Página inicial
 
Mural de recados
25.05 | Ze ligado
É muito desespero mesmo, Gildo de volta?? 6 opções de ataque que era melhor pega ...
25.05 | Centralino Histórico
Warley, cadê os nossos valores revelados no PE 2017: Tomás e Paulinho Curuá???? ...
24.05 | Antonio
Araújo pedindo 400,000 R$ pro Central !!! Isso é um absurdo, o cara jurou amor a ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
09/08/2014
18h30 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B > Clássico das Emoções: Após primeiro tempo morno, Santa Cruz se encontra e vence fácil Náutico no Arruda: 3x0
Clique e Confira.
Foi um típico clássico de Série B. O Santa Cruz conseguiu superar os seus erros e aproveitar os do Náutico para vencer o clássico deste sábado, no Arruda. O Tricolor ganhou por 3 a 0, mostrando uma atuação mais consistente no segundo tempo. O resultado separou as equipes, que vinham coladas na tabela há algumas rodadas. A equipe coral subiu para décima colocação, voltando a vislumbrar o G4. Já o time alvirrubro volta a se preocupar com a zona de rebaixamento. Agora é o 14º, a apenas três pontos do Oeste, que abre o Z4.

O Santa Cruz começou o jogo marcando na frente, sem deixar o Náutico respirar. Foram cerca de dez minutos de forte pressão, que o Timbu conseguiu suportar. Logo, a partida ficou equilibrada, com muitos erros dos dois lados. Sem muita lucidez no meio, as principais jogadas das duas equipes surgiam graças a esses erros, de posicionamento ou passe.

Pelo lado do Santa Cruz houve uma dificuldade grande em fazer a bola chegar a Léo Gamalho, que atuava à frente de uma linha de três jogadores que deveriam abastecê-lo, formada por Carlos Alberto, Natan e Keno, a novidade de Sergio Guedes para a partida. No Náutico, Tadeu até conseguia segurar a bola, jogando de costas para o gol, mas sem acertar o giro. Marcos Vinicius e Marinho tentavam vir de trás com a bola dominada, mas jogavam distantes um do outro. Sozinhos, não levavam as jogadas à frente.

A melhor chance do jogo foi do Santa Cruz, aos 41 minutos. Após grande jogada de Carlos Alberto e ótimo passe,Leo Gamalho recebi livre, dentro da área, frente a frente com Alessandro. O atacante, porém, desperdiçou a chance, finalizando para fora, para desespero da torcida tricolor presente.

O segundo tempo começou com as equipes errando menos e valorizando mais a posse de bola. O Santa Cruz mostrou um pouco mais de qualidade e consciência, se sobressaindo na partida. O resultado disso foi o gol coral, aos 12 minutos. Keno fez fila, saindo do lado esquerdo em direção à área do Náutico. Não foi parado por ninguém e da meia lua finalizou, sem chance para Alessandro.

O gol movimentou a partida. O Náutico saiu mais para o jogo e teve duas oportunidades de empatar logo em seguida, com Roberto e Tadeu, mas não fez. Com o Timbu em cima, o Santa Cruz passou a jogar no contra-ataque e assim também levava perigo. A partida cheia de erros do primeiro tempo tornou-se um confronto movimentado.

O Santa Cruz mostrou uma boa consistência de jogo, controlando bem a partida. Contava também com a limitação técnica do adversário. O Náutico não conseguia levar perigo ao gol de Tiago Cardoso, dependendo de uma ligação direta ou jogada individual de Marinho, já que Marcos Vinicius desapareceu de campo. Aos 28, o Tricolor matou o confronto. Após passe precioso de Léo Gamalho, Wescley, que havia acabado de entrar, finalizou bem de esquerda.

Com o jogo definido, o Santa Cruz manteve a consistência do seu jogo, valorizando ainda mais a posse de bola. O Náutico, entregue na partida, não conseguia fazer mais nada em campo. Assim, já nós acréscimos, o Tricolor fez o terceiro, após contra-ataque armado por Léo Gamalho. Ele serviu Wescley, que levou para cima do zagueiro e chutou com força. Alessandro não viu nem a cor da bola.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Tony (Nininho), Everton Sena, Marllon e Renatinho; Sandro  Manoel, Everton, Natan (Wescley) e Carlos Alberto; Léo Gamalho e Keno (Pingo). Técnico: Sérgio Guedes

Náutico
Alessandro; Neílson, Mario Risso, Renato Chaves e Raí; Gilmak, Elicarlos, Roberto (Vitor Michels), Marcos Vinícius (Vinícius) e Marinho; Tadeu. Técnico: Sidney Moraes

Estádio: Arruda. Árbitro: Pericles Bassols (FIFA-RJ). Assistentes: Clóvis Amaral e Albert Junior (ambos de PÉ). Gols: Keno (aos 12 do 2oT), Wescley (aos 28 do 2oT e aos 48 do 2oT). Cartões amarelos: Natan, Keno, Marllon (S), Neilson, Gilmak (N). Público: 21.665. Renda: R$ 386.809,00.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker