Página inicial
 
Mural de recados
17.11 | CLEO
VERDADE VICTOR HUGO O REINADO DOS TRÊS DA CAPITAL ACABOU,COMO DIZ O DITADO FIZER ...
17.11 | VICTOR HUGO
TA DECRETADA A QUEDA DO SPORT KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Q BELEZA KKKKKKKKKKKKKKKKKK ...
13.11 | CLEO
É VERDADE MARCOS LEITE O TRIO DE FERRO DA CAPITAL FOI UMA VERGONHA ESSE ANO. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
21/02/2015
12h42 | esportes - PE 2015 - Hexagonal do Título
PE 2015 - Hexagonal do Título - Santa Cruz perde para o Salgueiro por 1 a 0 e volta à lanterna do estadual
O Santa Cruz tinha, no Arruda, a oportunidade de deixar a pressão para trás. Após sua primeira vitória no ano, na última quarta-feira frente ao Central, o tricolor jogou diante de sua torcida tendo a segunda vitória no Campeonato Pernambucano 2015 como objetivo. Um triunfo que não só daria tranquilidade ao técnico Ricardinho, como serviria para moralizar a equipe coral. Ainda por cima, quando o Santa Cruz tem na sequência dois clássicos com o Náutico na Arena Pernambuco. E o tricolor bem que foi o dono da bola no primeiro tempo. Na etapa complementar, porém, não manteve o mesmo nível. Deixou o Salgueiro equilibrar as ações. E o Carcará, com gol de Berger, aplicou a terceira derrota coral em quatro rodadas de Estadual.

 

O primeiro tempo foi todo tricolor. A equipe coral dominou a etapa inicial. O Salgueiro não passou de mero espectador privilegiado: assistindo à partida em pleno gramado do Arruda. O zero a zero do placar ao intervalo, sem dúvida alguma, não fez jus ao volume de jogo criado pelos tricolores. E não foi por falta de oportunidades que o Santa Cruz não abriu o placar nos 45 minutos iniciais. Sob o comando de Biteco, que com habilidade ditava o ritmo da construção ofensiva coral, foram várias as chances criadas. Só Betinho teve cinco, por sinal.

Logo no primeiro minuto, Biteco fez belo lançamento em profundidade. Betinho, ao invés de bater de primeira, na saída do goleiro, tentou driblar Luciano e foi parado em boa intervenção do arqueiro sertanejo. Justiça seja feita com Betinho. Não foram apenas más decisões que o impediram de balançar as redes do Carcará no primeiro tempo. O travessão também tem sua parcela de culpa, digamos assim. Foram duas bolas ao poste, ambas após cruzamentos de Renatinho, que chegava com perigo pela esquerda.

Até uma bicicleta o atacante arriscou. E, acreditem, o gol só não saiu por um detalhe. No último lance da etapa inicial, já nos acréscimos, Betinho teve mais uma boa chance. A bola até balançou as redes, mas foi do lado de fora. E, assim, o empate se manteve no placar.

Segundo tempo
Na volta do intervalo, o Santa Cruz deu a impressão de que manteria a mesma toada. O árbitro mal tinha apitado e o tricolor foi logo levando perigo, por intermédio de Waldison, que parou em grande defesa de Luciano. Mera ilusão. Ousado, Sérgio China voltou para o segundo tempo com Berger no lugar de Marlon. E a alteração se mostrou bem sucedida. Após o susto inicial, o Salgueiro equilibrou as ações e passou a chegar com maior frequência ao ataque.
 

Alvo de desconfiança da torcida, carente de seu paredão Tiago Cardoso, o goleiro Bruno voltou a decepcionar. Aos nove minutos, o goleiro hesitou em bola cruzada na área coral. Não saiu para tentar a interceptação e viu Valdeir cabecear. Bruno até tentou defender, mas espalmou para o meio da área, onde estava Berger. Enquanto o Santa Cruz se cansou de desperdiçar chances, o atacante do Carcará não vacilou e abriu o placar.

O gol sertanejo esquentou o confronto. Até demais. Na bola, as duas equipes se alternavam em construções ofensivas, dando mais emoção à partida. E com a adrenalina em alta, os jogadores também se exaltavam em entradas mais duras, que geraram discussões e cartões. Alemão teve uma expulsão poupada aos 27. Tamandaré, no minuto seguinte, foi o primeiro expulso, por indisciplina. Dez minutos depois, foi a vez de João Paulo manchar sua boa atuação com o cartão vermelho.

Com dez jogadores para cada lado e o Santa Cruz sem Biteco, seu melhor jogador, por opção de Ricardinho, a partida caminhou para a surpreendente vitória do Salgueiro, a primeira do time sertanejo no Pernambucano. Derrota coral que aumenta a insatisfação da torcida com o treinador tricolor.

Ficha técnica

Santa Cruz 0
Bruno; Bileu (William Luz), Alemão, Danny Morais e Renatinho; Edson Sitta, Émerson Santos (Thiaguinho), João Paulo e Biteco (Raniel); Betinho e Waldison. Técnico: Ricardinho.
 
Salgueiro 1
Luciano; Ranieri, Marcos Tamandaré, Marlon (Berger), Rogério; Rodolfo, Pio, Vitor Caicó (Kanu), Moreilândia; Valdeir e Paulo Júnior (Clebinho). Técnico: Sérgio China.
 

Estádio: Arruda (Recife-PE). Árbitro: Cláudio Mercante. Assistentes: Cléberson Leite e José Daniel Torres de Araújo. Gols: Berger (Salgueiro). Cartões amarelos: João Paulo, Alemão e Raniel (Santa Cruz); Tamandaré (Salgueiro). Cartão vermelho: João Paulo (Santa Cruz); Tamandaré (Salgueiro). 

Do Super Esportes/PE 

 

santa cruz x salgueiro (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)Jeferson Berger garante vitória do Salgueiro no 2º tempo (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)
...
 
 
 
eXTReMe Tracker