Página inicial
 
Mural de recados
15.12 | Fabio
Sorteio da Copa do Brasil: Santos/AP x Sport Fluminense de Feira/BA x Santa ...
15.12 | Patativa
Foi no lacerdao hoje e fiquei impressionado com o péssima qualidade do gramado,m ...
15.12 | KLEO
CARLOS, TU ALÉM D SER PESSIMISTA, SÓ PENSA NEGATIVO, DIFERENTE DE MIM Q SOU OTIM ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
25/01/2014
11h23 | esportes - FUTEBOL NACIONAL
Com 'DNA ofensivo' e dupla dinâmica, Peixe vence Corinthians e leva bi da Copinha
Clique e Confira.
A histórica ofensividade do Santos, sintetizada por duplas talentosas através dos tempos, como Pelé e Coutinho, Pita e Juari, Diego e Robinho e Ganso e Neymar, parece também se reproduzir na base. Com os meninos Diego Cardoso e Stéfano Yuri, o Peixe derrotou o arquirrival Corinthians por 2 a 1, no Pacaembu, na manhã deste sábado, aniversário de São Paulo, e faturou o bicampeonato da Copa São Paulo. Foi o terceiro título do clube na competição, sendo que o primeiro, em 1984, também foi obtido diante do seu maior oponente, o Alvinegro do Parque São Jorge. No ano passado, o clube ergueu a taça ao superar o Goiás na finalíssima. O festejado 'DNA ofensivo' santista, expressão cada vez mais consagrada na Vila Belmiro, foi preservado nesta Copinha com genética de fato. O técnico Pepinho é filho de Pepe, o 'Canhão da Vila', segundo maior artilheiro do clube na história - o próprio Pepe costuma brincar dizendo que é o maior, já que Pelé, o primeiro colocado, seria um 'extraterrestre'. Stéfano e Diego Cardoso, que costuraram o gol inicial, foram os protagonistas santistas na campanha. Cada um fez oito gols e acabou na artilharia. O placar da decisão, além de endossar a potência ofensiva, ilustrou também o bom desempenho defensivo da nova geração do clube da Baixada Santista. O time levou no confronto apenas o terceiro gol no certame, uma marca nada desprezível. A garotada alvinegra, que fez nada menos que 29 gols em oito jogos no torneio, prevaleceu com toque de bola. O Corinthians, que não marcou a saída do adversário, tentou pautar seu jogo por contra-ataques e insistindo com jogadas pela direita, com Lucão e Malcom. O toque de bola do Peixe se impôs logo no primeiro tempo. Stéfano Yuri, em duas jogadasa, foi o responsável principal pela construção do placar. Primeiro aos 21 minutos, ao receber passe, ganhar no corpo da zaga corintiana e completar. A bola deu um leve desvio no goleiro Henrique e sobrou para Diego Cardoso apenas completar. Nove minutos depois, o mesmo Yuri aproveitou-se de cochilo de um adversário no meio-de-campo, tomou a bola e esticou a bola para Serginho, que ampliou. Além dos cruzamentos oriundos da direita, o Timão criou duas chances com Ayrton em chutes de longa distância. Em ambos, o camisa 1 santista, João Paulo, mostrou firmeza e colocou para escanteio. No segundo tempo, o técnico Osmar Loss, do Timão, recorreu ao colombiano Bryan, uma das sensações da Copinha, para tentar mudar o estado de coisas. Com força física e, ao que parece, apelo entre os torcedores, o atacante entrou para o tudo ou nada. E a estratégia deu resultado apenas aos 31 minutos, quando após jogada do atacante a bola sobrou para Malcom, aquele que já vinha se destacando no primeiro tempo, que fez o primeiro do Timão. O gol inflamou a massa corintiana no Pacaembu e o time passou a pressionar em busca do empate para forçar a disputa por pênaltis. O apoio da arquibancada levou o time à frente e nos minutos finais, em dois lances, quase empatou. Já nos acréscimos uma confusão na área do Santos levou à expulsão do zagueiro Naílson e do goleiro Henrique, do Corinthians. Com isso, um jogador de linha, Luiz Gustavo, teve que assumir a meta. Em uma cobrança de falta com muita força o santista João Paulo ainda foi exigido, fazendo defesa vital. A pressão corintiana, ainda assim, restou em vão e o Santos ficou com o título no ensolarado sábado do Pacaembu. FICHA TÉCNICA: SANTOS 2 X 1 CORINTHIANS Local: Pacaembu, em São Paulo (SP) Data-Hora: 25/1/2014 – 10h (de Brasília) Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP) Público/renda: 28.438 pagantes (público total - 31.481) / R$ 333.360,00 Cartões amarelos: Diego Cardoso, Paulo Ricardo (SAN) ; Lucão (COR) Cartão vermelho: Henrique (COR) e Nailson (SAN) GOLS: Diego Cardoso, aos 21'/1ºT (1-0), Serginho, aos 30'/1ºT (2-0) e Malcom, aos 31'/2ºT (2-1) SANTOS: João Paulo; Daniel Guedes, Paulo Ricardo, Naílson e Zé Carlos; Lucas Otávio, Fernando (Diego Santos, aos 37'/2ºT) e Serginho; Diego Cardoso (Gustavo, aos 46'/2ºT), Jorge Eduardo e Stéfano Yuri. Técnico: Pepinho CORINTHIANS: Henrique; Lucão, Pedro, Luiz Gustavo e Guilherme; Fabiano, Ayrton (Matheus, aos 38'/2ºT), Zé Paulo e Malcom; Léo e Lucas (Bryan - Intervalo). Técnico: Osmar Loss
...
 
 
 
eXTReMe Tracker