Página inicial
 
Mural de recados
15.12 | Fabio
Sorteio da Copa do Brasil: Santos/AP x Sport Fluminense de Feira/BA x Santa ...
15.12 | Patativa
Foi no lacerdao hoje e fiquei impressionado com o péssima qualidade do gramado,m ...
15.12 | KLEO
CARLOS, TU ALÉM D SER PESSIMISTA, SÓ PENSA NEGATIVO, DIFERENTE DE MIM Q SOU OTIM ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
16/07/2014
17h30 | esportes - SELEÇÃO BRASILEIRA
Gallo e Tite têm a preferência de Marin
Clique e Confira.
Super Esportes 
 
O novo técnico da seleção brasileira não será um estrangeiro. Essa é a decisão dos que comandam a CBF, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. Eles querem contratar um treinador que saiba trabalhar a longo prazo e formarão uma comissão que não necessariamente esteja atrelada ao chefe. E que terá de pensar em Olimpíada e Eliminatórias ao mesmo tempo.

Marin não apontará um interino. O escolhido, ou escolhidos, deverá assumir o cargo em agosto, quando fará a primeira convocação após a Copa do Mundo. A seleção joga em setembro, nos Estados Unidos, em amistosos contra a Colômbia e o Equador.

Não está descartada uma dobradinha, que a entidade ainda não sabe como chamar. Há uma repulsa à combinação entre técnico e coordenador. Esse modelo, adotado com Felipão e Carlos Alberto Parreira, a CBF não quer repetir. Os nomes da vez são Tite e Alexandre Gallo. Marin e Del Nero gostam da postura de Gallo, de sua forma de pensar o futebol. Não é um treinador que passe a mão na cabeça dos jogadores e isso vale pontos no momento. O jeito de Felipão e Parreira de defender os atletas desagradou ao comando.

Gallo tem a base da seleção nas mãos, com sub-15, sub-17, sub-20 e sub-21. É técnico do time sub-20 e coordenador das outras categorias. Marin sabe que o time olímpico não sobrevive sem ele sobretudo a dois anos dos Jogos do Rio. Sozinho, no entanto, Gallo não tem o estofo que a CBF procura. Tampouco para sobreviver ao fogo cruzado que sempre foi para o Brasil a medalha de ouro.

Daí a necessidade da parceria com um peso pesado, no caso Tite. A campanha do Corinthians na Copa Libertadores e no Mundial de Clubes da Fifa de 2012 e os três anos no time de Parque São Jorge, basicamente com o mesmo elenco, agradam à cúpula da CBF.

Marin sabe que Tite viu todos os jogos da Copa do Mundo, que se recicla desde dezembro passado, quando largou o Corinthians, e fez viagens pela Europa. Sabe também que ele tem oferta, não confirmada, da seleção japonesa. Sabe que Tite está no mercado.

Nada está decidido, contudo. Marin não pretende anunciar o nome do novo treinador nesta quinta-feira, quando dará entrevista no Rio. Raposa que é, não fará escolhas no calor da crise. Pensa ainda em nomes para compor a nova comissão. Ex-atletas, por exemplo.

.
 
 
 
eXTReMe Tracker