Página inicial
 
Mural de recados
20.08 | Jose Helio Pessoa
Bom dia centralinos, surge uma esperança na história do nosso querido Central de ...
19.08 | Gustavo
O Atletico do Acre conseguio o acesso pra serie C com uma folha salarial de 60 m ...
19.08 | Antonio do Salgado
Com certeza ja deram um ninha em Airton Junior, e sobre a outra chapa kd o Alexa ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
06/02/2013
18h51 | esportes - AMISTOSO INTERNACIONAL
SELEÇÃO BRASILEIRA: Felipão reestreia com estrelas apagadas e derrota por 2 a 1 para a Inglaterra
Clique e confira!

Do Super Esportes.

AFP PHOTO / ADRIAN DENNIS
Ronaldinho tenta no rebote, após perder pênalti. Joe Hart salvou nas duas oportunidades


A reestreia de Luiz Felipe Scolari no comando técnico da Seleção Brasileira não foi como a torcida esperava. O treinador assistiu a uma exibição apagada de Neymar e Ronaldinho Gaúcho e acabou derrotado por 2 a 1 pela Inglaterra, no estádio de Wembley, em Londres. Os gols do English Team foram marcados por Rooney e Lampard, enquanto o atacante Fred, do Fluminense, anotou o único tentou do time canarinho.

Pentacampeão do mundo com a Seleção, Felipão não conseguiu superar um trauma no time nacional. O treinador fez o seu primeiro jogo pela equipe nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, em derrota por 1 a 0 para o Uruguai. Desta vez, o comandante apostou novamente em Ronaldinho Gaúcho, que foi até homenageado por seus 100 jogos pelo Brasil. O meia, porém, decepcionou, e perdeu um pênalti no primeiro tempo do amistoso.

Neymar, por sua vez, tentou se movimentar no campo ofensivo e acabou anulado pelos zagueiros adversários. Sem contar com o bom futebol de suas principais estrelas, a Seleção foi presenteada com as atuações seguras do goleiro Júlio César e do zagueiro Dante. A decepção com os novatos ficou por conta do volante Arouca, que vacilou na marcação e deu a chance de Lampard anotar o segundo gol inglês.

O novo teste para Luiz Felipe Scolari encontrar a sua equipe ideal virá em 21 de março, contra a Itália, em Genebra. As duas seleções foram sorteadas para integrar o mesmo grupo na Copa das Confederações. Já no dia 26 do próximo mês, a Seleção visitará Londres novamente. O adversário em questão será a Rússia, no estádio Stamford Bridge, do Chelsea.

O Jogo - O equilíbrio marcou os primeiros minutos do amistoso entre Inglaterra e Brasil. O time europeu levava vantagem por já estar acostumado ao gramado rápido de Wembley e conseguia impedir o avanço canarinho com facilidade. A leve superioridade dos anfitriões obrigou Júlio César a operar um milagre aos nove minutos. Antes de o árbitro apontar infração no lance e invalidar a jogada, o arqueiro pulou com segurança para defender uma cabeçada do ataque inglês.

REUTERS/Eddie Keogh
Jogadores ingleses comemoram o gol de Rooney, que abriu o placar
O susto logo no início da etapa inicial fez a Seleção segurar mais a bola no campo ofensivo. A tática deu certo e Ronaldinho conseguiu um pênalti ao cruzar nas mãos de seu marcador, aos 18 minutos. O próprio camisa 10 foi para a cobrança da infração e parou no goleiro Hart. O arqueiro do Manchester City defendeu a penalidade e ainda se recuperou para praticar outra grande intervenção no rebote do próprio Ronaldinho.

O pênalti desperdiçado aumentou o moral dos ingleses e complicou a vida de Júlio César. Aos 21 minutos, Welbeck tentou o chute forte e isolou pela linha de fundo. Já aos 26, Wilshere lançou Walcott em profundidade e forçou a saída do goleiro canarinho de sua meta. A defesa parcial terminou nos pés de Rooney, que, livre de qualquer marcação, arrematou para o gol vazio.

O tento abalou a Seleção e prejudicou o estilo de jogo dos comandados de Luiz Felipe Scolari. Ronaldinho Gaúcho errava muitos passes no meio-campo e Neymar, aos 36 minutos, perdeu um gol embaixo das traves. Até o volante Paulinho tentou a sorte no ataque, mas Hart, aos 39, deu uma bela ponte para afastar cruzamento perigoso para a área.

O primeiro tempo ainda reservou novas emoções para Júlio César. Aos 41, Rooney chutou rente ao poste direito do goleiro. Dois minutos depois, o arqueiro se posicionou bem para espalmar tiro de Walcott. A pressão nos instantes finais foi acompanhada pela entrada de Lucas, Fred e Arouca nos lugares de Ronaldinho, Luis Fabiano e Ramires, respectivamente. E as mudanças não demoraram a aparecer.

REUTERS/Stefan Wermuth
Fred empatou para o Brasil, com apenas um minuto em campo
Logo em sua primeira jogada na partida, Fred se aproveitou de uma saída de bola erra do zagueiro Cahill e bateu no canto do goleiro Hart. O gol marcado aos três minutos do segundo tempo encheu a Seleção de confiança e deixou a Inglaterra confusa. No lance seguinte, a defesa anfitriã vacilou novamente e o próprio Fred acertou o travessão adversário.

A resposta inglesa veio logo na sequência. Cahill tentou se recuperar de sua falha no gol canarinho e, aos dez minutos, cabeceou para defesa tranquila de Júlio César. A pressão se instaurou na área brasileira até Lampard fazer um golaço para o English Team, aos 14 da etapa complementar. O meia do Chelsea aproveitou bobeada de Arouca na entrada da área e enfiou o pé para deixar a sua marca no amistoso.

A nova vantagem inglesa foi mortal para o esquema de jogo da Seleção. O time não conseguiu se desvencilhar dos marcadores adversários e ficou entregue ao fraco desempenho de Neymar e Lucas no comando do ataque. A equipe também contou com as entradas de Miranda, Jean e Filipe Luis, mas nenhum deles conseguiu reverter o panorama do confronto.


INGLATERRA 2 X 1 BRASIL

Local: Estádio de Wembley, em Londres (Inglaterra)
Árbitro: Pedro Proença (POR)
Assistentes: Bertino Miranda e Tiago Trigo (ambos de POR)

GOLS:
INGLATERRA: Rooney, aos 26 minutos do primeiro tempo, e Lampard, aos 14 do segundo tempo 
BRASIL: Fred, aos três minutos do segundo tempo

INGLATERRA: Hart; Johnson, Cahill, Smalling e Ashley Cole (Baines); Gerrard, Wilshere, Walcott (Lennon) e Cleverley (Lampard); Rooney e Welbeck (Milner)
Técnico: Roy Hodgson

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, David Luiz (Miranda), Dante e Adriano (Filipe Luis); Ramires (Arouca), Paulinho (Jean), Oscar e Ronaldinho Gaúcho (Lucas); Neymar e Luis Fabiano (Fred)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker