Página inicial
 
Mural de recados
27.04 | Givaldo
Esse tal de Patativa devia mudar o nome para Urubu, esse desgraçado só faz corta ...
27.04 | Patativa
Meu Deus isso foi mostrado e um gramado ou um chiqueiro ...
26.04 | MARCOS LEITE
O CENTRAL PERDEU VÁRIOS BONS JOGAGORES Q DISPUTARAM O PERNAMBUCACNO DESSE ANO, A ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
09/03/2011
12h29 | esportes - FUTEBOL INTERNACIONAL
Adriano custou R$ 21,3 mil por minuto em campo
Imperador teve passagem apagada pelo clube italiano e foi demitido na última terça

 

Do Lancenet 
 
Adriano não é mais jogador da Roma. A novela, cujo final era previsível, terminou na terça-feira, pouco antes do jogo entre o time italiano e o Shakhtar, na Ucrânia, pela Liga dos Campeões. Depois de oito meses e muita dor de cabeça, o clube romano resolveu rescindir o contrato do Imperador. Se profissionalmente o jogador sofreu mais uma derrota, ele não tem do que reclamar financeiramente.

O jogador custou aos cofres da Roma 9,3 mil euros (R$ 21,3 mil) por minuto em campo. Adriano acertou um contrato de três anos com o clube em junho de 2010, e receberia 5 milhões de euros (R$ 11,45 milhões) por temporada. Os oito meses representam 3,3 milhões de euros (R$ 7,6 milhões) pagos ao atacante durante esse período.

 


 

 

O Imperador, porém, durante todo esse tempo esteve em campo em apenas nove partidas – 355 minutos. Não marcou um gol sequer pelo clube. Dividindo o valor que ganhou pelo tempo que esteve em campo, chega-se aos expressivos R$ 21,3 mil por minuto.

A imprensa italiana especula que o valor da rescisão unilateral paga pela Roma ao jogador deve ser de 6 milhões de euros (R$ 14 milhões). Bom para quem voltou ao país para “saldar uma dívida que havia deixado e apagar o que havia feito” durante as temporadas anteriores na Bota – nas palavras do próprio Adriano, quando viajou para acertar com a equipe.

Em maio de 2009, Adriano abandonou a Internazionale. Dizendose deprimido, ameaçou inclusive abandonar a carreira. Mas no Flamengo, reencontrou a felicidade no futebol – e os títulos também. Foi campeão brasileiro e terminou o campeonato como artilheiro.

Ano passado, também em maio, ganhou um voto de confiança da Roma, que o levou de volta para o futebol italiano. Se em campo o Imperador rendia bem no Fla, fora dele protagonizava polêmicas.

E as polêmicas continuaram durante esse tempo no time da capital italiana. Atrasou-se na reapresentação, perdeu a carteira de motorista na Lei Seca, entre outras peripécias. A Roma se livra de uma dor de cabeça. Resta saber se o próximo destino de Adriano será o Brasil.

Adriano deixa a Roma com a marca negativa de não ter feito um gol sequer pelo clube em partidas oficiais. 

Confira abaixo uma linha do tempo com os momentos do Imperador pelo Roma:

A chegada:

No dia 9 de junho de 2009, Adriano recebe a camisa 8 da Roma da presidente Rossella Sensi. O Imperador havia deixado o Flamengo prometendo "pagar um dívida com o futebol italiano". Ele havia passado por Parma, Fiorentina e Inter de Milão.

"Estreias" pela Roma  

Adriano vestiu a camisa da Roma pela primeira vez em um amistoso. Seu novo time venceu por 13 a 0 um combinado de jogadores da região de Riscone Brunico. Ele marcou. Já na estreia oficial, derrota para a Inter de Morinho por 3 a 1, pela Supercopa da Itália.

Sequência em branco

Disputou mais oitos partidas pela Roma. não marcou e ficou em campo apenas 355 minutos. Não conseguiu se firmar.

Polêmicas e fim do vínculo

A contragosto do clube, viajou para o Brasil para se tratar de uma contusão no braço. Foi flagrado bebendo cerveja e perdeu a carteira de motorista por se recusar a fazer o teste do bafômetro. Adiou por três vezes seu retorno à Itália. Rescindiu contrato na terça-feira. 

 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker