Página inicial
 
Mural de recados
14.12 | Carlos
Tem gente que fica revoltado quando se diz a verdade,minha gente jogador pro cen ...
14.12 | MARCONDES
SE A FOLHA DO SALGUEIRO VAI SER 130 MIL, A DO CENTRAL DEVE CHEGAR NO MÁXIMO A 15 ...
14.12 | MARCOS LEITE
O Q EU ACHO TEM TANTOS Q CRITICAM NEM VIRAM TIME JOGAR E SÓ JOGA PEDRAS, VAMOS E ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
01/03/2017
23h39 | esportes - PE 2017
PE 2017 - Sport 1x1 Náutico - Erick e Neto Moura fizeram os gols do primeiro Clássico dos Clássicos de 2017
Em um Clássico dos Clássicos esvaziado, com a presença de apenas 3.430 torcedores na Ilha do Retiro, Sport e Náutico ficaram no empate em 1 a 1, pela 5ª rodada do Pernambucano. Empate que não mexe na posição dos dois times na classificação do Estadual, mas tem um peso pior para os alvirrubros. Pelo menos em termos de moral. Afinal, enquanto o Timbu atuou com seu time titular, os leoninos atuaram com uma formação reserva. 

Pelo lado rubro-negro, quem sai com mais motivos de lamentação foi o atacante André, que desperdiçou a chance da vitória dos donos da casa aos 44 do segundo pênalti, ao perder mais um pênalti (o seu terceiro após o retorno ao Sport). Tiago Cardoso, sempre decisivo contra o Leão, fez a defesa no centro do gol.

No próximo domingo, os dois times voltam a duelar. Dessa vez, na Arena de Pernambuco. E com o Sport com força máxima.

O jogo
Na disputa entre os reservas do Sport e um Náutico titular, mas ainda em busca de identidade com o técnico Milton Cruz, o primeiro tempo do clássico foi de equilíbrio, porém com os alvirrubros um pouco mais perigosos em campo, apesar de terem menor tempo de posse de bola. Com um meio de campo mais experiente, os timbus iniciaram a partida com trocas de passes mais consciente. Tanto que nos 10 primeiros minutos chegaram três vezes com perigo à meta de Agenor. Em uma delas, Giva tentou enganar o árbitro José Woshington ao fazer um gol usando a mão. Levou cartão amarelo de forma justa.

No entanto, não foi a experiência que desequilibraria a partida à favor do Náutico, e sim a juventude. Melhor jogador da equipe neste início de temporada, o garoto Erick, de 19 anos, começou a aparecer bem no clássico levando vantagem em quase todos os lances em cima do prata da casa rubro-negro, Caio. E após mais uma jogada em cima do lateral leonino,  Rodrigo derrubou David dentro da área. Pênalti bem marcado e convertido com categoria por Erick, que mais uma vez mostrou personalidade.
 
 
No entanto, se o Náutico iniciou o clássico mais incisivo ofensivamente, pesou contra os alvirrubros a má fase dos seus volantes João Ananias e Rodrigo Souza. Defeito que aos poucos passou a ser bem aproveitado pelos donos da casa, que começaram a ganhar mais o meio de campo, com uma pegada mais forte, porém sem a criatividade de um meia criativo. 

Assim, o empate veio aos 36 minutos, após dois cruzamentos do lateral direito Raul Prata que a defesa do Náutico não conseguiu cortar. Na segunda, Neto Moura ganhou de João Ananias, girou e bateu sem defesa para Tiago Cardoso. Minutos antes, Lenis havia substituído Marquinhos (lesionado) dando também mais volume ao ataque rubro-negro.

Segundo tempo
No retorno para a etapa final, os dois times voltaram sem mudanças. Assim, seguia o duelo de uma tentativa de futebol mais ofensivo pelo lado do Náutico contra um estilo mais de força por parte do Sport. E assim como no primeiro tempo, não demorou para o Timbu obrigar Agenor a fazer uma boa defesa, em chute do lateral Manoel, logo aos dois minutos. Após esse lance, porém, o ritmo do clássico caiu. 

Aos 18 minutos, enfim, o técnico Daniel Paulista procurou dar maior criatividade ao meio de campo do Leão com a entrada de Fábio no lugar de Paulo Henrique. Sem efeito. Só aos 26, o clássico voltou a levantar os torcedores, novamente pelo lado do Náutico, com Dudu chutando para fora. Depois disso, os dois times voltaram ao ritmo digno de uma Quarta-Feira de Cinzas, se arrastando em campo. Mas ainda havia tempo para um último lance de emoção.

Após o árbitro marcar pênalti após a bola se chocar no braço do lateral David, André pediu para cobrar. No entanto, mais uma vez, bateu muito mal, no centro do gol, facilitando a defesa de Tiago Cardoso. Que voltou a brilhar diante do Sport.

Ficha do jogo

Sport 1
Agenor; Raul Prata, Matheus Ferraz, Henríquez e Caio; Fabrício, Rodrigo, Neto Moura; Marquinhos (Lenis) (Juninho), Paulo Henrique (Fábio) e André. Técnico: Daniel Paulista.

Náutico 1
Tiago Cardoso; David, Tiago Alves, Ewerton Páscoa e Manoel; João Ananias, Rodrigo Souza, Marco Antônio e Dudu (Jefferson Renan); Erick (Cal) e Giva (Alison). Técnico: Milton Cruz. 

Estádio: Ilha do Retiro. Árbitro: José Woshington da Silva. Assistentes: Elan Vieira e Ricardo Chianca. Gols: Erick (20’ do 1ºT) (NAU); Neto Moura (39’ do 1ºT) (SPO). Cartões amarelos: Giva e Dudu (NAU); Neto Moura e Caio (SPO) ; Público: 3.430; Renda: R$ 58.425,00
 
DO SUPER ESPORTES PE

.
 
 
 
eXTReMe Tracker