Página inicial
 
Mural de recados
27.05 | Alex
É o fim da picada a contratação de Candinho, juntando todos os atacantes não dá ...
26.05 | marcelo
Concordo plenamente com voce paulo esses reporteres das radios de caruaru sao do ...
26.05 | Davi
Infelizmente o editor desse blog não publicou meu comentário, so sei de uma cois ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
24/04/2011
18h17 | esportes - Pernambucano 2011
PERNAMBUCANO 2011: Sport 3 x 1 Náutico - Leão bate o Timbu e está mais perto da final
Melhor em campo, equipe rubro-negra vence o primeiro clássico na temporada

O Sport não perdeu a oportunidade de jogar dentro de casa e conquistou uma importante vitória sobre o Náutico nas semifinais do Pernambucano Coca-Cola 2011. Com gols de Bruno Mineiro, Marcelinho Paraíba e Ciro, o Leão bateu o Timbu por 3x1, e abriu uma importante vitória diante do rival na briga por  uma das vagas do Estadual. Na partida de volta, nos Aflitos, marcada para o próximo domingo, o Sport pode até perder por um gol de diferença. Para o Náutico, uma vitória por 2x0 garante a presença na final. Promessa de mais emoção para o torcedor. Neste duelo da Ilha do Retiro, Marcelinho Paraíba, com 15 votos, foi eleito o craque do jogo. Carlinhos Bala recebeu 14 votos.

Jogando de  forma organizada como muito na se via neste Pernambucano, o Sport conseguiu envolver o adversário. O meio-de-campo, que sempre foi alvo de críticas neste Estadual, esteve bem ajustaado. Marcou forte e trabalhou a bola com consciência, variando as jogadas e criando situações de gols. O Leão teve paciência para estudar o adversário, tocar a bola e atacar de forma muito organizada. Por outro lado, o Náutico não acertou o pé. O meia Eduardo Ramos, que deveria ser o jogador a construir as jogadas ofensivas, está apagado, enquanto os laterais, além de não conseguir apoiar, estão dando brechas para o Sport atacar com Renato e Wellington Saci. A ponto do técnico Roberto Fernandes tirar o lateral-direito Heffner, aos 26 minutos, colocando o meia William.

O Sport abriu o placar aos 25 minutos. Wellington Saci ganhou uma bola e passou para Bala, que foi à linha de fundo e cruzou. Bruno Mineiro chegou e empurrou para as redes. O time rubro-negro continuou melhor e ampliou aos 46 minutos. Wellington Saci lançou Bala, que cruzou com precisão para Marcelinho Paraíba pegar de primeira.

O primeiro tempo também foi marcado por lances acidentais. Numa disputa de bola, o volante rubro-negro Tóbi acertou uma cabeçada na cabeça do atacante alvirrubro Ricardo Xavier. Sangue no gramado e Ricardo Xavier teve que fazer um curativo. Depois, Xavier, também numa disputa de bola acertou a chuteira na cabeça do zagueiro rubro-negro Igor. O jogador do Leão também ficou com a cabeça ensanguentada e teve que ser substituído por Montoua. 

E um lance que poderia gerar polêmica: Bruno Mineiro foi lançado, entrou na área e foi derrubado pelo goleiro Glédson. O árbitro Cláudio Mercante marcou pênalti e o assistente Alcides Lyra marcou impedimento. Mercante acertou ao ouvir o assistente e assinalar impedimento.

No segundo tempo, o Sport resolveu apostar no regulamento. Apertou mais a marcação e passou a tocar a bola, esperando o Náutico. A tática era a de não tomar gols e tentar ampliar o placar se houvesse oportunidade. O time rubro-negro resolveu não se atirar ao ataque muito cedo. Percebendo isso, o técnico do Náutico, Roberto Fernandes, sacou o volante Elicarlos e escalou o atacante Rogério. A partir daquele momento, o Timbu cresceu no jogo e dominou as ações da partida. Aos 35 minutos, após cruzamento da direita, Rogério, livre de marcação, cabeceou e estufou as redes de Magrão.

O Náuticou passou a ter mais confiança. Foi para cima. Já que não viu o Sport buscar o ataque, tentou o gol de empate. No entanto, veio o castigo. Aos 43 minutos, Bala disputa uma bola com a zaga alvirrubra e, de cabeça, manda para Ciro. O atacante chutou forte, rasteiro e no canto de Glédson. No minuto seguinte, Ricardo Xavier, livre de marcação, acertou a trave de Magrão, perdendo uma chance clara para diminuir o placar. No entanto, ao final do jogo, os rubro-negros comemoraram a vantagem de 3x1.


Ciro entrou no segundo tempo e fez o terceiro gol do Sport no clássico/Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Ficha técnica

Sport
Magrão, Renato, Igor (Montoya), Alex Bruno e Wellington Saci; Hamilton, Tóbi, Daniel Palista e Marcelinho Paraíba (Jó); Carlinhos Bala e Bruno Mineiro (Ciro). Técnico: Hélio dos Anjos.

Náutico
Glédson, Rodrigo Heffner (William), Everton Luís, Walter e Airton; Everton (Jorge Felipe), Derley, Elicarlos (Rogério) e Eduardo Ramos; Ricardo Xavier e Bruno Meneghel. Técnico: Roberto Fernandes. 

Local: Estádio da Ilha do Retiro. 
Árbitro: Cláudio Mercante.
Assistentes: Ubirajara Ferraz e Alcides Lira. 
Gols: Bruno Mineiro, aos 26 minutos, Marcelinho Paraíba, aos 46 minutos do primeiro tempo. Rogério, aos 35 minutos, e Ciro, aos 43 minutos do segundo tempo. 
Cartões amarelos: Ricardo Xavier, Everton, Tóbi, Renato, Walter, Daniel Paulista, Hamilton.
Público: 23.601.
Renda: R$ 412.720,00.

Do Blog do Torcedor 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker