Página inicial
 
Mural de recados
28.06 | ojuara
CONCORDO NELHOR PAGAR SAFADAO DE QUE INVESTIR NESSE CLUBE SAFADO DE LADROES PORQ ...
28.06 | Paulo Junior
Parabéns pela atitude dos torcedores do Central em dividir o dinheiro com os fun ...
27.06 | Carlos
Eu acho que esse verdade nua e crua tem problemas mentais ele fica pensando,pens ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
27/10/2010
14h27 | esportes - SALGUEIRO
(SALGUEIRO) - Ninguém quer sair do Carcará
Jogadores do Carcará estão atuando no clube com muita satisfação e sonham com o início da Série B.
Do Super Esportes 
 
Dois ex-alvirrubros fazem parte do atual elenco do Salgueiro: o zagueiro Henrique e o atacante Júnior Ferrim. Revelado na base do Náutico, Henrique esteve no clube de 2002 a 2005. Ferrim atuou na temporada 2003. Ontem, ambos voltaram ao Centro de Treinamento Wilson Campos, antigo "refúgio". Num dos campos principais, o técnico Cícero Monteiro comandou o segundo treino do Carcará para o duelo com o ABC/RN pelas semifinais da Série C. 

Surpresos com as melhorias no local, Henrique e Ferrim não pouparam elogios aos dirigentes alvirrubros, mas deixaram evidente a intenção de permanecer no clube sertanejo. Foi-se o tempo em que jogar no Salgueiro era considerado um passo atrás. Nas semifinais da Série C e com vaga garantida na Série B 2011, o Carcará transformou-se em vitrine. Ocupa outro patamar em relação aos outros clubes intermediários do estado.

Afastado do time por conta de uma lesão próxima à região do púbis, Henrique acabou de renovar o contrato até novembro de 2011. "É um clube que tem planejamento e umadiretoria competente. Conheço a filosofia de trabalho, pois cheguei no final de 2008. Não me iludo com outras propostas, principalmente agora, que estamos na vitrine da Série B", disse.

Júnior Ferrim é mais um no clube dos satisfeitos. "A Série B era o que faltava. Estar no Salgueiro hoje não é dar um passo atrás nem mesmo para quem já passou pelos grandes clubes da capital", afirma. 

De fato, apesar do teto salarial bem abaixo ao do trio de ferro - 80 mil -, o Salgueiro leva vantagem em alguns pontos. Garantido na Segundona, vê o Santa Cruz agonizar em busca de uma vaga na Série D. Com as obrigações rigorosamente em dia, assiste ao Náutico atrasar salários mês após mês.

.
 
 
 
eXTReMe Tracker