Página inicial
 
Mural de recados
25.06 | jonathas silva Beringuel
Lamentavel mais um ano perdido pro central. mais um ano de sofrimento pra torcid ...
25.06 | Davi
A ultima vez q fui ao Lacerdão foi na eliminação da serie D de 2009 naquele dia ...
25.06 | Ze ligado
Se espantar com o que??? Foi o central sendo o central simplesmente isso. Já per ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
17/10/2015
19h12 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B: De virada, Náutico vence Santa Cruz no Arruda por 3x1 e volta a pensar em acesso à Série A
O Clássico das Emoções foi vencido por quem soube aproveitar asa chances. Foi do time mais competente. Foi da equipe mais aplicada. Foi do Náutico, que incorporou o espírito utilizado em Belém do Pará, quando visitou o Paysandu e venceu inesperadamente. O Timbu deste sábado no Arruda conseguiu ser melhor. Anulou as principais peças do Santa Cruz e foi quase perfeito nas finalizações. Atributos de uma equipe que quer alcançar o acesso à Série A. O resultado não poderia ser diferente. A vitória por 3 a 1 na casa do rival foi inquestionável do ponto de vista de quem queria mais. Por tabela, ainda ultrapassou o rival e segue a dois pontos do G4.

Antes do começo da partida, Gilmar Dal Pozzo surpreendeu. Apesar das informações de que havia treinado com Dakson e Jefferson Nem a semana inteira, o treinador mudou e escalou Fillipe Soutto e Daniel Morais. Porém, o que o técnico alvirrubro sinalizou a semana inteira não foi mudado. Niel foi escalado na lateral direita e com Gaston, anulou Luisinho e Lelê. 

Até os 15 minutos de partida era impossível afirmar quem estava melhor. As duas equipes se limitavam a marcar e buscavam levar perigos aos goleiros através de contra-ataques. A melhor oportunidade do primeiro tempo foi um chute de Renatinho de fora da área que forçou Júlio César a fazer grande defesa. 

O chute deveria ter feito o Santa Cruz ter sido mais ousado, mas o time se segurou. Temia que os contra-ataques do Náutico. Apesar da pouca efetividade do Timbu, Hiltinho era a válvula de escape e o duelo com Allan Vieira foi interessante em alguns momentos. Pouco tempo após o chute de Renatinho, Allan Vieira, que recebeu livre na esquerda, avançou e cruzou na área. O problema é que tanto Bruno Moraes, como Luisinho não chegaram na bola. 

O Timbu demorou para responder, mas aos 22 minutos poderia ter aberto o placar. Faltou apenas um pouco de calma para Daniel Morais ter finalizado melhor. O chute rasteiro foi fraco e nas mãos de Tiago Cardoso. 

O Santa Cruz voltou a tentar responder, mas esbarrou em erros de passe e não conseguia superar a boa marcação do Náutico. Bruno Moraes parecia perdido entre os zagueiros e só funcionou bem quando saiu para receber bola nas laterais do campo. O lance que mudou o placar da partida, se tivesse sido feito da forma correta, tinha a intenção de ir para os pés do camisa 9, mas o cruzamento de Allan Vieira foi interceptado pela perna de Ronaldo Alves. O problema é que ela bateu na mão do zagueiro após ele desviá-la. Vuaden marcou pênalti e Bruno Moraes cobrou com calma para abrir o placar.

O lance empolgou os tricolores e a equipe foi para cima do Timbu. João Paulo fez grande jogada e por pouco não ampliou para os donos da casa. Bruno Moraes apareceu mais e chutou cruzado. O chute foi para as redes, mas pelo lado de fora.

O problema com tanta pressão, é que brechas foram criadas pelo Náutico e o visitante aproveitou a chance que teve. Aos 39 minutos,Daniel Morais soube fazer o pivô dentro da área, passou para Gaston e o lateral esquerdo tocou para o meio da área. Bérgson só teve que empurrar para o fundo do gol e empatar a partida. 

A primeira etapa terminou sem bastantes emoções. Os times apreciam satisfeitos com o empate e pareciam prever um segundo tempo nervoso.

Segundo tempo
A segunda etapa nem começou e o Náutico mais uma vez soube aproveitar a chance que teve. Logo após o apito inicial da segunda etapa, o primeiro ataque do Santa Cruz não deu certo e o Náutico foi letal. Hiltinho arrancou pela direita após falha de Danny Morais no meio de campo, driblou Alemão e chutou em cima de Tiago Cardoso. O goleiro coral ainda tocou na bola, mas falhou e viu o Timbu virar a partida. 

O time coral tentou empatar a partida, mas o nervosismo era visível na equipe. Martelotte tentou mudar. Colocou Raniel no lugar de Renatinho, mas a alteração não teve tempo de ser avaliada de imediato. Um minuto após a substituição, Fillipe Soutto deu um passe fantástico para Hiltinho. O meia, e nome da partida, invadiu a área, driblou Danny Morais e ampliou. A bola ainda bateu caprichosamente na trave, mas a festa daquele momento em diante era alvirrubra no Arruda. 

O Santa Cruz seguiu perdido em campo. O terceiro gol do Alvirrubro criou a situação perfeita para o Náutico. A formação com três volantes e três homens à frente era perfeita para os contra-ataques e Martelotte não soube responder nas modificações. A melhor chance de descontar foi o com Anderson Aquino, que entrou na vaga do apagado Luisinho, em um chute de fora da área. A bola explodiu no travessão de Júlio César e Bruno Moraes não aproveitou o rebote porque acreditava que estava impedido. 

Até o fim da partida, o que se viu foi uma equipe, o Santa Cruz, tentando atacar e outra, o Náutico, se defendendo. Porém, o Timbu jogava com tranquilidade. Sabia que era questão de tempo e segurou o resultado como desejou. 

Agora, as equipes terão uma semana para digerir os resultados. Do lado alvirrubro, a vitória cria motivação para receber o líder Botafogo no próximo sábado e seguir buscando o G4. Já para o Santa Cruz, o momento é lamber as feridas e tentar vislumbrar como será possível voltar a vencer. O duelo é longe de casa e contra o Atlético-GO, que não aspira mais nada na competição.
 

Ficha Técnica
Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vitor, Alemão, Danny Morais e Allan Vieira (Marlon, aos 31’ do 2ºT); Wellington, Renatinho (Raniel, aos 10’ do 2ºT) e João Paulo; Luisinho (Anderson Aquino, aos 18’ do 2ºT), Bruno Moraes e Lelê. Técnico: Marcelo Martelotte.

Náutico

Júlio César; Niel, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Gastón; João Ananias, Jackson Caucaia, Fillipe Soutto e Hiltinho (Jefferson Nem, aos 24’ do 2ºT) ; Bérgson (Gil Mineiro, aos 44’ do 2ºT) e Daniel Morais (Marino, aos 30’ do 2ºT). Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Local: Estádio do Arruda (Recife-PE). 
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS). 
Assistentes: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Carlos Henrique Selbach (RS). 
Gols: Bruno Moraes (aos 30’ do 1ºT) (SAN); Bérgson (aos 39’ do 1ºT) e Hiltinho (1’ e 11’ do 2ºT) (NAU) . 
Cartões amarelos: João Ananias, Jefferson Nem e Bérgson (NAU); Luisinho, João Paulo e Wellington (SAN)
 
Do Super Esportes 
 
 AN171015050
André Nery e Diego Nigro, da JC Imagem
 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker