Página inicial
 
Mural de recados
21.04 | Paulo alvinegro
Aleluia,aleluia a paz voltou ao central será mesmo vamos aguardar. ...
21.04 | Manoel
AGORA VAI GERA UMA NOVA PESPEQUITIVA NO CENTRAL COM A UNIÃO DA DIRETORIA, SÓ NÃO ...
20.04 | Manoel
Agora não há mais tempo para fazer mudanças acho que Lucius foi o pior president ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
29/05/2012
08h00 | esportes - FUTEBOL PERNAMBUCANO
SPORT e NÁUTICO: Pense num gol caro!
Clique e Confira >>>
Brenno Costa/ DP/ DA Press
Do Super Esportes 
Quanto vale o gol de um atacante? Para o torcedor, responder a pergunta é difícil. Depende de cada gol. Aquele que vale uma vitória, um título, não tem preço. Para os cofres dos clubes, porém, é possível encontrar uma resposta na relação custo-benefício. Investimento e gols marcados. Um ônus/bônus que fica na conta dos atacantes. Conta que está salgada demais para Náutico e Sport nesta temporada. Representantes pernambucanos na Série A, os dois clubes ainda não encontraram os seus matadores - ou eles ainda não despontaram. Estão pagando caro por isso. E por cada gol deles.

A constatação está numa análise realizada pelo Superesportes considerando os salários pagos aos atacantes e os gols marcados por eles na temporada 2012. A conclusão é que nenhum conseguiu, até agora, dar o retorno ao investimento. Em alguns casos, investimento alto demais. Os casos emblemáticos são de Rodrigo Tiuí, do Timbu, e Willians, do Leão. Considerando os salários recebidos neste ano, cada gol marcado pelo alvirrubro custou R$ 150 mil. O atleta rubro-negro, que está se recuperando de uma lesão, %u201Ccobrou%u201D menos pelos gols feitos nesta temporada: R$ 116 mil.

Ainda pelo Leão, o recém-chegado Felipe Azevedo veio com salário de R$ 50 mil, mas ainda não balançou a redes. Já Roberson, com um custo mensal de R$ 15 mil, disputou apenas nove jogos em 2012 por causa da lesão no joelho e fez apenas dois gols. Cada tento, portanto, custou R$ 37,5 mil. O prata da casa Ruan é o de menor custo. Os dois gols assinalados por ele saíram por R$ 12,5 mil (os outros números do Sport estão na arte acima).

Em geral, os valores são altos e geram insatisfação nos %u201Cclientes%u201D. Os torcedores das equipes já demonstraram insatisfação com o rendimento dos setores ofensivos. E estão preocupados por conta da Série A. A torcida é dupla. Primeiro para que os atacantes que estão desde o Estadual nos clubes entrem num período de %u201Cqueima de estoque%u201D dos gols. Tenham guardado os gols para a Série A.

Outra expectativa recai sobre os recém-contratados. No caso do Náutico, Araújo, que entrou em campo duas vezes e marcou um gol, e Kim, que se apresenta ao clube nesta terça-feira. Ele se encaixa no perfil de centroavante pedido pelo técnico Alexandre Gallo, embora não seja um nome que convença muito. Há ainda a esperança no retorno de Kieza. As negociações estão em curso. No Leão, o jovem Henrique é a nova aposta. Artilheiro e melhor jogador do último Mundial sub-20, o jogador vem do São Paulo por empréstimo. Que os novos investimentos sejam mais rentáveis em campo do que os antigos.
Brenno Costa/ DP/ DA Press

.
 
 
 
eXTReMe Tracker