Página inicial
 
Mural de recados
22.11 | CLEO
VERDADE MARCONDES ESSA É A HORA DA MASSA ALVINEGRA AJUDAR O CENTRALZÃO. ...
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
22.11 | paulo
ESSE BABACA DA PATATIVA DEVE SER TORCEDOR DO SPORTE RECIFE ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
07/02/2015
23h36 | esportes - PE 2015
PE 2015 - Santa Cruz é dominado pelo Serra Talhada e perde por 3×0
Sem conseguir se adaptar às condições do jogo, com pouca mobilidade e cedendo espaço aos contra-ataques seria difícil o Santa Cruz sair de Serra Talhada com outro resultado que não fosse a derrota. E assim se fez. Em nenhum momento o tricolor conseguiu mostrar superioridade ao Serra Talhada e caiu por 3×0 no Nildo Pereira, em Serra Talhada, mesmo revés sofrido para o Sport na semana passada que mantém o time sem pontos e sem marcar gols no hexagonal final do Cameponato Pernambucano 2015. Já o Cangaceiro recuperou-se da derrota para o Central e marcou seus primeiros três pontos.

Nem Serra Talhada nem Santa Cruz entraram em campo para esperar o outro jogar para contra-atacar. Como ambos precisavam vencer partiram para cima e pouco se importaram com o gramado do Pereirão. Talvez por isso os zagueiros estiveram mais expostos ao erro. Anderson e Danny Moraes foram os dois que quase entregaram o ouro. O primeiro aos sete minutos ainda teve tempo para recuperar e mandar a escanteio antes da chegada de Bruno Mineiro. Danny cortou nos pés de Bebeto, que devolveu a gentileza ao chutar em cima de Bruno, aos 11.

Taticamente os dois times estavam bem parecidos, com um jogador de referência e um trio vindo de trás para dar o suporte. O jogo manteve-se rigorosamente equilibrado até João Carlos arrancar pela direita com facilidade e cruzar rasteiro para Júnior Juazeiro completar quase dentro do gol. Justamente depois de o Santa tomar o revés, Nielson Nogueira determinou uma parada para hidratação. Ricardinho pediu mais disposição mas não adiantou. Aos 36, Júnior Juazeiro arrancou do meio para o lado direito, recebeu dentro da área e chutou cruzado. A bola ainda bateu na trave antes de entrar. Depois do segundo, o Cangaceiro recuou e deu espaço para o Santa ter mais posse de bola. E ficou apenas na posse, pois o tricolor finalizou pouco e normalmente errando a pontaria.

Na volta para o segundo tempo o tricolor veio de Renatinho e Williams Luz nos lugares de Leo Veloso e Thiaguinho. O Serra Talhada veio com seus atacantes fazendo papel de volantes e deu espaço. Mesmo assim, o time do Arruda não soube explorar os lados do campo, tanto que só o fez com qualidade uma vez quando Biteco deixou Anderson Aquino de frente para o gol mas o chute foi por cima do travessão. Os donos da casa exploraram a velocidade, principalmente pelo seu lado direito do campo, o menos ondulado e a toda hora dava o recado de que poderia complicar ainda mais a situação dos corais.

O Santa só veio dar susto mesmo aos 27 minutos, quando Anderson Aquino pegou a sobra de um escanteio e cruzou para Bruno Mineiro cabecear. Ramon estava pouco à frente da linha fatal e afastou, também de cabeça. Na saída para o contra-ataque do Serra, Pedro Maicon tentou encobrir Bruno, que tirou de ponta de dedo. A segunda tentativa não deu. O Cangaceiro veio com três jogadores e um quarto vindo de trás. Paulinho Mossoró lançou João Carlos pela esquerda, que ainda driblou Bruno antes de cruzar para Cleitinho entrar com bola e tudo. Nos acréscimos, Anderson Aquino acertou a trave cobrando falta e Everton Sena soltou uma bomba da pequena área para grande defesa de Gleibson. Foi muito pouco para quem disputa um Estadual sempre brigando pelo título.

GRAMADO
Entra ano, sai ano e o gramado do Nildo Pereira não perde as ondulações. Até o time da casa, que tanto treina lá sofreu como bem provam as duas pixotadas do zagueiro Andson. Na primeira ele conseguiu se recuperar. Na segunda, teve a proteção do goleiro Gleibson.

MATADOR
Júnior Juazeiro mostrou duas das principais características que um centroavante precisa para ser feliz: bom posicionamento e leitura de jogo. No primeiro gol, estava no meio da área para esperar o cruzamento, por isso, mesmo com a bola quicando, conseguiu entrar quase com bola e tudo. No segundo, deslocou-se do meio para a direita. Recebeu livre e chutou rasteiro.

NÃO VOU ME ADAPTAR
Num gramado ruim o Santa Cruz insistia no jogo pelo meio. O Serra usou bem os dois lados e além de não sofrer com investidas do rival, criou boas situações. No segundo tempo, Renatinho entrou para dar mais ofensividade pelo lado esquerdo mas não conseguiu.

MEIA-BOCA
Além de não se adaptar às condições de jogo, o Santa Cruz também não teve a mesma disposição que o adversário. Na parada técnica o técnico Ricardinho reclamou: “Estamos meia-boca”. O goleiro Bruno foi mais além: “Não ganhamos uma dividida’.

Ficha do jogo:

Serra Talhada: Gleibson; João Carlos, Andson, Alisson e Leo Carioca; Luciano Totó, Diogo, Ramon e Paulinho Mossoró (Jonny); Júnior Juazeiro (Pedro Maicon) e Bebeto (Cleitinho). Técnico: Cícero Monteiro.

Santa Cruz: Bruno; Moisés, Everton Sena, Danny Morais e Leo Veloso (Renatinho); Edson Sitta, Bileu (Gláucio), Guilherme Biteco e Thiaguinho (Williams Luz); Anderson Aquino e Bruno Mineiro. Técnico: Ricardinho.

Local: Nildo Pereira, em Serra Talhada. Árbitro: Nielson Nogueira Dias. Assistentes: Albert Junior e Karla Cavalcanti. Gols: Júnior Juazeiro, aos 21 e 36 minutos do primeiro tempo. Cleitinho, aos 35 do segundo. Cartões amarelos: Luciano Totó, Andson, Thiaguinho e Anderson Aquino.
 
Do Blog do Torcedor 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker