Página inicial
 
Mural de recados
21.09 | Paulo alvinegro
É muito engraçado o presidente do central pra conseguir falar com o prefeito de ...
21.09 | MARCOS LEITE
FOI UMA BOA PRO CENTRAL, O NÁUTICO FAZER ESSES JOGOS NO LACERDÃO, O CENTRALZÃO P ...
21.09 | cleo
PERDEMOS UMA BATALHA, MAS NÃO PERDEMOS A GUERRA NA OUTRA QUARTA EM PESQUEIRA CON ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
07/09/2012
09h06 | esportes - AMISTOSO
AMISTOSO: Brasil x África do Sul - 15h45 - Morumbi - São Paulo/SP
Clique e Confira >>>

Fazer o primeiro gol da Copa do Mundo em seu país, com estádio lotado, e virar ídolo nacional. Objetivo que os badalados jogadores da seleção brasileira buscam com fervor em 2014. E que um adversário no amistoso desta sexta-feira já conseguiu. Craques, milionários, cobiçados, Neymar, Lucas, Oscar, Leandro Damião & cia., quem diria, querem se igualar a Siphiwe Tshabalala, autor do primeiro gol do último Mundial, na África do Sul.

No dia 11 de junho de 2010, o meia-atacante levou quase 100 mil pessoas ao delírio no Soccer City com um golaço de pé esquerdo, no ângulo mexicano. O empate por 1 a 1 não apagou seu status de herói do país. Um posto com o qual todos sonham ocupar no dia 12 de junho de 2014, no futuro estádio do Corinthians, data e local em que o Brasil vai abrir a Copa. Nesta sexta-feira, às 15h45m (de Brasília), no Morumbi, os candidatos brasileiros estarão frente a frente com o jogador que, mesmo com salário e fama bem mais modestos, já entrou para a história. 

Siphiwe Tshabalala comemoração Bafana Bafana (Foto: AFP)Tshabalala comemora o gol que o colocou na história da África do Sul na Copa de 2010 (Foto: AFP)

A história de Tshabalala, que vai completar 28 anos no próximo dia 25 de setembro, tem aspectos semelhantes ao dos craques brasileiros. Nasceu num bairro pobre de Joanesburgo, uma das principais cidades da África do Sul, começou cedo no futebol, aos sete anos, e encarou dificuldades para seguir carreira. Mas tem diferenças marcadas pelo racismo. Ele só foi jogar bola ao lado de brancos pela primeira vez na adolescência, e agora afirma, orgulhoso, que a Copa do Mundo mudou sua vida.

A vida dos jovens brasileiros já mudou bastante, mas a Copa pode ser o impulso definitivo para entrarem numa galeria em que, segundo eles mesmos, ainda não têm lugar. Durante a semana de preparação, em Cotia, os queridinhos da atual Seleção, Neymar e Lucas, citaram por mais de uma vez ídolos consagrados, como Pelé, Romário, Ronaldo, Ronaldinho... Para eles, a partida contra a África é a chance de começarem a conquistar o público e almejarem um lugar no “hall da fama”.

Neymar coletiva Seleção Brasileira (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Neymar foi comparado a Tshabalala por Benni
McCarthy (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

- Uns viram Pelé jogar, outros Romário, outros Ronaldo... Eles fizeram tudo pela Seleção e o povo ficou mal acostumado. Eles ganharam muitos títulos e agora é nossa vez. Temos de trabalhar muito para reconquistar o povo brasileiro e trazer alegria de volta - disse Neymar.

Neymar que, aliás, já foi comparado a Tshabalala. A opinião é parcial, diga-se. Veio do atacante Benni McCarthy. Convocado após um afastamento de dois anos, por indisciplina, o maior artilheiro da história dos Bafana Bafana fez elogios ao craque do Santos, mas alertou:

- O Neymar é um grande jogador, mas também temos nosso Neymar. O Tshabalala gosta de driblar e é muito bom nas jogadas de velocidade.

A presença dos sul-africanos também servirá para a passagem do bastão de país-sede da Copa do Mundo. Em 2010, eles sediaram pela primeira vez a competição, conquistada pela Espanha. Um marco na história, já que nunca, desde 1930, haviam sido disputados dois Mundiais consecutivos longe da Europa.

Na África do Sul, não havia grande expectativa sobre os resultados da seleção Bafana Bafana, como é chamada a equipe local. Nem a eliminação ainda na primeira fase abalou a relação entre torcedores e jogadores. O clima de festa era tanto que antes mesmo da estreia, sem a concordância do então técnico Carlos Alberto Parreira, o grupo desfilou em carro aberto.

No Brasil, em 2014, todos os jogadores da Seleção pentacampeã estão cientes de que, além do clima de euforia por sediar o evento, assim como na África, haverá uma cobrança forte pelo título. Por isso, o goleiro Diego Alves, titular nesta sexta, quer o povo ao lado da Seleção, contra a África e toda a história de Tshabalala.

- Temos de mostrar capacidade e fazer de tudo para trazer o torcedor de volta para nosso lado. Isso faz parte da construção do time e precisamos ter todos conosco.

BRASIL X ÁFRICA DO SUL
Diego Alves; Daniel Alves, Dedé, David Luiz e Marcelo; Romulo, Ramires, Oscar e Lucas; Neymar e Leandro Damião.Khune; Gaza, Sangweni, Khumalo e Masenamela; Matlaba, Dikgacoi, Furman e Tshabalala; Serero; McCarthy.
Técnico: Mano MenezesTécnico: Gordon Igesund
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina). Auxiliares: Diego Bonfa e Gustavo Rossi (ambos da Argentina)
Data: 07/09/2012. Horário: 15h45m (de Brasília) Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker