Página inicial
 
Mural de recados
20.08 | Jose Helio Pessoa
Bom dia centralinos, surge uma esperança na história do nosso querido Central de ...
19.08 | Gustavo
O Atletico do Acre conseguio o acesso pra serie C com uma folha salarial de 60 m ...
19.08 | Antonio do Salgado
Com certeza ja deram um ninha em Airton Junior, e sobre a outra chapa kd o Alexa ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
22/04/2017
10h41 | esportes - PE 2017
PE 2017 - SEMIFINAL - Salgueiro 2x0 Santa Cruz - Carcará na final
 Na volta para a etapa final, com um meio campo pouco produtivo e sem disposição para o combate, o técnico Vinícius Eutrópio tirou Pereira, que tinha a função de criar, mas pouco apareceu no primeiro tempo, e colocou Elicarlos. A partir de então, Thomás passou a ser única válvula de escape para os contra-ataques do Santa Cruz. A proposta coral estava muito clara: se defender ainda mais.

O Salgueiro, por sua vez, não mudou a postura. Voltou para o segundo tempo com a mesma mentalidade ofensiva. A pressão seguiu forte. Até demorou, mas após tanto tentar, o Carcará chegou ao primeiro gol. Aos 21, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Rodolfo Potiguar, livre. Ele bateu com força, sem chance para Júlio César. O Tricolor ficou desestabilizado. O time do Sertão se lançou ainda mais ao ataque. O placar levava a decisão para os pênaltis, mas claramente não era o que a equipe da casa queria.

Diante de um Santa Cruz sem reação, talvez por não ter se planejado para sofrer um gol, o Salgueiro fez 2 a 0 com Jean, que havia acabado de entrar. Agora, a vaga na final estava com o Carcará, que dominava o jogo. Ao Tricolor, restava correr atrás do que não havia feito até então. Eutrópio mexeu no time, tentando colocá-lo mais à frente. Mas a equipe coral simplesmente não acertava jogar ofensivamente.

Na base do desespero, o Santa Cruz tentou ir ao ataque, mas sem sequer assustar. No último lance do jogo, aos 48 do segundo tempo, o lance que poderia mudar a história da partida. Falta na meia lua da grande área. Praticamente um pênalti para Anderson Salles. O zagueiro, que decidiu para o Tricolor diversas vezes nesta temporada, cobrou com perfeição. Mas Mondragón foi o herói dessa vez. Fez uma grande defesa e garantiu a vitória por 2 a 0 e o Salgueiro na final do Pernambucano.

 

 

Ficha do jogo

Salgueiro
Mondragon; Marcos Tamandaré (Jean), Ranieri, Luiz Eduardo e Daniel Nazaré; Rodolfo Potiguar (Victor Caicó), Moreilândia, Toty e Valdeir; William Lira e Álvaro. Técnico: Evandro Guimarães.

Santa Cruz
Julio Cesar; Vitor, Anderson Salles, Bruno Silva e Tiago Costa; David, Federico Gino (Léo Costa), Pereira (Elicarlos), Thomás e Everton Santos (Júlio Sheik); Halef Pitbull. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Estádio: Cornélio de Barros (Salgueiro-PE). Árbitro: José Woshington da Silva (PE). Assistentes: Clóvis Amaral (PE) e Marlon Rafael Gomes de Oliveira( PE). Gols: Rodolfo Potiguar (aos 21min do 2°T) e Jean (aos 25min do 2°T). Cartões amarelos: Thomás, David, Vitor, Bruno Silva, Tiago Costa (SC). Público: 5.184. Renda: R$ 53.690

DO SUPER ESPORTES PE

.
 
 
 
eXTReMe Tracker