Página inicial
 
Mural de recados
27.05 | Alex
É o fim da picada a contratação de Candinho, juntando todos os atacantes não dá ...
26.05 | marcelo
Concordo plenamente com voce paulo esses reporteres das radios de caruaru sao do ...
26.05 | Davi
Infelizmente o editor desse blog não publicou meu comentário, so sei de uma cois ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
21/02/2016
08h14 | esportes - PE 2016
PE 2016 - Sport 2x1Santa Cruz - Rubro Negro vence de virada
O primeiro capítulo do ano do centenário do Clássico das Multidões foi pintado de vermelho e preto. E da forma como todo torcedor adora, com uma vitória de virada. Após descer para o intervalo perdendo de 1 a 0, o Sport venceu o Santa Cruz por 2 a 1, neste domingo, na Ilha do Retiro, e pela primeira vez está no G4 do Campeonato Pernambucano. O triunfo, foi o quarto seguido do Leão, que, embalado, agora concentra forças para a próxima quarta-feira, quando enfrenta o River, em Teresina, pela Copa do Nordeste. Já os corais, que perderam o quarto clássico seguido (antes, haviam caído três vezes para o Náutico), deixam o grupo de classificação às semifinais do Estadual e agora também voltam as atenções para a competião regional. Enfrentam o Juazeirense, quarta-feira, no Arruda.

Para o clássico, os dois times apresentaram novidades na escalação. No Sport, o lateral direito Samuel Xavier, com desconforto muscular, foi vetado pelo departamento médico. Sem um reserva para a posição (Maicon está fora por dois meses devido a uma luxação no ombro), Falcão precisou improvisar o volante Ronaldo no setor. Além disso, o comandante leonino promoveu a estreia do meia Gabriel Xavier, recém-chegado do Cruzeiro. Pelo lado dos corais, Marcelo Martelotte perdeu os volantes Wellington Cézar e Dedé também vetados. Renatinho e o prata da casa Lucas Gomes foram os escolhidos.

No papel, as mudanças eram piores para o Santa Cruz. Afinal, além de não contar com dois titulares, ambos pertencem ao mesmo setor de marcação, o que para um clássico fora de casa tem papel fundamental. Para combater a perda defensiva, Martelotte apostou no poder ofensivo da sua equipe. Com Lelê aberto pela esquerda e Wallyson pela direita como válvulas de escape de velocidade, os tricolores foram superiores no início do clássico.

Tanto, que antes dos 10 minutos de partida, os corais já haviam chegado com perigo por três vezes à meta de Danilo Fernandes. O gol, marcado aos nove, no entanto, saiu com uma colaboração dos rubro-negros. Após cruzamento de Wallyson pela direita, Matheus Ferraz se atrapalhou com Danilo Fernandes, na sequência, após novo cruzamento, dessa vez pela esquerda com Lelê, o zagueiro não conseguiu cortar e Grafite só teve o trabalho de empurrar para as redes. Após 15 anos, o atacante coral voltava a marcar no Sport.

Com a vantagem no placar, o Santa passou a adotar uma postura mais cautelosa. Mesmo assim, seguia melhor em campo. Até Falcão realizar uma mudança de estratégia, invertendo Lenis e Gabriel Xavier de lado, com o colombiano, que até então vinha sendo anulado pelo lateral esquerdo Allan Vieira, passando a explorar sua velocidade para cima do experiente e lento lateral direito Vítor. A alteração renovou o Sport, que conseguiu equilibrar o jogo. Antes nulo no clássico, Lenis teve três boas chances de marcar e o empate só não saiu graças a boas defesas de Tiago Cardoso.
 
 Segundo tempo
As duas equipes voltaram sem alterações. E o início do segundo tempo foi apenas a continuação do final do primeiro. Novamente explorando as costas de Vítor, Lenis avançou, entrou na área e cruzou para Luiz Antônio soltar uma bomba indefensável, empatando o clássico aos seis minutos. Além de sofrer a igualdade, o Tricolor ainda perderia Allan Vieira, um dos melhores em campo, que deixou a partida por cansaço, para a entrada de Tiago Costa. A partida, até então equilibrada, passou a ter o Sport com maior domínio. 

Porém, os leões passaram a esbarrar na ansiedade e nos erros de passe. Já o Santa, a essa altura com Raniel na vaga de Wallyson, procurava, além de fechar o buraco pela direita, voltar a ter posse de bola ofensiva. Aos 28 minutos, sentindo seu time melhor em campo, Falcão sacou o volante Serginho para a entrada do meia Everton Felipe. Com isso, o Leão passou a atacar com quatro jogadores, tendo Gabriel Xavier, centralizado como homem de criação. 

O gol da, a essa altura, justa virada, só sairia aos 34 minutos e com um jogador até então apagado no clássico. Mas que vem mostrando faro de artilheiro. Após cruzamento da direita de Everton Felipe, Túlio de Melo se antecipou à defesa coral e completou para as redes de Tiago Cardoso, marcando seu quarto gol na temporada. O quarto nos últimos quatro jogos. O primeiro com os pés. Definitivamente de paz com a torcida. No fim, gritos de olé dos rubro-negros e vitória do Leão.

Ficha do jogo

Sport 2
Danilo Fernandes; Ronaldo, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Serginho (Everton Felipe), Luiz Antônio e Gabriel Xavier (Neto Moura); Lenis (Johnathan Goiano) e Túlio de Melo. Técnico: Paulo Roberto Falcão.

Santa Cruz 1
Tiago Cardoso; Vítor, Alemão, Danny Morais e Allan Vieira (Tiago Costa); Lucas Gomes, Renatinho e João Paulo, Lelê (Bruno Moraes) e Wallyson (Raniel); Grafite. Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Sebastião Rufino Filho.
Assistentes: Clóvis Amaral e Elan Vieira
Gols: Grafite (8`do 1T, Santa), Luiz Antônio (7`do 2T, Sport) e Túlio de Melo (34’ do 2T, Sport)
Cartões amarelos: Grafite, Lucas Gomes e Vitor (Santa Cruz) Gabriel Xavier e Túlio de Melo (Sport). 
Público: 14.609.
Renda: R$ 315.721,34
 
DO SUPER ESPORTES PE 
Túlio de Melo, Sport
 Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem


.
 
 
 
eXTReMe Tracker