Página inicial
 
Mural de recados
20.08 | Jose Helio Pessoa
Bom dia centralinos, surge uma esperança na história do nosso querido Central de ...
19.08 | Gustavo
O Atletico do Acre conseguio o acesso pra serie C com uma folha salarial de 60 m ...
19.08 | Antonio do Salgado
Com certeza ja deram um ninha em Airton Junior, e sobre a outra chapa kd o Alexa ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
18/01/2012
22h21 | esportes - PERNAMBUCANO 2012
PERNAMBUCANO 2012: Santa Cruz cede espaço ao Salgueiro e perde por 2x0
Clique e Confira >>>
O Santa Cruz sofreu com a falta de criatividade e conheceu sua primeira derrota no Pernambucano Coca-Cola 2012. O atual campeão estadual foi ao sertão e terminou como coadjuvante da festa do Salgueiro na reinauguração do estádio Cornélio de Barros ao perder por 2x0. Na próxima rodada, os corais terão pela frente o Serra Talhada, líder da competição. O Carcará vai a Paulista enfrentar o América.

O técnico Zé Teodoro preferiu a prudência ao escalar o zagueiro Éverton Sena e preterindo o volante Leo. Apesar de a marcação ficar, na teoria, mais forte, a escolha deu mais campo para o Salgueiro trabalhar e consequentemente manteve o tricolor mais distante do gol sertanejo.

Para completar, o Carcará manteve uma marcação mais forte em Elvis, único meia de origem, o que ajudou a prejudicar a armação das jogadas corais. Assim, foi o time da casa a criar a primeira boa chance. Aos cinco minutos, Vítor Caicó chutou de longe e Tiago Cardos fez boa defesa. A pressão continuou em cabeçadas para fora de Luiz Eduardo e Fabrício Ceará.

O que atrapalhava o Salgueiro era a opção do time em insistir nas jogadas pelo meio. Tanto que a primeira boa jogada pelo lado só aconteceu aos 26, quando Tamandaré fugiu pela direita e cruzou. Mas Éverton Sena estava atento e cortou. Coincidentemente, os laterais poderiam ser a válvula de escape dos campeões pernambucanos, já que o meio sofria crise criativa. Porém, tanto Renatinho quanto Eduardo Arroz não conseguiam evoluir.

De tanto insistir na bola alta o time da casa terminou vencendo pela canseira. Aos 34 minutos Peri bateu falta na área. Fabrício Ceará estava bem posicionado no meio da defesa coral e cabeceou sem chance de defesa para Tiago Cardoso. O Santa não fez nada digno da palavra reação. O técnico Zé Teodoro pedia o tempo todo para a equipe tocar a bola mas com um jogador menos técnico, Éverton Sena, no lugar de um meia de origem e com seu maestro (Weslley) bem marcado ficou difícil.

Era lógica uma mudança no setor de criação tricolor na volta para o segundo tempo. E assim foi feito. Natan voltou no lugar de Éverton Sena. Mas foi o Salgueiro quem alterou a história da partida logo no início. Aos três minutos Elvis bateu falta e o goleiro tricolor só pôde olhar a bola entrar sem mais nada a fazer.

Desta vez os visitantes não aceitaram o gol adversário com tanta passividade. O problema, para o Santa, é que o Salgueiro marcava com muita disciplina e, embora o toque de bola melhorasse não havia oportunidade de finalizar. Assim, o técnico Zé Teodoro tentou dar mais velocidade com a entrada de Jefferson Maranhão no lugar de Eduardo Arroz. Weslley ocupou a lateral direita.

E logo em sua primeira participação, Maranhão quase diminui o prejuízo. Depois de bate-rebate na área ele chutou raspando a trave. A postura mais ofensiva do Santa Cruz fez com que o Salgueiro usasse a arma que o adversário empunhou mas não disparou no primeiro tempo: o contra-ataque. No primeiro deles, aos 23, Clebson acertou a trave. No segundo, a zaga afastou para escanteio.

A situação piorou para o time da Capital aos 28. Leandro Souza agarrou Fabrício Ceará, repetindo a mesma infração que lhe rendeu cartão amarelo no início do segundo tempo. O árbitro Ricardo Tavares repetiu a advertência. Só que o segundo amarelo rende o vermelho e o defensor, que fazia sua estreia em 2012, foi embora mais cedo.

Era o balde de água fria para arrefecer qualquer esboço de reação tricolor. O time precisou recuar seus volantes para dar mais cobertura à zaga e os dois setores - meio e ataque - ficaram mais distantes. O Salgueiro passou a administrar o resultado e esperar o final da partida.

Ficha do jogo:

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Luiz Eduardo, Alemão e Peri (Romário); Pio, Josa, Vitor Caicó (Tinho) e Clebson; Elvis (Edmar) e Fabrício Ceará. Técnico: Neco.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Eduardo Arroz (Jefferson Maranhão), Leandro Souza, André Oliveira e Renatinho; Chicão, Memo, Éverton Sena (Natan) e Weslley; Branquinho e Flávio Recife. Técnico: Zé Teodoro.

Local: Estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro. Árbitro: Ricardo Tavares. Assistentes: Ubirajara Ferraz e Alcides Lira. Gols: Fabrício Ceará, aos 34 do primeiro tempo. Elvis, aos três .Cartões amarelos: Pio e Weslley. Expulsão: Leandro Souza. Renda: R$ 15.990. Público: 8.158.
  

.
 
 
 
eXTReMe Tracker