Página inicial
 
Mural de recados
23.05 | MARCOS LEITE
PERDEMOS UMA BATALHA, MAS NÃO PERDEMOS A GUERRA VAMOS GANHAR O CORURIPE, CENTRAL ...
22.05 | Davi
Essa Racreche sei não viu... ...
22.05 | Aldery
Alguém lembra aqui da Série B de 1997? Da parceria entre Central e Cadimo Barros ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
28/07/2013
18h24 | esportes - SÉRIE A
SÉRIE A: Com futebol convincente, Náutico vence Internacional por 3 a 0 e renasce
Clique e confira!
Do Super Esportes
 
Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Era o líder contra lanterna da Série A. Com todas as estatísticas favoráveis ao Internacional. Toda a pressão do mundo nos ombros do Náutico. Que precisava vencer para renascer. Surpreender. E nem precisava ser com uma goleada por 3 a 0 - com gols de Derley, Maikon Leite e Rogério. O Timbu fez o “improvável”. Fez o necessário, simples assim. No embalo da estreia de Maikon Leite, Tiago Real e Peña, o novo Náutico venceu pela primeira vez na sua nova casa. No embalo dos antigos Derley e Rogério, fez do Timbu o antigo Timbu. 

 

O time de Zé Teodoro, enfim, convenceu. Com o futebol demonstrado na tarde deste domingo, na Arena Pernambuco, ainda não saiu da zona de rebaixamento. Mas deixou a sensação de que ela é apenas temporária. Chegou aos 7 pontos e agora só volta a jogar no próximo dia 7 de agosto, contra o Goiás, no estádio Serra Dourada, em Goiânia - já que os jogos das rodadas seguintes, contraSantos e São Paulo, foram adiadas e ainda não tem data para acontecer.

 

Pode não ter sido um primeiro tempo perfeito. Talvez, até longe disso. O Timbu pode, inclusive, não ter nem chegado tão perto de abrir o palcar. Mas, ainda assim, já se pode dizer sem medo: o Náutico evoluiu. Fez o seu melhor início de jogo na Série A. Tocou bem a bola, envolveu o adversário e, por vezes, não só equilibrou o jogo como também esteve melhor em campo. Bem postado defensivamente, a intenção de primeiro não querer sofrer perigo e só depois ir em busca do gol ficava evidenciada pelo esquema desenhado no 4-5-1, com Olivera "isolado" no ataque.

 

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
O Inter só chegou com certo perigo uma vez. Aos 31, Forlán recebeu passe de Alan Patrick, driblou Ricardo Berna e William Alves salvou o gol adversário. Ao Náutico, faltava o último passe. Peña e Derley vacilaram no passe final. Aos 42, Maikon Leite recebeu ótimo lançamento de Tiago Real e foi travado na hora de mandar para as redes por Ronaldo Alves. O Náutico voltará ainda melhor depois do intervalo.

Se o Timbu já tinha feito a melhor etapa da competição, o segundo tempo foi ainda mais empolgante. Faltava o gol. Após falhar na defesa, o zagueiro Luiz Eduardo quase marca de cabeça. Edinei salvou em cima da linha, aos 4 minutos. Elicarlos, Peña e Maikon Leite perderam mais chances. Jorge Henrique respondeu pelo Inter para uma grande defesa de Berna, aos 17.

O jogo seguia quente, pegado. Porém, com o Timbu sempre mais perto do gol. Gol que estava maduro, próximo de acontecer. E aconteceu aos 26 minutos. Auremir achou Derley dentro da área e o volante mandou uma bomba, marcando um golaço. A partir daí, o Náutico foi só coração. O técnico Zé Teodoro resolveu fechar o time na defesa e até o apito final, o coração do torcedor ficou pequeno, apertado. Mas aliviado. Feliz quando viu dois gols saírem rápido, em dois contra-ataques. Rogério deixou Maikon Leite na cara do gol e o estreante não perdoou, aos 44. No minuto seguinte, foi a vez de Rogério aproveitar o vacilo do Colorado e ele mesmo fazer o dele. A primeira vitória alvirrubra, suada, sofrida, estava decretada.

Náutico 3

Ricardo Berna; Auremir, William Alves, Jean Rolt e Luiz Eduardo (João Filipe); Elicarlos, Derley, Tiago Real e Ángelo Peña (Rodrigo Souto); Maikon Leite e Olivera (Rogério).

Técnico: Zé Teodoro.

Internacional-RS 0

Muriel; Ednei, Ronaldo Alves, Juan e Kleber; Willians, Josimar (Mike), Jorge Henrique e Alan Patrick (Dátolo); Forlán e Rafael Moura (Caio).

Técnico: Dunga.

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA). Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Marcio Gleidson Correia Dias (PA). Gols: Derley, Maikon Leite e Rogério (N). Cartões amarelos: Derley (N). Kleber (I). Público: 19.488. Renda: R$ 517.280,00.

Notas

Ricardo Berna 7

Auremir 6

William Alves 6,5

Jean Rolt 6

Luiz Eduardo 5,5

(João Filipe) 5

Elicarlos 7

Derley 8

Tiago Real 7,5

Ángelo Peña 7

(Rodrigo Souto) 5

Maikon Leite 7,5

Olivera 3

(Rogério) 8,5

.
 
 
 
eXTReMe Tracker