Página inicial
 
Mural de recados
23.06 | Danilo
http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2017/06/empresario-ilu ...
23.06 | Duda
Eu acredito!!! Vamos meu Central, vamos sair dessa série D. Lícius tem feito o p ...
23.06 | MARCOS LEITE
CENTRALZÃO EM BUSCA DA CLASSIFICAÇÃO E A TORCIDA CHEGANDO DE MONTÃO NO LACERDÃO, ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
29/04/2017
20h39 | esportes - COPA DO NORDESTE
COPA DO NORDESTE - SEMIFINAL - Sport 1x2 Santa Cruz - Tricolores podem até perder por 1 a 0, quarta-feira, no Arruda, que chegam à final. Leão precisa vencer por dois gols
No mais importante confronto entre Sport e Santa Cruz na temporada, o melhor Clássico da Multidões de 2017. E com uma festa em três cores. Com uma postura inteligente e bem mais ousada do que vinha apresentado até aqui, os tricolores souberam anular as principais armas do Leão e ser fatal quando preciso para sair da Ilha do Retiro com uma importante vitória por 2 a 1, na partida de ida das semifinais da Copa do Nordeste. A melhor apresentação coral este ano.

Com o resultado, os tricolores decidirão a vaga à decisão, na próxima quarta-feira, no Arruda, com uma boa vantagem. Podem até perder por 1 a 0 que mesmo assim irão manter vivo o sonho do bicampeonato regional. Também avançam com qualquer empate. Já os rubro-negros, que perderam a primeira em casa sob o comando do técnico Ney Franco, estão obrigados a vencer por dois gols de diferença ou por um a partir do placar de 3 a 2. 

O jogo
Para o clássico, os dois times vieram com novidades. Pelo lado do Sport, o técnico Ney Franco, sem poder contar com Rogério, suspenso, optou pela dupla de ataque formada por André e o prata da casa Juninho, mantendo o esquema com três volantes. Já o técnico coral, Vinícius Eutrópio, mandou a campo uma formação mais ofensiva do que vinha utilizando, com três meias (Pereira centralizado, além de Léo Costa e Thomás abertos). Como jogador de referência, o centroavante Halef Pitbull.

E com uma postura mais corajosa do Santa, o primeiro tempo foi bom de se assistir. Passados os primeiros minutos de estudos, marcação e faltas (o primeiro chute a gol só veio aos 20 minutos, com o tricolor Pereira), as duas equipes, com ímpeto ofensivo, conseguiram fazer uma etapa bastante movimentada. Com os tricolores ligeiramente melhores em campo.

Tendo no meia Thomás o seu principal jogador, o Santa conseguiu preencher com qualidade o meio de campo e chegar inteiro muitas vezes ao ataque. Com direito a Magrão fazer uma ótima defesa em chute de Léo Costa, aos 31 minutos. Na sequência, porém, o goleiro leonino nada pôde fazer. 

Após boa jogada individual, e cruzamento de Thomás, ganhando na corrida para Matheus Ferraz, o mesmo Léo Costa foi mais rápido que a marcação de Mena e no meio da área cabeceou para o gol.

Até aquela altura da partida, o Sport, vivo no clássico, já havia perdido três boas oportunidades. Todas com Juninho. A melhor delas, aos 25 minutos, cara a cara com o goleiro Jacsson (que substituiu Júlio César, com problema na vista). O garoto, porém, chutou em cima do arqueiro coral.

Mas o Sport não ficaria muito tempo atrás do placar. Sempre explorando a letargia na marcação do lado esquerdo do rival, Diego Souza entrou na área e foi derrubado por Tiago Costa. O camisa 87, que havia perdido uma pênalti na quarta-feira, contra o Botafogo, pela Copa do Brasil, dessa vez não vacilou, tocando do lado esquerdo, sem defesa para Jacsson.
 
 
Segundo tempo
Satisfeitos com a atuação das suas equipes, os dois treinadores não fizeram mudanças para a etapa final. As posturas dos rivais, porém, mudou. Com o Santa mais precavido e o Leão tomando a iniciativa do jogo. No entanto, sem conseguir criar algo de concreto contra a meta de Jacsson. A melhor delas, só veio aos 16 minutos, novamente com Juninho desperdiçando.

Logo em seguida, Ney Franco sacou o prata da casa para a entrada de Lenis. A ordem era seguir explorando a deficiência de marcação de Tiago Costa. Apesar de maior posse de bola, e domínio da partida, faltava ao Sport melhor qualidade na finalização das jogadas.

A essa altura, a postura do Santa já voltava a ser a tradicional da temporada. Primeiro segurar o resultado e depois tentar a sorte em uma bola. E para puxar os contra-ataques, Eutrópio sacou o apagado Pereira para colocar o veloz André Luis, aos 28 minutos.

Não demorou para a estratégia de Eutrópio dar resultado. Três minutos depois, André Luís fez uma grande jogada individual e tocou para Pitbull, que contou com a falha de marcação de Matheus Ferraz para chutar sem defesa para Magrão, encerrando um jejum de oito jogos sem marcar gols.

O Sport ainda buscou um novo gol de empate. Mas com o Santa, a essa altura fechado na defesa, não deu brechas. Segurando a vitória e a boa vantagem para a próxima quarta-feira.

Ficha do jogo

Sport 1
Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Mena; Fabrício, Ronaldo (Fábio), Rithely e Diego Souza; Juninho (Lenis) e André (Paulo Henrique). Técnico: Ney Franco

Santa Cruz 2
Jacsson; Vítor, Anderson Salles, Bruno Silva e Tiago Costa; Elicarlos, David, Pereira (André Luis), Léo Costa (Wellington Cézar) e Thomás (Everton Santos); Halef Pitbull. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Cláudio Francisco de Lima e Silva (SE). Assistentes: Clariston Clay Barreto e Daniel Vidal Pimentel (ambos de SE). Gols: Léo Costa (32 min do 1º)  e Diego Souza (38 min do 1º), Hallef Pitbull (31 min do 2º). Cartões amarelos: Jacsson, Miller, David e Pereira (SC); Matheus Ferraz e Lenis (S). Expulsão: Lenis Público: 23.574. Renda: R$ 490.335
 
DO SUPER ESPORTES PE

.
 
 
 
eXTReMe Tracker