Página inicial
 
Mural de recados
21.11 | Pierre Santos
Grande Carlos, vc com certeza tá tirando um sarro da cara de nós torcedores inte ...
21.11 | Gustavo
É bem vdd Q a FPF sempre trabalha em prol dos clubes da capital,agora vim falar ...
20.11 | CLEO
VERDADE MARCONDES ESTA É A HORA DA MASSA ALVINEGRA CHEGAR JUNTO. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
22/03/2015
18h18 | esportes - PE 2015
PE 2015 - Frio e calculista, Sport vence o Náutico na Arena

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Mesmo sem grandes objetivos, o Sport foi um time frio e calculista para vencer o Náutico por 2×0 na tarde deste domingo (22), na Arena Pernambuco, pela penúltima rodada do hexagonal do título do Campeonato Pernambucano. O resultado ampliou ainda mais a liderança, agora com 24 pontos. Ao Náutico resta disputar a última vaga com o Salgueiro, no dia 5 de abril, no Cornélio de Barros. Os timbus jogarão pelo empate.

Classificado e sem chance de perder a liderança, o Sport foi a campo com um sistema parecido ao do Náutico: três volantes e apenas um atacante de ofício. A diferença é que os alvirrubros precisavam vencer, por isso posicionaram Bruno Alves e Patrick Vieira pelos lados. Mas ter três jogadores na frente não é garantia de que vai pressionar o adversário. E como os leoninos montaram uma linha de quatro ficou todo mundo bem marcado.

O segundo erro timbu foi deixar a criatividade com o trio de volantes. A proposta do Sport era tirar o espaço deles e deixar Rodrigo Mancha entre as linhas de defesa e meio, quase como uma sobra fixa. Sem saída, o timbu passou a arriscar na bola longa. E novamente se deu mal. Tanto que a primeira boa oportunidade foi dos visitantes. Aos oito minutos, Ronaldo cruzou da direita e a dupla de zaga alvirrubra falhou em sequência. Wendell ficou com a sobra e mandou por cima. O jogo era tão lento que parecia estar sendo disputado debaixo d’água. Só algo fora do contexto para dar uma injeção de ânimo. E aconteceu aos 30.

Ao disputar uma bola com Flávio de cabeça, Joelinton acertou o rosto do rival e foi sumariamente expulso. O timbu demorou mas conseguiu engrenar boas oportunidades depois disso. Aos 40, Gastón cruzou e Bruno Alves apareceu livre para mandar para fora. Dois minutos depois, Renê cochilou e Guilherme encobriu Magrão. A bola bateu caprichosamente no travessão.

Na volta para o segundo tempo, os leoninos vieram com o atacante Mike no lugar do apagado Régis. Nem deu tempo de avaliar o impacto da mudança, pois a um minuto Diego Souza bateu escanteio da direita. Ewerton Pásco atraiu a marcação e Wendel antecipou-se cabeceando para baixo. A bola ainda tocou em Júlio César antes de entrar.

Era tudo que o Sport precisava. Se o time já estava amarrando o jogo com 0x0 apertaria ainda mais o nó com a vantagem. O Náutico teve que ir para a frente, mas quando foi de qualquer jeito acabou com a única vantagem que tinha. Aos nove minutos, Mike puxou contra-ataque e deixou Wendell em ótimas condições. Ele estava perto da linha frontal da área quando Guilherme o derrubou. Como manda a regra, Sebastião Rufino Filho mostrou o vermelho.

Com dez de cada lado os erros dos alvirrubros ficaram ainda mais expostos. Muita bola longa e errada e chiadeira da torcida. O Sport não tinha mais nada a fazer e ficou com os nove de linha no campo defensivo. Quando conseguia espaço saía no contra-ataque. Num deles conseguiu outro escanteio pelo lado direito, aos 31. Durval e Páscoa, que estavam lá na área para caebecar mal sabiam o que os esperava.

O capitão pegou a sobra e deu uma de ponta-esquerda para cima de Flávio. O deixou no chão e cruzou rasteiro. Como não havia centroavante rubro-negro, Páscoa fez as honras da casa e empurrou para as redes. Parte da torcida do Náutico tomou o caminho de casa imediatamente. 

Um gol por uma expulsão
 
Wendell estava à frente de Guilherme, só com Júlio César à frente. Mesmo assim, desacelerou e ofereceu o corpo para a falta. O lateral alvirrubro caiu na arapuca e cometeu a infração. Do jeito que Wendell queria.

Zerado

O goleiro Júlio César ainda não venceu clássicos com a camisa do Náutico. Em cinco oportunidades foram dois empates – ambos com o Santa – e três derrotas: duas para o Sport e uma para os corais. 

 

Senhor vermelho

O garoto Joelinton precisa se acalmar. Disputou dois clássicos este ano e em ambos foi expulso. No primeiro confronto contra o Santa Cruz brigou com Alemão. Agora foi, no mínimo imprudente na disputa com Flávio. Um atacante ser expulso duas vezes em nove rodadas é completamente fora do normal.

Ficha do jogo:

Náutico: Júlio César; Guilherme, Diego, Welton Felipe e Gastón Filgueira; João Ananias, Anderson Preto (Renato), Fillipe Soutto e Bruno Alves (David); Patrick Vieira (Ronny) e Josimar. Técnico: Lisca.

Sport: Magrão; Oswaldo (Vítor), Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ronaldo, Wendell (Elber), Régis (Mike) e Diego Souza; Joelinton. Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Arena Pernambuco. Arbitragem: Sebastião Rufino Filho. Assistentes: Clóvis Amaral e Wlademir de Souza. Gols: Wendell, a um minuto; e Ewerton Páscoa, aos 31 do segundo. Cartões amarelos: João Ananias, David, Renê e Diego Souza. Expulsões: Joelinton e Guilherme.

Fonte: Blog do Torcedor.


.
 
 
 
eXTReMe Tracker