Página inicial
 
Mural de recados
19.10 | Antonio do Salgado
Respondento a Paulo. Meu chefe a diretoria é nova no clube, mais os funcionár ...
18.10 | MARCOS LEITE
É VERDADE PAULO RICARDO, DIRETORIA VAI ARRUMAR A KSA, ISSO NÃO PODE SER FEITO DA ...
18.10 | Paulo R
! Antônio, amigo a nova diretoria só faz 15 dias que assumiu o club e vc pergunt ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
16/12/2012
11h05 | esportes - MUNDIAL DE CLUBES
Timão tira azul do mapa e pinta mundo de preto e branco
Cássio "salva" e Guerrero marca o gol da vitória
Do Superesportes. 
 
A Terra não é azul. Se o mundo realmente acabar nos próximos dias, sua última imagem será em preto e branco. Para delírio de sua apaixonada torcida, que deu mais uma prova de amor inacreditável ao tomar o Japão, o Corinthians fez 1 a 0 no Chelsea e conquistou o Mundial.

Nem as superstições ajudaram os ingleses neste domingo. Jogando na Terra do Sol Nascente e fundado em um pub coincidentemente chamado de The Rising Sun em 1905, o clube não brilhou em Yokohama. A luz do lampião – sob a qual nasceu o Timão na esquina das ruas Cônego Martins e dos Imigrantes, em 1910 – foi mais forte e iluminou a equipe brasileira.

Guerrero balançou a rede de Petr Cech e foi um monstro em campo, assim como Cássio e Danilo, mas o astro-rei foi a Fiel, que não se satisfez com uma invasão histórica. Quase 30 mil corintianos cantaram sem parar no Estádio Internacional e empurraram o time do povo, que “nesta noite” tinha que ganhar.

Desta vez, os alvinegros uniram a prova de amor ao orgulho da conquista, que teve o sofrimento do qual eles se alimentam. Na decisão, a exemplo do que havia ocorrido na semifinal contra o Al Ahly, houve bastante dificuldade para os comandados de Tite.

A estratégia alvinegra na decisão foi impedir a saída de bola com os técnicos volantes do Chelsea, Ramires e Lampard. A ideia era que os ingleses apostassem em bolas longas, o que funcionou, mas o sistema defensivo tinha dificuldade para cortar os lançamentos.

Assim, os primeiros minutos foram dos ingleses, que só não marcaram com Cahill em escanteio por milagre de Cássio com a coxa. Aos poucos, no entanto, o Corinthians começou a colocar a bola no chão e atacar com perigo quando roubava a bola em boa posição.

Jorge acompanhava Cole pela direita, mas Emerson não tinha o posicionamento esperado, aberto pela esquerda. O Sheik estava solto no meio, nas costas do volantes, pois não precisava acompanhar o lateral direito Ivanovic, que avança raramente.

Atuando perto de Guerrero, que fazia mais uma boa partida e levava ampla vantagem sobre o fraco Cahill, Emerson teve duas oportunidades. Em uma delas, completando chute do peruano, chegou a beliscar o poste esquerdo do goleiro Cech.

Talvez cansado da marcação forte, o Timão caiu na parte final do primeiro tempo. Paulo André teve de tirar a bola de Moses na risca da pequena área e Cássio precisou fazer duas grandes defesas – um milagre em chute de Moses – para manter o placar zerado até o intervalo.

A etapa derradeira começou com o Chelsea ainda melhor. Hazard recebeu na área e teve o ângulo fechado pelo enorme Cássio antes que o Corinthians se assentasse em campo e passasse a se desdobrar no meio-campo para frustrar os ingleses.

Emerson, apesar de abusar dos lances individuais, corria demais. Danilo aliava a raça para marcar até a linha de fundo com uma calma impressionante com a bola no pé. E Paulinho e Guerrero começavam a aparecer em jogadas perigosas no ataque.

Aos 23 minutos, aconteceu a jogada histórica. Paulinho tabelou com Jorge, carregou pelo meio da área e deixou para Danilo finalizar. O meia cortou para o pé direito, foi travado e, com Petr Cech no chão, viu Guerrero balançar a rede de cabeça.

A partir daí, o time do povo aliou a inteligência à raça. Trocou passes, enervou os ingleses e não perdeu o controle nem mesmo com as tentativas de Rafael Benítez de acionar Oscar, Azpilicueta e Marin. Mas, sem um sofrimento extra, não seria Corinthians. Por isso, houve sufoco nos minutos finais e a bola se ofereceu a Fernando Torres a um passo da pequena área, para mais uma defesa de Cássio, alçado definitivamente a um posto de destaque na história do Corinthians.

Cahill foi expulso e, com um a menos, o Chelsea chegou a balançar a rede com Fernando Torres, para desespero de corintianos em todo o planeta. A bandeira subiu, o espanhol estava em posição de impedimento. O Timão é o campeão do mundo.

.
 
 
 
eXTReMe Tracker