Página inicial
 
Mural de recados
21.04 | Paulo alvinegro
Aleluia,aleluia a paz voltou ao central será mesmo vamos aguardar. ...
21.04 | Manoel
AGORA VAI GERA UMA NOVA PESPEQUITIVA NO CENTRAL COM A UNIÃO DA DIRETORIA, SÓ NÃO ...
20.04 | Manoel
Agora não há mais tempo para fazer mudanças acho que Lucius foi o pior president ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
20/09/2012
08h49 | esportes - FUTEBOL NACIONAL
Flamengo usa 51 jogadores, testa 49 formações diferentes e segue sem 'cara' em 2012

Do UOL Esporte 

Do goleiro ao centroavante, o torcedor tem na ponta da língua as escalações das equipes que fizeram história em seu clube do coração. Este cenário, no entanto, está cada vez mais difícil de acontecer no Flamengo em 2012. Longe de ser motivo de alegria para a maioria dos apaixonados, o rubro-negro não consegue criar uma identidade. Com 51 jogadores utilizados desde o início do ano e 49 formações diferentes testadas em 52 partidas, o time segue sem uma "cara" na atual temporada e mostra através dos números a dificuldade de encaixar uma boa sequência nas competições disputadas.

As variações de jogadores e escalações assustam e estão bem acima da realidade dos rivais cariocas em 2012. No Vasco, que teve parte do elenco reformulado, apenas 38 jogadores foram utilizados. O Fluminense, por sua vez, testou 36 atletas e o Botafogo trabalhou até o momento com 34 nomes.

 Entre amistosos, Campeonato Carioca, Copa Libertadores e Brasileiro, o Flamengo só conseguiu repetir a mesma formação de um jogo para o outro em sequência em apenas uma oportunidade, no início de abril. Fora isso, com lesões, suspensões, convocações e opções técnicas, os mais de 50 jogadores se revezaram entre as partidas e apresentaram enorme dificuldade de entrosamento.

Jogadores que mais atuaram na temporada, Léo Moura e Vagner Love são os únicos "garantidos" na escalação da memória dos torcedores. Nem mesmo Felipe e Welinton, outros líderes em participações no ano, são lembrados constantemente. O primeiro disputou por um bom tempo a vaga com Paulo Victor, enquanto o zagueiro por diversas vezes não conseguiu ter uma sequência na defesa.

Mesmo há pouco tempo no clube, o lateral esquerdo Ramon não demorou a reconhecer o problema e disse acreditar que o time pode pagar caro pelas intermináveis mudanças a cada jogo. Para ele, as repetidas mudanças de técnico acabam determinando isso.

"Eu costumo prezar que a continuidade é essencial em tudo na vida. E aqui no time não é diferente. Infelizmente, não estamos tendo isso e podemos pagar lá na frente. O time não encaixa, chega um novo técnico e precisa reformular tudo. É sempre assim. E ele [treinador] precisa mexer, testar, buscar o time ideal, conhecer o estilo de cada jogador... E nessa fase do campeonato, que seria a hora em que o time teria que estar entrosado, começamos tudo do zero", lamentou o jogador, que atua em uma das posições que sofreu menos alterações durante o ano.

MUDANÇAS CONSTANTES

A continuidade é essencial em tudo na vida. Infelizmente, não estamos tendo isso e podemos pagar lá na frente. Nessa fase [atual] do campeonato, que teríamos que estar entrosados, começamos tudo do zero

Ramon, lateral esquerdo do Flamengo

Foram três laterais esquerdos testados em 2012, mesmo número de goleiros. Além de cinco laterais pela direita, oito zagueiros, 11 volantes, 10 meias e 11 atacantes que atuaram pelo Flamengo nesta temporada. Atualmente, o técnico Dorival Júnior trabalha com cerca de 25 atletas e tenta minimizar os problemas de entrosamento acumulados ao longo da temporada.

Para a próxima partida, mesmo sem repetir a escalação do último domingo, o treinador conseguirá manter a base da equipe e fazer apenas uma alteração. Adryan, que marcou um golaço de falta e garantiu o empate por 1 a 1 com o Grêmio substituirá Léo Moura, suspenso. A formação, mais uma vez, será inédita, completando 50 escalações diferentes no ano.

Mais do que uma "cara" neste final de temporada, Dorival Júnior precisa encontrar uma solução para que o Flamengo não deixe os elevados números se transformarem em uma mancha na história do clube. Restando 14 jogos para o encerramento do Campeonato Brasileiro, o rubro-negro luta para encontrar um entrosamento que ainda não aconteceu e se afastar da tão temida zona do rebaixamento da competição.


.
 
 
 
eXTReMe Tracker