Página inicial
 
Mural de recados
26.04 | MARCOS LEITE
O CENTRAL PERDEU VÁRIOS BONS JOGAGORES Q DISPUTARAM O PERNAMBUCACNO DESSE ANO, A ...
26.04 | Beltrão
A próxima contratação do Central vem do : A) veloclube B) aeroclube C) Cineclub ...
25.04 | Jose Helio Pessoa
DODEIRO NÃO ATRAPALHA....O CENTRAL SÓ NÃO É MAIOR DO QUE SUA LOUCURA...TIRAR LI ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
27/11/2013
23h33 | esportes - FUTEBOL NACIONAL
Decisivos, Elias e Brocador marcam, Fla bate Furacão e é tri da Copa BR Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/CAMPEAO-Flamengo-Atletico-PR-Copa-Brasil_0_1037296523.html#ixzz2lu60nTWZ © 1997-2013 Todos os direitos reservados a Areté E

Elias e Hernane fizeram os gols da vitória por 2 a 0 do Flamengo, na noite desta quarta-feira no Maracanã lotado, e do tricampeonato da Copa do Brasil. Mas Paulinho foi o verdadeiro herói, incansável, renegando a retranca que o Fla insistiu em fazer para segurar o 0 a 0, que permaneceu até os 40 minutos do tempo final.

 

Na prática, o time da Gávea só chegou à decisão pela força inegável da sua fanática torcida, pela covardia evidente dos adversários que recuaram sem necessidade para segurar resultado, e pelo imponderável do futebol, que permite a um time fraco superar as suas próprias limitações. Logo, não seria exagero afirmar que o Atlético repetiu os demais, demorando muito a se arriscar. E também acabou castigado. E dizem que camisa não ganha mais jogo.

Foi um jogo ruim, mas dada a circunstância de uma tensão formidável. O primeiro tempo foi de uma pobreza só. Se o time carioca errava passes em excesso, sem criar nada de útil, o Atlético mantinha uma cautela absurda para quem precisava fazer pelo menos um gol, apostando demais num contra-ataque fatal. Logo, não aconteceu nada além de dois chutes longos de Luiz Antônio, um deles no travessão.

 

E, na realidade, a etapa derradeira não apresentou mudanças, pelo menos nos primeiros 15 minutos, com as equipes marcando forte, restringindo o jogo a um duelo maçante na intermediária. Daí em diante, o Atlético, sem outra opção, ameaçou sem muito sucesso uma tímida reação, enquanto o Flamengo sinalizava assumir a retranca, trocando Carlos Eduardo por Diego Silva.

 

Daí, dada a necessidade, o time paranaense passou a apertar. O Flamengo não existia sob o aspecto ofensivo. E seu recuo era um autêntico suicídio, pois já não conseguia sequer reter a bola. Mas o Atlético descuidou demais e Elias, em jogada de Paulinho, sempre ele, fez 1 a 0. A equipe do Paraná partiu com tudo. Inútil. Nos acréscimos, Hernane enfiou 2 a 0. Fim de papo. Agora só falta reforçar - e muito - o time para a Libertadores.

 

 

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 x 0 ATLÉTICO-PR

 

 

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ
Data/Hora: 27/11/2013, às 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS)
Cartões Amarelos: Samir (FLA) e Dellatorre (CAP)
Cartões vermelhos: Ciro (CAP) e André Santos (FLA)

 

Gols: Elias, aos 42/2ºT (1-0) e Hernane, aos 49'/2ºT (2-0)

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura (González, aos 40'/2ºT), Samir, Wallace e André Santos; Amaral, Luiz Antonio, Elias (João Paulo, 44'/2ºT) e Carlos Eduardo (Diego Silva); Paulinho e Hernane. Técnico: Jayme de Almeida.

ATLÉTICO-PR: Weverton, Juninho (Cleberson, 32'/2ºT), Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Deivid, Zezinho, Felipe (Dellatorre, 11'/2ºT) e Paulo Baier; Marcelo e Éderson (Ciro, 18'/2ºT). Técnico: Vagner Mancini.





.
 
 
 
eXTReMe Tracker