Página inicial
 
Mural de recados
29.04 | Paulo alvinegro
Gostei muito da contratação de Marcelo bonan excelente goleiro. ...
28.04 | Antonio
Esse Danilo Costa parece ser um monstro na zaga ...
28.04 | Anderson
Esse zagueiro Danilo parece ser um bom jogador para a nossa PATATIVA!!!! ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
29/11/2012
16h38 | esportes - SELEÇÃO BRASILEIRA
Apelo patriótico: Felipão e Parreira pedem povo ao lado da Seleção

Do globoesporte.com 

A primeira medida da parceria Felipão-Parreira no comando da seleção brasileira não foi de ordem técnica, não envolveu questões táticas, não foi organizacional. Foi de oratória. Não por acaso, tanto o treinador quanto o coordenador esparramaram um discurso patriótico em sua apresentação oficial como novos comandantes do vestiário verde-amarelo, nesta quinta-feira, em um hotel na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Desde já, eles apelam ao povo: querem o torcedor ao lado do time.

Eles se alicerçam em três exemplos de união entre fãs e jogadores: a seleção brasileira de 2002, com a chamada Família Scolari, a equipe portuguesa na Eurocopa de 2004 e a África do Sul em 2010. As duas primeiras foram treinadas por Scolari; a terceira, por Parreira.

Eles sabem que o momento não é fácil. Faltando menos de dois anos para a Copa, o trabalho na Seleção será praticamente reiniciado. Por isso, pedem a ajuda do torcedor, por mais desconfiado que ele esteja.

- A torcida pode não estar confiante, pode ter alguma dúvida, mas vamos trabalhar para que esse conceito, de que temos a obrigação de vencer a Copa, seja entendido por nosso torcedor. A ideia é fazermos novamente uma composição de união, de um ambiente de envolvimento entre a Seleção e a população, para chegarmos confiantes e termos uma participação importante - disse Felipão, citando o caso de 2002.

luiz felipe scolari felipão brasil copa do mundo 2002 (Foto: Agência Getty Images)
Felipão conquista apoio popular e ganha a Copa do Mundo de 2002 (Foto: Agência Getty Images)

Scolari e Parreira se apegam ao que viveram em seleções que sediaram torneios importantes e tiveram forte parceria popular. Foi assim com Portugal, finalista da Eurocopa em 2004. O país viveu uma forte onda patriótica - um movimento apagado desde a Revolução dos Cravos, com a queda da ditadura nos anos 70 no país.

- Lembra de Portugal? Vivi a situação em Portugal na Euro. Era assim. E o povo foi crescendo junto com a seleção, que fez um campeonato maravilhoso. É isso que esperamos que aconteça no Brasil - comentou o treinador.

Parreira viveu exemplo ainda mais recente. Em 2010, por sediar a Copa do Mundo, a África do Sul mergulhou em um clima de orgulho nacional. Uma frase dita pelos torcedores ao treinador virou lema da seleção: "Make us proud", que significa "nos deixe orgulhosos" em português.

- Cabe a nós fazer com que a seleção se envolva com o torcedor. Na África do Sul, o torcedor nos dizia: "Coach, make us proud". Virou até outdoor. Temos que fazer com que o torcedor se sinta orgulhoso da seleção. Uma semana antes da Copa, houve uma passeata de 300 mil pessoas em Joanesburgo para nos apoiar - relembrou Parreira.

áfrica do sul placa parreira copa do mundo 201 wake us proud (Foto: Alexandre Alliatti/Globoesporte.com)
Outdoor na África do Sul em 2010 pede que seleção local deixe os torcedores orgulhosos
(Foto: Alexandre Alliatti/Globoesporte.com)

O novo coordenador da Seleção também resgatou um exemplo vivido por ele antes da Copa de 1994. Com Maracanã lotado, o Brasil fez 2 a 0 no Uruguai e garantiu vaga no Mundial.

- Em 1993, nós fomos ao Maracanã e levamos quase três horas para chegar lá, porque o povo nos parava na rua. Aquilo nos deu uma força. Chegamos em campo e fizemos uma das melhores atuações da Seleção em todos os tempos. Foram 120 mil pessoas no Maracanã pulsando num coração só - disse Parreira.

- A seleção precisa se sentir em casa, precisa se sentir amparada - completou.

Em 6 de fevereiro, a nova comissão técnica da Seleção fará sua estreia. Mas fora do Brasil. Será em Londres, contra a Inglaterra.


.
 
 
 
eXTReMe Tracker