Página inicial
 
Mural de recados
21.08 | MARCOS LEITE
GUSTAVO, PELO Q ACOMPANHO O FUTEBOL DOS 26 ESTADOS DO BRASIL E MAIS O DF, O ATLÉ ...
21.08 | Antonio do Salgado
Que vaidade danada desses empresarios em ser presidente do Central, porque nao a ...
21.08 | Kaio
Mais 2 anos no poço ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
15/04/2010
00h34 | esportes - libertadores
Fla joga como se estivesse classificado, mas corre sério risco de adeus precoce
Apático, time é derrotado por 2 a 0 pelo Universidad Católica e termina quinta rodada como penúltimo entre os segundos lugares das oito chaves

O Flamengo foi para o Chile em clima de final. Só uma vitória em Santiago manteria o time dependendo apenas de si para chegar às oitavas. Andrade, que ameaçara ser cauteloso, armou o time com dois atacantes e Petkovic. Mas da teoria para a prática houve um abismo. O time entrou em campo sem postura alguma de decisão. Perdeu por 2 a 0 e ficou em situação dramática na Libertadores

Com sete pontos no Grupo 8, o Flamengo termina a rodada como o sétimo entre os atuais segundos colocados, à frente apenas do Racing, que perdeu para o Corinthians por 2 a 0 nesta quarta. O time uruguaio tem os mesmos sete pontos do Flamengo, mas perde no saldo ( -1 a 1). Classificam-se apenas os seis melhores entre os vices.

No momento, só o Grupo 4 tem o primeiro e o segundo colocados com menos de dez pontos (Libertad e Universitario, com nove). Desta forma, é uma chave a ser observada com atenção pelos rubro-negros. Nesta quinta-feira, o Libertad enfrenta o Blooming, às 19h30m, fora de casa. No mesmo horário, o Lanús recebe o Universitário. Se o Lanús vencer, e o Libertad perder, o Flamengo ultrapassará o segundo colocado desta chave em caso de vitória na próxima semana.

Na última rodada, o Flamengo enfrenta o Caracas, quarta-feira, no Maracanã. Precisa, primeiro, jogar como um time que busca a classificação. Depois, vencer e torcer. Antes, os rubro-negros fazem a final da Taça Rio, domingo, às 16h, contra o Botafogo. Adriano, recuperado da lombalgia que o tirou do jogo no Chile, reforça a equipe.

O primeiro tempo em Santiago foi desesperador para o Flamengo do início ao fim. Na primeira jogada de perigo, Valenzuela levantou a bola na direção de Morales, que estava marcado por Ronaldo Angelim. Álvaro abandonou seu posto e correu para a bola. Ele e Angelim pularam juntos, mas não chegaram nem perto de ameaçar Morales. Era a insistente dificuldade rubro-negra na bola aérea dando as cartas logo de cara. O atacante desviou a bola para trás e Damian Diaz, que não foi acompanhado por Willians, entrou livre para tirar de Bruno: 1 a 0, com apenas dois minutos.

Agência/EFE

Petkovic fez duas boas jogadas no fim do primeiro tempo, mas ficou parado em várias outras

O cenário era desolador para os rubro-negros. O Universidad Católica girava a bola de um lado para o outro sem ser incomodado. Willians, Maldonado e Toró corriam quase sempre atrasados. Petkovic parecia um mero torcedor dentro de campo. 

Com o meio de campo mal na partida, a bola só chegava a Vagner Love e Bruno Mezenga na base do chutão. Foram raríssimas as vezes em que o Flamengo conseguiu trocar mais de três passes no campo adversário. Em uma delas, aos oito, Willians rolou para Léo Moura, que foi ao fundo e cruzou. Love tentou completar de letra, mas o goleiro abafou a jogada.

Do outro lado, os chilenos passeavam. Aos 17, Morales recebeu passe em profundidade, deixou Álvaro a metros de distância, mas chutou por cima. O zagueiro só teria mais uma participação na partida. Aos 22, ao tentar cortar uma bola na área, Álvaro se machucou e deu lugar a Fabrício.

A troca na zaga não mudou o panorama. Era o Universidad que continuava dominando. O Flamengo andava em campo, como se não estivesse em jogo a vaga na segunda fase. Aos 25, Silva correu em diagonal da esquerda para a direita, tocou entre as pernas de Maldonado, tirou Angelim da jogada, e chutou. A bola desviou em Fabrício e foi para escanteio.

Aos 32, Love conseguiu finalmente sua primeira arrancada na partida. O atacante rolou para Bruno Mezenga, que tentou cavar falta inutilmente.

Até ali, Petkovic continuava participando pouco. Mas duas jogadas do sérvio poderiam ter mudado o rumo do primeiro tempo. Aos 35, Pet recebeu de Juan e chutou cruzado, obrigando o goleiro Garces a fazer defesa importante. Aos 40, o meia deu passe milimétrico para Willians, que teve a chance de completar de primeira. Em vez disso, preferiu driblar o zagueiro, adiantando demais a bola  e permitindo a saída de Garces.

Quando o time parecia só esperar o fim da etapa inicial para corrigir as falhas no intervalo, Leonardo Moura roubou uma bola no meio e iniciou bom contra-ataque. O que parecia esperança virou drama. O lateral tentou passar para Petkovic e errou. Na sequência, Silva recebeu na esquerda, sem Leo Moura por perto. O chileno cruzou e Fabrício chegou atrasado. Morales também não alcançou, mas acabou atrapalhando Bruno. Quando o goleiro pulou, já era tarde: 2 a 0.

- Agora temos de tentar fazer um gol para diminuir o saldo, que é importante - dizia um realista Angelim na saída de campo.

Andrade muda e time melhora, mas para na trave e em Garces

As duas jogadas nos minutos finais do primeiro tempo não foram suficientes para manter Petkovic em campo. Para o segundo tempo, Andrade tirou não só o sérvio, mas também o estranhamente disperso Willians. O técnico apostou em Fierro e Vinícius Pacheco.

O time até melhorou, mas os espaços na defesa aumentaram. Aos nove, Mirosevic entrou livre e quase fez o terceiro.

Precisando desesperadamente de um gol, o Flamengo se lançou ao ataque como podia. As principais jogadas saíam pelo lado direito. Por ali, aos dez, Pacheco fez boa jogada individual e chutou rente à trave. Cinco minutos depois, Mezenga recebeu de Love e bateu forte. Garces apareceu bem e jogou para fora.

Aos 19, o grande momento rubro-negro no segundo tempo. Fierro cruzou na cabeça de Love, mas o zagueiro deu um leve desvio antes do arremate. Na sobra, Juan acertou uma bomba na trave. O panorama era outro.

Apesar da leve pressão rubro-negra, a melhor chance foi dos chilenos. Aos 32, Diaz cruzou e Bruno passou pela bola. Ela sobrou limpa para Morales, que, debaixo da trave, conseguiu chutar por cima do travessão. 

Aos 45, a chance derradeira para os rubro-negros. Depois de discutir com Mezenga para saber quem bateria, Fabrício cobrou falta de longa distância, e Garces segurou sem maiores problemas. Era o fim da noite melancólica para o caro time do Flamengo, perto de transformar o alto investimento em vexame. 

Ficha técnica: 

UNIVERSIDAD CATÓLICA 2 x 0  FLAMENGO
Garces, Fuentes, Ponce (Diego Resende), Henríquez, Valenzuela, Ormeño (Rubio), Martínez (, Francisco Silva, Mirosevic, Damian Díaz, Juan Morales.Bruno, Léo Moura, Álvaro (Fabrício), Ronaldo Angelim e Juan; Toró, Maldonado, Willians (Fierro) e Petkovic (Pacheco); Vagner Love e Bruno Mezenga.
Técnico: Marco A. Figueroa.Técnico: Andrade.
Gols: Damian Díaz, aos 2 minutos, e Silva, aos 45  do primeiro tempo
Cartões amarelos: Ponce (U. Católica).
Estádio: San Carlos de Apoquindo. Data: 14/04/2010. Árbitro: Sergio Pezzota (ARG). Auxiliares: Norberto Moyano (ARG) e Ariel Bustos (ARG).


.
 
 
 
eXTReMe Tracker