Página inicial
 
Mural de recados
25.06 | Sandro centralino
Deixem de conversar merda. Hoje é dia de apoiar o central e vos ficam discutindo ...
25.06 | Antonio
Almir Dias no jogo contra o Coruripe foi essencial, participou de dois dos três ...
25.06 | Kaio SGD
Tás assistindo os jogo. Dizer q ele jogou até agora pelo amor de Deus ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
26/05/2013
22h39 | esportes - Futebol
Renda de quase R$ 7 mi em Brasília quebra recorde de bilheteria nacional

Do globoesporte.com 

A despedida de Neymar do Santos, por si só, já seria motivo para eternizar o jogo entre Flamengo e Santos, disputado no Mané Garrincha, em Brasília. No entanto, quando o placar anunciou a renda arrecadada com o duelo, o astro que se despede rumo ao Barcelona foi ofuscado por um número bem maior que o 11 que carrega às costas. Os quase R$ 7 milhões (R$ 6.948.710,00) entram para a história como o maior valor absoluto de bilheteria do futebol brasileiro.

Até então, o maior valor absoluto em um jogo entre clubes havia sido os R$ 4.484.282,25 da partida entre São Paulo e Internacional, na semifinal da Libertadores de 2010, bem aquém do alcançado neste domingo. Pelo Brasileirão, a diferença é ainda maior. Em 2010, o Fluminense foi tricampeão no Engenhão, diante do Guarani, com renda de R$ 2.859.450. O que impressiona é que nem mesmo se esses dois recordes antigos fossem corrigidos pela inflação chegariam perto da nova cota. Em jogos da seleção brasileira, o recorde pertence a Brasil 0 x 0 Argentina, pelas eliminatórias para a Copa de 2010: R$ 6.605.255.

A carga total de ingressos do Mané Garrincha para a estreia de Flamengo e Santos no Brasileiro era de 69.200, além de 1.500 camarotes. A capacidade total do estádio é de cerca de 71 mil lugares. Os setores com mais cadeiras vazias foram os inferiores atrás dos gols.

O Santos vendeu o mando de campo para a Federação Brasiliense por R$ 800 mil. Questionado se estaria arrependido, o vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues, se justificou, dizendo que o valor está bem acima da média de arrecadação do Santos com jogos na Vila Belmiro ou em São Paulo.


.
 
 
 
eXTReMe Tracker