Página inicial
 
Mural de recados
18.11 | Paulo alvinegro
Era o ano pra um time do interior chegar lá com o rebaixamento dos três da capit ...
18.11 | MARCONDES
´PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTORIA DO FUTEBOL PE. 3 GRANDES CAIRAM, A COMEÇAR PELO M ...
17.11 | CLEO
VERDADE VICTOR HUGO O REINADO DOS TRÊS DA CAPITAL ACABOU,COMO DIZ O DITADO FIZER ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
21/05/2012
12h22 | esportes - SÉRIE A
As carências e os possíveis reforços de Sport e Náutico para o Brasileirão
Rivais ainda procuram reforços para fazer boa campanha na elite

Do Super Esportes

Os erros nas contrações e as decepções no primeiro semestre fizeram Sport e Náutico traçar novos plaanos para os elencos. Contratações, dispensas e mudança no comando técnico foram as atitudes emergenciais adotadas pelas diretorias. Com o calendário apertado, porém, os times entraram na Série A ainda desfigurados. Os dois precisam de reforços da defesa ao ataque. Abaixo, o Superesportes lista as carências das equipes e os nomes cotados para ocupar o setor.

Sport
Não é mais segredo que os leoninos têm encontrado dificuldade para montar o elenco para a Primeira Divisão. A realidade está presente no discurso da própria diretoria. O mercado inflacionado é o principal entrave a ser superado. No entanto, o calendário exige é cruel e exige rapidez. Do contrário, as rodadas se passam e os pontos ficam perdidos.

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press 
Thiaguinho atuou improvisado como meia
Para começar, o setor defensivo precisa de um lateral esquerdo. Reinaldo, contratado junto ao Paulista, chega com boas referências. Porém, não é certeza de sucesso. Na reserva, o prata da casa Renê ainda busca a afirmação e tem sido preterido por Rivaldo, que já mostrou cair de produção quando atua deslocado do meio-campo. Para esse setor, já se comentou no interesse em Diego Renan, do Cruzeiro.

No meio-campo, os leoninos estão bem servidos de volante em quantidade. Ainda assim, Hamilton precisa de um substituto à altura. Afinal, Diogo Oliveira ainda não conseguiu reencontrar o futebol de campeão brasileiro apresentado no Fluminense, em 2010. Para esse espaço, porém, nenhum nome foi especulado ou confirmado. Ainda assim, é no setor criativo que o Sport está mais carente. Depois da "dispensa" de Marcelinho Paraíba, a equipe está sem o homem da transição.

Para o setor, o Sport pretendia anunciar Roger, do Cruzeiro. No entanto, o jogador sofreu uma lesão no joelho. Fato que esfriou o acerto. Outro nome que está lista do Sport é Renato Cajá, que estava na Ponte Preta. O jogador tem passe preso a um clube chinês, e os leoninos tentam a liberação. Além disso, o clube tentou o meia Hugo, ex-São Paulo e Grêmio, mas a pedida alta de salário (especula-se R$ 300 mil por mês) invibializou a contratação. Outra atleta procurado foi Felipe Menezes, que estava no Botafogo e pertence ao Benfica. No entanto, o clube português não teria liberado o meia.

Fato é, contudo, que o clube da Praça da Bandeira precisa de, pelo menos, três peças para a criação. Afinal, as opções que existem são Jackson e Anderson Paraíba, que ainda não se  firmaram nos profissionais, e Thiaguinho, lateral de origem. Existe a clara consciência de que a atuação diante do Flamengo foi um alento. No entanto, o nível só crescerá com uma maior quantidade e qualidade de jogadores.

No ataque, o cenário se repete. Felipe Azevedo chega com boas referências e acaba de conquistar a artilharia do Campeonato Cearense. Apesar disso, ele faz a função de segundo homem da linha ofensiva, caindo pelos lados. Precisa, além de um jogador para acirrar a disputa no setor junto com Marquinhos Gabriel, um outro centroavante, que estimule uma briga pela posição com Jael. Para o setor, Kieza, Fernando Baiano e Henrique, ex-São Paulo, estão na lista.

Maria Eugênia Nunes/Diario de Pernambuco 


Náutico
Pode-se dizer que o único setor que o Náutico não precisa se reforçar é a cabeça de área. O time tem sete volantes no total, todos com condições de brigar pela titularidade. São eles: Derley, Souza, Elicarlos, Martinez, Glaydson, Ramirez e Auremir. A zaga alvirrubra também está bem servida. Pelo menos em quantidade, com Marlon, Ronaldo Alves, César Marques e Márcio Rosário. Resta saber se vão render.

Já para as laterais, o Timbu precisa correr de atrás de jogadores. Na direita, há apenas Alessandro - que está machucado na coxa. Auremir também pode cumprir a função, mas talvez ainda esteja "verde" para uma sequência na Série A e já foi provado que ele rende mais como volante. Na esquerda, o técnico Alexandre Gallo conta só com o recém-chegado João Paulo. O experiente Lúcio faz esse papel. Porém, o atleta chegou aos Aflitos para jogar no meio-campo, diante das dificuldades de mercado para trazer alguém qualificado para o setor.

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press 
Auremir foi deslocado para a lateral
Sim, neste setor de criação o Náutico está bastante carente. Além de Lúcio, o elenco tem Breitner, Cleverson e Ramón, sendo ésse último o único "cabeça pensante" do time. Os outros dois exercem mais a função de terceiro homem de meio-campo. Portanto, a diretoria precisa correr atrás de um jogador "clássico", de preferência rodado e com bagagem na Primeira Divisão, para poder preencher essa lacuna.

O ataque alvirrubro é, sem sombra de dúvidas, a posição que mais necessita de atletas de qualidade. No mínimo dois. Araújo chegou para ser titular, é bem verdade. Entretanto, falta alguém para jogar ao seu lado, além de gente para o banco de reservas. Rodrigo Tiuí e Siloé não renderam nem mesmo no Campeonato Pernambucano 2012, de um nível baixíssimo. No Brasileirão, as expectativas não são nada animadoras.

O argentino Andrés Romero, contratado no começo deste mês, ainda é uma incógnita. Chegou-se a cogitar Jóbson, do Botafogo. Mas a direção não quis confimar o nome. O nome de Gilberto, ex-Santa Cruz, também foi falado. O Internacional, contudo, não deve liberá-lo. Para fechar o plantel, o Náutico corre atrás de quatro reforços: um atacante, um meia e dois laterais.
Maria Eugênia Nunes/Diario de Pernambuco

.
 
 
 
eXTReMe Tracker