luan, 8'/1ºT (1-0); Dátolo, 13'/2ºT (2-0)

 

ATLÉTICO-MG: : Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Leandro Donizete, Josué e Dátolo; Luan (Marion, 24'/2ºT), Diego Tardelli e Carlos. Técnico: Levir Culpi

 

CRUZEIRO: Fábio, Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Samudio; Henrique, Lucas Silva (Nilton, intervalo), Everton Ribeiro (Júlio Baptista, 17'/2ºT), Ricardo Goulart (Dagoberto, 24'/2ºT) e Willian; Marcelo Moreno. Técnico: Marcelo Oliveira

 
Do Lancenet
 



...
 
 
 
eXTReMe Tracker