Página inicial
 
Mural de recados
21.08 | MARCOS LEITE
GUSTAVO, PELO Q ACOMPANHO O FUTEBOL DOS 26 ESTADOS DO BRASIL E MAIS O DF, O ATLÉ ...
21.08 | Antonio do Salgado
Que vaidade danada desses empresarios em ser presidente do Central, porque nao a ...
21.08 | Kaio
Mais 2 anos no poço ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
06/02/2010
14h58 | esportes - tragédia
Jovem morre na Argentina após briga de torcida
Torcedor de 14 anos leva quatro tiros, sendo três deles na cabeça

Um menino de 14 anos morreu nesta sexta-feira no hospital da cidade de Rosário, na Argentina, após a partida entre Newell's Old Boys e Huracán, válida pela segunda rodada do Torneio Clausura.

Walter Cáceres retornava a Rosário em um ônibus com outros torcedores quando os pneus do veículo foram estourados. Os ocupantes desceram e foram recebidos a tiros, Cáceres foi baleado quatro vezes, três na cabeça. Alguns dos torcedores que estavam no ônibus revidaram com novos disparos.

O adolescente foi a vítima fatal número 244 em jogos de futebol envolvendo brigas de torcidas organizadas na Argentina.

A polícia aponta que a richa ocorreu entre os "Barras Bravas" (torcida organizada) do próprio Newell's por causa de uma disputa interna pela liderança da facção.

Carlos Cáceres, pai do menino, disse à imprensa que a polícia sabe quem são os assassinos do seu filho e na próxima semana divulgará detalhes.

- O que posso dizer agora é que há muita gente envolvida com o problema das "Barras Bravas": a Polícia, pessoas do Governo, dos tribunais, mas todos lavam as mãos e olham para outro lado - afirmou.

Carlos ainda comentou que um dos torcedores que atacaram o ônibus que o seu filho viajava, estava com uma metralhadora.

O assunto também repercutiu dentro do Newell's Old Boys, o vice presidente Claudio Mártinez lamentou a morte de Cáceres.

- Isto é uma loucura, vai além de questões políticas internas do clube. Morreu um menino de 14 anos e há uma família destroçada, mas a tragédia poderia ter sido ainda pior - falou.

Mártinez ainda acrescentou que as pessoas abandonarão o futebol argentino do jeito que ele está.

- As pessoas tendem a abandonar tudo. Futebol está como está por causa dos dirigentes delinquentes e líderes de "Barras Bravas" - finalizou.


.
 
 
 
eXTReMe Tracker