Página inicial
 
Mural de recados
24.06 | Kaio SGD
Olha nos desfalque só o que poder atrapalhar é o desfalque de Agenor o resto pod ...
23.06 | Antonio
Olha a quantidade de possíveis desfalques que o Central pode ter no jogo, é muit ...
23.06 | Danilo
http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2017/06/empresario-ilu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
30/05/2013
00h13 | esportes - Libertadores
Acabou! Com pênaltis duvidosos, Flu perde e está fora da Libertadores

Não foi desta vez. De novo. Pela quarta vez nos últimos seis anos o sonho do Fluminense de conquistar a Copa Libertadores foi por água abaixo. E novamente por uma equipe tecnicamente inferior. Acontece, outras virão. Só não se sabe quando. A derrota de virada para o Olimpia (PAR), por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Defensores del Chaco, foi dolorosa. Mas são os paraguaios que estão na semifinal. E os tricolores terão que esperar outra edição do torneio para reviver o "Sonho da América".

Os dois gols da vitória dos donos da casa foram marcados pelo atacante Juan Manuel Salgueiro. Um deles, o segundo, em um pênalti um tanto quanto duvidoso marcado pelo árbitro uruguaio Daniel Fedorczuk. Antes disso, porém, Rhayner abriu o placar para o Flu. Com o resultado, a primeira semifinal desta Libertadores já está definida: será entre Olimpia e Santa Fé (COL), mas apenas depois da Copa das Confederações.

PRIMEIRO TEMPO

Apesar de jogar em casa, o Olimpia optou por manter a tática utilizada no jogo de ida e evitou partir para o ataque logo nos primeiros minutos. Assim, quem acabou tomando a iniciativa foi o visitante Fluminense. E deu certo. Logo aos nove minutos, após uma lambança do zagueiro Manzur, o meia-atacante Rhayner aproveitou a falha paraguaia, encobriu o goleiro e mandou para o fundo das redes. Parecia que a classificação estava encaminhada. Mas só parecia.

Dez minutos após ter sofrido o gol, o técnico Éver Almeida resolveu, enfim, colocar o Olimpia para o ataque. E foi aí que ele mudou o jogo. A entrada do atacante Ferreyra no lugar do volante Caballero transformou a equipe paraguaia. De um time defensivo e limitado, passou a ser ofensivo, envolvente e perigoso. Conforme o primeiro tempo passava, o Rei de Copas crescia na partida e via a torcida acompanhar o ritmo. Nesta hora, todos sabiam que o gol era questão de tempo.

Aos 34, depois de muito tentar - e também de muito errar - o atacante Salgueiro cobrou uma falta direto para o gol, pegou o goleiro Diego Cavalieri desprevenido e deixou tudo igual no Defensores del Chaco. A igualdade no placar deu mais confiança para os paraguaios. E o Flu, apesar da experiência e da qualidade, se viu acuado na defesa. Mas o piora ainda estava por vir. Aos 40, o juiz Daniel Fedorczuk viu um pênalti duvidoso de Digão em Bareiro. Salgueiro bateu e fez o segundo.

SEGUNDO TEMPO

Logo no primeiro minuto da etapa final, os tricolores viram o sonho da Libertadores quase ficar ainda mais longe. Após uma bola perdida por Jean no meio de campo, o Olimpia puxou um belo contra-ataque com dois jogadores contra apenas um do Fluminense, mas o erro de passe de Bareiro acabou evitando aquilo que poderia quase garantir a classificação. Mas as chegadas paraguaias ao ataque foram fatos raros no segundo tempo. A maior parte dele foram os brasileiros que atacaram.

Mas os tricolores se viram em uma situação bem parecida com a vivida no jogo de ida, em São Januário: furar o bloqueio dos paraguaios era uma tarefa um tanto quanto complicada. Principalmente porque, ao contrário do que aconteceu na semana passada, os adversários usaram a tática de distribuir pancadas pelo campo. Assim, o jogo não conseguia correr, conforme queriam os brasileiros. Conforme o tempo passava, o técnico Abel Braga colocava a equipe mais para o ataque.

Como já era esperado, os minutos finais foram repletos de emoção em Assunção. Ciente de que precisava de apenas um gol, o Fluminense partiu com tudo para o ataque. Em uma das investidas, chegou a ter um pênalti não marcado pelo árbitro, quando Samuel foi derrubado na área e nada foi assinalado. Entre tentativas de segurar o jogo por parte do o Olimpia e desespero no lado brasileiro, venceram os paraguaios. E mais uma vez o sonho do Fluminense não aconteceu.

FICHA TÉCNICA
OLIMPIA 2X1 FLUMINENSE

Local: Defensores del Chaco, Assunção (PAR)
Data/Hora: 29/5/2013, às 22h00 (de Brasília)
Árbitro: Daniel Fedorczuk (Fifa-URU)
Auxiliares: Miguel Nievas (Fifa-URU) e Carlos Pastorino (Fifa-URU)
Público/Renda: Não divulgados
Cartões amarelos: A. Silva, Candia, Ortíz (Olimpia); Digão, Jean (Fluminense)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Rhayner, 9'/1ºT (0-1); Salgueiro, 34'/1ºT (1-1) e 40'/1ºT (2-1).

OLIMPIA: Martín Silva; Miranda, Manzur e Candia; A. Silva, Caballero (Ferreyra, 20'/1ºT) (Báez, 43'/2ºT), Ortíz, Pérez e Salinas; Bareiro e Salgueiro (Paredes, - Técnico: Ever Almeida.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Bruno (Thiago Neves, 17'/2ºT), Digão, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean (Samuel, 23'/2ºT) e Wágner; Rhayner, Wellington Nem (Rafael Sobis, 31'/2ºT) e Fred - Técnico: Abel Braga.


.
 
 
 
eXTReMe Tracker