Página inicial
 
Mural de recados
26.05 | marcelo
Concordo plenamente com voce paulo esses reporteres das radios de caruaru sao do ...
26.05 | Davi
Infelizmente o editor desse blog não publicou meu comentário, so sei de uma cois ...
26.05 | Patativa
É verdade Paulo alvinegro excelente o seu comentário você estar de parabéns. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
09/07/2011
00h05 | esportes - COPA AMÉRICA 2011
Enfim, um empate dos bons: Uruguai e Chile ficam no 1 a 1 em Mendoza
Seleções contrariam a tônica da Copa América até o momento em partida movimentada e recheada de ingredientes de um clássico local

Uruguai e Chile deram mais uma igualdade às estatísticas da Copa América, mas desse empate os críticos não têm do que se queixar. Em um jogo muito movimentado e com boas chances de gol para am bos os lados, as seleções ficaram no 1 a 1, nesta sexta-feira, no Estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza, pela segunda rodada do Grupo C. O lateral-meia Alvaro Pereira, do Porto, e o atacante Alexis Sánchez, do Udinese e cobiçado pelo Barcelona, anotaram os gols da partida, recheada de ingredientes de um clássico local e certamente mais empolgante do que os duelos protagonizados por Argentina e Brasil até o momento.

O resultado foi mais confortável para os chilenos, melhores em campo na maior parte do tempo. Com quatro pontos, a equipe do palmeirense Valdivia enfrenta o Peru na próxima terça-feira, no mesmo palco, às 19h15m (de Brasília), e precisa apenas de um empate para se classificar às quartas de final ao menos entre os dois melhores da chave.
Alexis Sanchez Uruguai Diego Perez Chile Copa América (Foto: AFP)Alexis Sánchez, autor do gol chileno, tenta escapar da marcação de Perez: empate movimentado (Foto: AFP)

Já os uruguaios, com dois pontos, têm campanha e situação semelhante à da Argentina. Eles pegam os mexicanos em La Plata com a necessidade da vitória, às 21h45m, para encerrarem a fase ao menos como um dos dois melhores terceiros colocados. Um triunfo por dois ou mais gols de diferença o garante entre os dois primeiros.

Primeiro tempo corrido, mas sem gols

A expectativa era que Uruguai e Chile fizessem o grande jogo da Copa América até então. Cumpriram os requisitos ao menos pela metade. Se a técnica não foi uma das principais qualidades, não faltou movimentação de ambos os lados. E também saíram gols.

Nos primeiros 45 minutos, no entanto, placar em branco e leve superioridade chilena. Sem Matias Fernandez, machucado na vitória contra o México, Borghi colocou Jiménez como armador da seleção roja. Serviu ao menos para reter a posse de bola – não à toa terminou a etapa inicial com 61%.

Com imensa maioria da torcida no estádio, o Chile viu os rivais começarem melhor. Novamente com o sempre procurado trio de ataque formado por Cavani, Suárez e Forlán, o Uruguai logo criou três oportunidades. Aos três, em cruzamento para a grande área, a bola sobrou limpa até a zaga chilena afastar. Em seguida, aos seis, o melhor jogador da última Copa do Mundo arriscou um perigoso chute de meia distância.

OLHO TÁTICO: confira a análise do blogueiro André Rocha

Forlan Uruguai x Chile Copa América (Foto: AFP)Diego Forlán tentou, mas ainda não teve a genialidade que o acompanhou na Copa do Mundo (Foto: AFP)

Suárez perde gol incrível

A grande chance ainda estava por vir. Aos 18, Cavani descolou lindo passe por cima da defesa para Suárez. O atacante do Liverpool, completamente livre, soltou a bomba, por cima do gol (veja abaixo).

Foi o suficiente para o Chile acordar. Quando já ocupava maior parte do tempo no ataque, a Roja resolveu finalizar. Primeiro com Vidal, aos 21, que viu a bola passar rente ao ângulo direito de Muslera. Sánchez, aos 34, também assustou de fora da área.

Ao Uruguai, restava aproveitar os contra-ataques e a fragilidade da defesa adversária. Aos 26, um recuo mal feito quase fez Forlán marcar após cruzamento de Suárez. Lance inusitado, mas que não pode ser comparado ao quase gol chileno aos 41. Sánchez deixou de calcanhar, o zagueiro Coates se antecipou e chutou com força na direção de Isla. A bola encobriu Muslera e carimbou o travessão. Aos 44, Beausejour recebeu na grande área e chutou cruzado. Centímetros impediram o grito de gol.

Etapa final ainda mais movimentada - e com a rede balançando...

Os torcedores também tiveram de adiar a comemoração aos 33 segundos do segundo tempo, mesmo quando Jiménez recebeu de Suazo, quase na pequena área, com relativo espaço. O meia-atacante demorou a se decidir e optou pela letra, facilitando a vida de Muslera.

Uruguai x Chile (Foto: João Garschagen / Globoesporte.com)Clima quente também marcou o empate
(Foto: João Garschagen / Globoesporte.com)

O Chile não era pior, mas sofreu o gol aos oito. Suárez recuperou a bola da zaga chilena na grande área, levou para o lado esquerdo e rolou para Alvaro Pereira somente tocar na saída de Bravo. Até ali, poderia ser dito que a aposta de Tabárez dava certo, afinal, o jogador do Porto substituía o meia Lodeiro após estreia não muito convincente contra o Peru. Mas só até ali.

A torcida do Chile desanimou... E o time cresceu. O palmeirense Valdivia, que aqueceu durante quase todo o primeiro tempo, entrou e passou a ser o responsável pela armação. E justamente em sua primeira boa jogada saiu o empate. Aos 20, o camisa 10 deu bela enfiada na esquerda para Beausejour, que rolou para Sánchez tocar de bico: 1 a 1. O gol aqueceu os ânimos até na tribuna de imprensa, onde jornalistas dos dois países se provocaram e criaram pequena confusão.

No campo, o Chile passou a dominar. Aos 32, Sánchez usou de toda a sua agilidade para se livrar da marcação em um curto espaço e cruzar na medida para Paredes cabecear. Muslera voou na bola e impediu a virada. Os “donos da casa” tiveram mais oportunidades, a melhor delas aos 38, em cobrança de falta de Paredes, que também ficou no quase. Um empate que contraria a tônica da Copa América e, quem sabe, indica dias melhores para os torcedores.

Valdivia Chile x Uruguai (Foto: AFP)O palmeirense Valdivia entre dois uruguaios: camisa 10 participou do gol chileno (Foto: AFP)
URUGUAI 1 X 1 CHILE
Muslera, Maxi Pereira (Lodeiro), Lugano, Coates e Cáceres; Perez, Arévalo (Eguren) e Alvaro Pereira, Cavani (Gonzalez), Forlán e Suárez.Bravo, Contreras, Ponce e Jara (Valdívia); Isla, Medel, Vidal e Beausejour (Carmona); Jiménez; Sánchez e Suazo (Paredes).
Técnico: Oscar Tabárez.Técnico: Claudio Borghi.
Gols: Alvaro Pereira, aos oito, e Sánchez, aos 20 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Alvaro Pereira, Suárez, Cáceres e Coates (Uruguai); Contreras, Jara, Vidal e Sánchez (Chile).
Estádio: Malvinas Argentinas (Mendoza). Data: 08/07/2011. Árbitro: Carlos Amarill

.
 
 
 
eXTReMe Tracker