Página inicial
 
Mural de recados
24.04 | Paulo
Parabéns ao povo de caruaru pelo reconhecimento do time do carcara que represent ...
24.04 | Beltrão
A vigilância tem que estar alerta, um certo clube da capital, adora oferecer cif ...
24.04 | Centralino
Lembrando a FPF que esse ano vai ser mais difícil roubar do Salgueiro, pois o se ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
14/07/2014
10h24 | esportes - SELEÇÃO BRASILEIRA
Seleção: da promessa do 'zero gol' à pior defesa na reta final das Copas
Clique e Confira.

Do Lancenet!


Nunca uma seleção foi tão massacrada em uma reta final de Copa do Mundo. A Seleção Brasileira, que bateu recordes negativos justamente quando mais se esperava dela, em casa, levará outra marca para a eternidade após o fiasco de 2014: jamais um time que chegou entre os quatro levou incríveis dez gols na hora de decidir.

A equipe, que foi para o Mundial com elogiável solidez defensiva, a dupla de zaga mais cara do mundo (quase R$ 300 milhões) e números muito positivos, fechou a Copa sendo atropelada por Alemanha e Holanda. David Luiz e Thiago Silva, que também sofreram com a falta de proteção do meio de campo, continuam sendo os principais zagueiros do país. Qual era a meta do capitão para o torneio? “Zero gol”, estipulada em 4 de junho, na Granja.

O Brasil estreou na Copa com nenhum gol sofrido em três jogos (contra África do Sul, Panamá e Sérvia) em 2014. Julio Cesar foi vencido só duas vezes na primeira fase, diante de Croácia, México e Camarões. Mais duas, nas oitavas e quartas, diante de Chile e Colômbia. A muralha desmoronou com os 7 a 1 para a Alemanha, seguido dos 3 a 0 para a Holanda no último sábado.



Em todas as Copas, seleções que disputaram as finais em duas partidas, no modelo atual, tinham sofrido, no máximo, nove gols. Foram os casos da Suécia, quarta colocada em 1938 e da Alemanha, quarta, em 1958. A primeira levou 5 a 1 da Hungria, e 4 a 2 do Brasil, enquanto que a segunda perdeu de 3 a 1 da Suécia, e 6 a 3 da França antes do adeus.

Suécia e Espanha, em fase final com três partidas, levaram 11 gols cada, em 1950, com média melhor à trágica campanha brasileira.

Dos 14 gols que o Brasil sofreu no ano (todos na Copa, pior número na história), dez aconteceram contra os mais fortes da competição. Desde que Felipão assumiu, no início de 2013, a Seleção foi vazada 29 vezes, em 29 jogos: assustadoramente, mais de um terço aconteceu na última semana.

– Eu trocaria uma Copa totalmente ruim para mim pra ter o título, pode ter certeza absoluta. Nunca fui um cara egoísta, nunca pensei só em mim. É ter humildade para ver onde errou, discernimento e maturidade para ver o que fez de bom e tentar manter no futuro, estar mais forte – disse David Luiz.

É hora de refletir. E muito...

LEMBRA?
"Zero. Zero porque a parte defensiva da Seleção é muito sólida. Acredito em todos do setor defensivo e vejo uma equipe muito bem preparada. Anos atrás, poucos falavam de nossa defesa. Agora falam muito mais e isso nos dá orgulho, motivação e ainda mais responsabilidade. Tenho confiança total e espero acertar esse número de gols" - Thiago Silva, em 4 de junho de 2014, na Granja Comary

GOLS TOMADOS NOS DOIS JOGOS FINAIS
Sempre na ordem: campeão, vice, terceiro, quarto

1930 (não houve disputa de 3o)
Uruguai: 3 gols
Argentina: 5 gols
Estados Unidos: 6 gols
Iugoslávia: 6 gols

1934:
Itália: 1 gol
Tchecoslováquia: 2 gols
Alemanha: 5 gols
Áustria: 3 gols

1938:
Itália: 3 gols
Hungria: 5 gols
Brasil: 4 gols
Suécia: 9 gols

1950 (fase final em grupo - 3 jogos):
Uruguai: 5 gols
Brasil: 4 gols
Suécia: 11 gols
Espanha: 11 gols

1954:
Alemanha: 3 gols
Hungria: 4 gols
Áustria: 7 gols
Uruguai: 7 gols

1958:
Brasil: 4 gols
Suécia: 6 gols
França: 8 gols
Alemanha: 9 gols

1962:
Brasil: 3 gols
Tchecoslováquia: 4 gols
Chile: 4 gols
Iugoslávia: 4 gols

1966:
Inglaterra: 3 gols
Alemanha: 5 gols
Portugal: 3 gols
URSS: 4 gols

1970:
Brasil: 2 gols
Itália: 7 gols
Alemanha: 4 gols
Uruguai: 4 gols

1974 (4 jogos nas finais):
Alemanha: 3 gols
Holanda: 2 gols
Polônia: 2 gols
Brasil: 4 gols

1978 (4 jogos nas finais):
Argentina: 1 gol
Holanda: 7 gols
Brasil: 2 gols
Itália: 4 gols

1982:
Itália: 1 gol
Alemanha: 6 gols
Polônia: 4 gols
França: 6 gols

1986:
Argentina: 2 gols
Alemanha: 3 gols
França: 4 gols
Bélgica: 6 gols

1990:
Alemanha: 1 gol
Argentina: 2 gols
Itália: 2 gols
Inglaterra: 3 gols

1994:
Brasil: 0 gol
Itália: 1 gol
Suécia: 1 gol
Bulgária: 6 gols

1998:
França: 1 gol
Brasil: 4 gols
Croácia: 3 gols
Holanda: 3 gols

2002:
Brasil: 0 gol
Alemanha: 2 gols
Turquia: 3 gols
Coreia do Sul: 4 gols

2006:
Itália: 1 gol
França: 1 gol
Alemanha: 3 gols
Portugal: 4 gols

2010:
Espanha: 0 gol
Holanda: 3 gols
Alemanha: 3 gols
Uruguai: 6 gols

2014:
Alemanha: 1 gol
Argentina: 1 gol
Holanda: 0 gol
Brasil: 10 gols





.
 
 
 
eXTReMe Tracker