Página inicial
 
Mural de recados
18.11 | Paulo alvinegro
Era o ano pra um time do interior chegar lá com o rebaixamento dos três da capit ...
18.11 | MARCONDES
´PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTORIA DO FUTEBOL PE. 3 GRANDES CAIRAM, A COMEÇAR PELO M ...
17.11 | CLEO
VERDADE VICTOR HUGO O REINADO DOS TRÊS DA CAPITAL ACABOU,COMO DIZ O DITADO FIZER ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
08/05/2011
18h21 | esportes - PERNAMBUCANO 2011
PERNAMBUCANO 2011 - FINAL: Santa Cruz vence o Sport por 2 x 0 e fica com a mão na taça
Clique e confira!
A redenção tricolor está perto. Em uma partida de muita aplicação tática e contundência nos contra-ataques, o Santa Cruz abriu uma grande vantagem na disputa pelo título pernambucano de 2011. Em plena Ilha do Retiro, neste domingo, a Cobral Coral voltou a vencer o rival Sport no Estadual - terceira vez em três jogos. Assim como nos duelos anteriores, o placar foi o mesmo: 2 x 0, gols dos atacantes Gilberto e Landu. Com o resultado - com muita reclamação dos leoninos por causa da atuação do árbitro Cláudio Mercante - , o Santa poderá perder por até um gol de diferença no Arruda, no próximo domingo, que ainda assim ficará com o troféu, longe das Repúblicas Independentes desde 2005. 

Jogo -  Com os dois times escalados no 3-5-2, o clássico começou quente. Com apenas dez segundos, a primeira polêmica. O Santa deu início à final e recuou a bola. Bruno Mineiro partiu em velocidade e Thiago Mathias escorregou. O atacante rubro-negro se aproveitou do lance e partiu, livre, mas foi derrubado pelo capitão coral. Os leoninos pediram o cartão vermelho ao árbitro Cláudio Mercante, que contemporizou e deu o amarelo ao defensor tricolor. De qualquer forma, foi o terceiro amarelo de Mathias, suspenso na decisão. Na cobrança da falta, após dois minutos de paralisação, Marcelinho Paraíba acertou a barreira. 

Após a confusão, o “futebol” de fato, em um duelo muito truncado, em um gramado molhado na Ilha. Nos primeiros minutos, muitos chutões e jogadores escorregando em campo, mostrando que a queda de Thiago Mathias no primeiro lance era só o primeiro exemplo. Aos 11 minutos, o xerife coral, muito nervoso, cometeu outra falta, novamente em Bruno Mineiro. Puxou o rubro-negro quase em cima da linha da grande área. Por pouco, não foi pênalti.

O Sport se postava melhor em campo, com mais volume de jogo, atuando quase o tempo todo no lado tricolor do campo. Mas, no futebol, domínio em campo se traduz em gol. Finalização, sim. E isso o Leão não conseguiu encaixar. Em sua proposta de contra-ataques, o Santa mostrou a diferença. Aos 33 minutos, Gilberto dominou a bola na entrada da área e acertou um chutaço no ângulo esquerdo de Magrão. Um golaço.

Em vantagem, o Tricolor apertou ainda mais o ferrolho em campo, mas sem esquecer dos contragolpes. Aos 44, Landu arriscou de longe, quase da mesma posição de Gilberto. Nessa, Magrão espalmou. No fim da primeira etapa, com a torcida coral comemorando na geral do placar eletrônico, o técnico Zé Teodoro aproveitou para pedir calma aos jogadores. Até ali, cinco atletas já haviam recebido cartão.

Na etapa final, o Sport não voltou com o mesmo ímpeto nos primeiros instantes. O tiem só acordou aos 5 minutos, em um rápido contra-ataque puxado pelo ala Renato, que, na entrada da área, chutou muito mal, por cima da meta de Tiago Cardoso. A resposta coral quase foi letal. Numa roubada de bola, Mário Lúcio enfiou para Gilberto, que ganhou novamente de Igor e tocou com categoria, no cantinho de Magrão. A bola passou raspando a trave. 

Aí, o jogo ficou lá e cá, com o Santa buscando mais o campo ofensivo. Antes, Bruno Mineiro ainda acertou uma cabeçada perigosa, aos 8. As 15 minutos, Hélio dos Anjos mudou a formação tática do Sport, ao colocar Dutra no lugar de Daniel Paulista. Assim, adiantou Tobi como volante e colocou Saci no meio-campo, deixando o time no 4-4-2.

Aos 15, já na base da pressão, Marcelinho Paraíba cruzou fechado na área e Ciro cabeceou forte, mas Tiago Cardoso salvou a meta tricolor. O camisa 1 seguiu fazendo milagres, logo depois em uma chute de Saci. Novamente, a resposta coral, venenosa. Aos 18, a zaga rubro-negra escorregou e Renatinho tocou para Landu, livre, toca para o fundo das redes, ampliando a vantagem na Ilha.

Só virou goleada aos 30 minutos, porque Gilberto, no enésimo contragolpe no jogo, bateu fraco e Magrão conseguiu defender. Três minutos depois, em lance parecidíssimo, Thiago Cunha, que entrara no lugar de Landu, bateu bem, mas o goleiro do Sport fez outra bela defesa. Ainda assim, uma enorme vantagem. O Santa está com a mão na taça.

FICHA DO JOGO

0 Sport
Magrão; Igor, Tobi (Romerito) e Alex Bruno; Renato, Hamilton, Daniel Paulista (Dutra), Marcelinho Paraíba e Wellington Saci; Bruno Mineiro e Ciro (Pablo Pereira). Técnico: Hélio dos Anjos

2 Santa Cruz
Tiago Cardoso; Leandro Souza, Thiago Mathias (André Oliveira) e Everton Sena; Mário Lúcio (Têti), Jeovânio, Memo, Weslley e Renatinho; Gilberto e Landu (Thiago Cunha). Técnico: Zé Teodoro

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Cláudio Mercante. Assistentes: Erich Bandeira e Ubirajara Ferraz. Árbitros assistentes: Nielson Nogueira e Sebastião Rufino Filho. Gols: Gilberto e Landu (SC). Cartões amarelos: Hamilton e Saci (S); Thiago Mathias, Everton Sena, Mário Lúcio, Landu, Renatinho e Weslley (SC). Público: 30.169 torcedores. Renda: R$ 616.700.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker