Página inicial
 
Mural de recados
25.05 | Ze ligado
É muito desespero mesmo, Gildo de volta?? 6 opções de ataque que era melhor pega ...
25.05 | Centralino Histórico
Warley, cadê os nossos valores revelados no PE 2017: Tomás e Paulinho Curuá???? ...
24.05 | Antonio
Araújo pedindo 400,000 R$ pro Central !!! Isso é um absurdo, o cara jurou amor a ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
10/04/2016
19h52 | esportes - PE 2016
PE 2016 > Santa Cruz 1x1 Sport
O Santa Cruz fez o suficiente para se garantir nas semifinais do Campeonato Pernambucano. Sem pretensões no Estadual, o Sport fez o suficiente para não perder. Para isso, contou com um gol contra de Grafite no começo do segundo tempo do Clássico das Multidões deste domingo, após Keno ter aberto o placar para os corais no fim do primeiro. Com o 1 a 1, o Tricolor, entretanto, amplia o seu “jejum” em clássicos. São oito seguidos sem ganhar dos rivais. Cinco sem vencer o Leão.

Apesar de o empate por si só classificar o Santa Cruz à próxima fase do Estadual, o time já parecia entender a necessidade de fazer um gol logo no início da partida para evitar contratempos. Aos dois minutos, Arthur poderia ter aberto o placar não fosse uma defesa em dois tempos de Danilo Fernandes. Inflamada desde então, a torcida tricolor chegou a esfriar com a notícia do gol do América, em Caruaru, quando o cronômetro marcava ainda seis minutos no Arruda. Reacendeu-se, no entanto, aos verem os jogadores sem esmorecer dentro de campo.

Só Grafite teve três oportunidades no primeiro tempo. Desperdiçou um gol cara a cara, evitado por Danilo Fernandes. Deu um chute perigoso à longa distância e ainda perdeu de balançar as redes quando recebeu a bola na entrada da pequena área e a colocou para fora. Esse aparente domínio dos mandantes não significou que o Sport foi totalmente inoperante na etapa inicial. Comandado pelo auxiliar Thiago Gomes (Paulo Roberto Falcão está suspenso e nem sequer foi no estádio), o Rubro-negro aproveitava-se, sobretudo, da fragilidade da marcação na lateral direita coral, onde Vitor não dava a cobertura necessária.

 

Com jogadas feitas pelo setor, Everton Felipe e Vinícius Araújo tiveram chances claras de inaugurar o marcador, mas chutaram por cima de Tiago Cardoso. Ambos os lances, diga-se, acabaram sendo construídos pelo chileno Mark González, que voltou a atuar após mais de dois meses afastado por causa de constantes lesões. O preço foi alto para o Leão e o Santa, portanto, terminou premiado pelo maior volume de jogo. Aos 32, um minuto depois da terceira e mais clara oportunidade perdida por Grafite, o camisa 23 deu passe para Keno, que passou por Danilo Fernandes e fez 1 a 0. 

O empate

De vilão a herói no primeiro tempo, Grafite viveu momentos de vilão novamente no início do segundo. Após escanteio cobrado por Luiz Antônio, aos dez, o centroavante cabeceou contra o próprio gol e deixou o duelo em pé de igualdade: 1 a 1. O Santa Cruz voltou dos vestiários em ritmo mais lento. Erros de passes eram frequentes. Deficiência vista pelo técnico Milton Mendes antes mesmo do gol do Sport, quando chamou o meia Daniel Costa para substituir Lelê e melhorar de alguma forma a criação. 

O Santa estava a mais um gol do Sport para ver a sua ida às semifinais ir por água abaixo, mas o empate da Patativa, no Lacerdão, um minuto depois do gol leonino, amenizou a tensão da torcida tricolor. A equipe coral seguia permissiva e pouco eficiente na armação.

O desfalcado Sport, por sua vez, não mostrava tanta avidez para a virada, que não mudaria nada para ele na tabela. Neste cenário, os corais se confiavam no resultado em Caruaru e também não incomodavam mais Danilo Fernandes. O gol da virada do Central, marcado por Araújo no fim do jogo, praticamente finalizou o clássico no Recife. Numa toada sem tanta intensidade, a partida no Arruda foi então se arrastando até o apito final de Gleydson Leite. 

Santa Cruz 1
Tiago Cardoso; Vítor, Neris, Danny Morais, Allan Vieira; Uillian Corrêa, João Paulo, Lelê (Daniel Costa); Keno (Wellington Cézar), Arthur (Wallyson), Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Sport 1
Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Henríquez, Durval e Christianno; Ronaldo (Neto Moura), Serginho, Luiz Antônio e Mark González (Fábio); Everton Felipe (Maicon) e Vinícius Araújo. Técnico: Thiago Gomes (auxiliar).

Local: Arruda (Recife). 
Árbitro: Gleydson Leite (PE). 
Assistentes: Elan Vieira e Albert Junior (ambos de PE). 
Gols: 33’ do 1T (Keno, Santa Cruz) e 10’ do 2T (Grafite contra, Sport)
Cartões amarelos: Keno (Santa Cruz); Serginho e Ronaldo (Sport) 
Público: 16.377
Renda: R$ 296.970,00

DO SUPER ESPORTES PE 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker