Página inicial
 
Mural de recados
22.11 | CLEO
VERDADE MARCONDES ESSA É A HORA DA MASSA ALVINEGRA AJUDAR O CENTRALZÃO. ...
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
22.11 | paulo
ESSE BABACA DA PATATIVA DEVE SER TORCEDOR DO SPORTE RECIFE ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
24/03/2012
10h34 | esportes - FUTEBOL INTERNACIONAL
Felipe Melo vive fase goleadora na Turquia e mantém sonho de disputar Copa-2014

Do UOL Esporte 

Um brasileiro tem se destacado na campanha do Galatasaray nesta temporada no Campeonato Turco. O camisa dez se notabilizou por deixar seus companheiros na cara do gol com assistências e, além disso, mostrou seu faro de artilheiro com nove gols e a vice-artilharia de sua equipe. Para muitos, pode ser uma surpresa revelar que tais características servem para descrever o meio-campista Felipe Melo, que ficou marcado como uma espécie de “vilão” na última Copa do Mundo.

Em 2010, o volante caiu em desgraça por conta da expulsão na derrota por 2 a 1 para a Holanda, que selou a eliminação do Brasil nas quartas de final na África do Sul. O volante levou o cartão vermelho após dar uma entrada dura em Arjen Robben, o que contribuiu para piorar sua fama de jogador violento. Na Turquia, Felipe Melo tem dado a volta por cima. Ele fala em amadurecimento e tem como grande sonho voltar à seleção para disputar a Copa-2014.

“Eu era muito explosivo. Agora estou com 28 anos e mais maduro. Aprendi com meus erros e cresci também como homem. Realizei meu sonho de ser campeão pelo Brasil [da Copa das Confederações]. Sonho em voltar e trabalho para jogar em 2014”, afirmou o meio-campista, em entrevista ao UOL Esporte.

O episódio da Copa-2010 contribuiu para a imagem de Felipe Melo ficar ainda mais desgastada. Em 2009, ele foi considerado o pior jogador em ação no futebol italiano e levou o nada honroso prêmio Bidone d’Oro (algo como “Lixeira de Ouro”). Com desempenho abaixo do esperado na Juventus, ele foi emprestado no meio do ano passado ao Galatasaray. O “exílio” na Turquia, porém, serviu como um recomeço.

Com a dez do time de Istambul, Felipe Melo já marcou nove gols no Campeonato Turco, apenas dois a menos do que o atacante Johan Elmander, goleador da equipe no torneio. O brasileiro levou dez cartões amarelos em 27 partidas disputadas e não foi expulso uma vez sequer. “Faço faltas pela equipe. Era isso o que precisava melhorar”, analisa o meio-campista. Os números o animam a falar sobre a boa fase e o fazem lembrar de sua passagem pelo Almería na temporada 2007/08.

“Na Itália, jogava mais como primeiro homem no meio-campo e não tinha tanta liberdade para atacar. Aqui na Turquia, atuo em um 4-4-2 como na época em que jogava na Espanha. Há um revezamento maior entre quem ataca e quem defende, por isso tenho apoiado mais e feito gols. No Almería, marquei sete gols, assim como o Xavi”, disse, referindo-se a um dos destaques do Barcelona.

Embora as estatísticas mostrem que Felipe Melo esteja honrando bem a fama da camisa dez, ele prefere outro número para retornar à seleção. “Meu sonho é vestir a camisa cinco. A dez fica para o Paulo Henrique Ganso ou o Kaká, que está voltando a viver um bom momento. Ele tem feito muitos gols e voa quando não está machucado”, elogiou.

Recentemente, Mano Menezes disse estar à procura de um volante para a seleção, o que alimenta as esperanças do jogador do Galatasaray. “Enquanto o treinador não disser que não tenho chance, mantenho meu sonho de ser convocado. Não preciso provar nada. Tenho certeza de que o Mano está observando meu desempenho. Ninguém nunca questionou minha qualidade”, explicou.

Felipe Melo reconheceu o erro pelo pisão dado em Robben, mas não acha que sua expulsão tenha sido determinante para a queda do Brasil no Mundial. Ele ainda lamenta o fato de aquele time não ter ido mais longe. “Sinto vontade de chorar por aquela Copa. Ninguém fugiu da concentração, não havia mulheres. Estávamos centrados. Poderíamos passar pelo Uruguai [rival da Holanda nas semifinais]. Já chorei tudo o que tinha para chorar”, comentou.

Sem mágoas pelas críticas, o meio-campista citou um de seus companheiros da época do Mundial para tentar ilustrar como o clima estava tenso naquele jogo contra os holandeses. “O Robinho também perdeu a linha com o Van Bommel. Às vezes, você perde a cabeça no calor da partida. Eu perdi por ser compatriota e imaginar o sofrimento e a apreensão dos brasileiros com aquela derrota”, justificou.

Caso fique fora da seleção para a disputa do Mundial-2014, Felipe Melo não demonstrou frustração e mandou um recado para quem acha que ele jamais voltará a vestir a camisa amarela: “Torcerei para quem vier, mas não desisto nunca”.


 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker