Página inicial
 
Mural de recados
22.06 | Paulo alvinegro
Pois é patativa também dei a viagem perdida não tinha ingresso nenhum na sede o ...
22.06 | Patativa
O central e seu amadorismo fui até o lacerdao nesta quinta feira comprar meu ing ...
22.06 | José
Boa tarde Warley, Se caso o central empatar essa partida, ele ta classificado ? ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
02/04/2011
09h23 | esportes - PERNAMBUCANO 2011
(PERNAMBUCANO) - Uma estranha rodada em 1986, será repetida este final de semana?
Entenda o caso!
do blog do torcedor 

Clique na imagem para ler ampliado o topo da página

A imagem acima é do Jornal do Commercio de 3 de agosto de 1968, dia em que o Náutico iria realizar uma partida totalmente fora dos padrões.

Os Timbus precisavam perder do Central para continuarem tendo chances de seguirem vivos no Campeonato Pernambucano.

Explica-se: naquela época havia três turnos e, se houvesse um vencedor diferente em cada um, esses três mais um quarto time, que tivesse melhor pontuação geral, iriam para um quadrangular. Sport e Santa Cruz haviam faturado os dois primeiros, e o terceiro já não estava mais ao alcance do Náutico, que por isso dependia da conquista do Central para viver.

O Náutico jogou com vários juniores, perdeu pênalti, fez gol contra. Todos garantiram que não houve corpo mole, nem ordem alguma para abrir. Mas tudo indicava isso. Só os juniores salvaram essa imagem porque suaram muito na partida. Mas os experientes tiveram atuações bem abaixo do comum.

Por sinal, o Blog do Torcedor recebeu nesta semana a ligação de um jogador do Náutico dessa partida, o ex-lateral-esquerdo Irani, comentando sobre o episódio.

Irani dos Santos Silveira, 44 anos, tinha 19 anos na época. Ao todo, ele ficou seis nos Aflitos, juntando juvenil e profissional. Atuou também por equipes como Icasa e América-RN. Hoje em dia trabalha na CTTU e é torcedor do Náutico.

Veja a narração dele para o episódio:

"Naquele jogo, ali, não passaram nada pra mim nem para alguns que eu conheço. Mas a gente acha que outros caras mais experientes, como Carlinhos (volante e lateral-esquerdo que perdeu um pênalti), Roberval (zagueiro que fez um gol contra), facilitaram. Inclusive houve até uma briga feia na descida do vestiário por causa disso. Fernando Lasalvia discutiu com Carlinhos, que perdeu o pênalti. Fernando tinha pego a bola para bater o pênalti, mas o técnico na época, Edinho (que viria a ser presidente do Santa Cruz), pediu para Carlinhos bater, e ele praticamente devolveu a bola. A gente acha que ele era um dos caras que abriram. Na verdade o técnico era Carlos Alberto Torres, mas ele vivia sempre viajando. Botaram um time misto, inclusive deu chance para a gente mostrar nosso futebol. Tinha Ivaldo, Fernando Lasalvia, a gente estava subindo para jogar. O treinador da época era Edinho (que viria a ser presidente do Santa Cruz)."

Enquanto isso, o Santa Cruz enfrentaria o Sport na Ilha do Retiro. Havia algumas partidas que os tricolores não venciam na casa do rival. Precisavam vencer para continuar na liderança junto ao Central.

Curioso que os jogos foram Náutico x Central e Sport x Santa Cruz. Mesmos times e com os mesmos mandantes desse fim de semana. E naquele agosto de 1986 os dois visitantes levaram a melhor. Se isso acontecer neste fim de semana, o Sport se complicará bastante.

Voltando a 1986: com os resultados, foi necessário realizar uma partida extra em Caruaru, para definir o campeão do turno, como destaca a matéria de dois dias depois (naquela época não havia notícias de Sport na segunda-feira). Mas não teve jeito, o Santa Cruz venceu e foi fazer a final com o Sport.

Veja abaixo o destaque dos dois textos que narraram os acontecimentos da rodada:

Clique na imagem para ler ampliado

E o já citado Irani, quando perguntado se ele achava que o Náutico deveria facilitar para o Central neste sábado só para manter a Patativa com chances de classificar na vaga que hoje é do Sport, comentou:

"Acho que não. Tem que preservar o nome do time, embora o regulamento mais uma vez ajuda até para distanciar um pouco do Sport. Mas isso tudo que está passando é por culpa de um regulamento mal elaborado, uma tabela má elaborada, mas isso é culpa dos dirigentes e eu não concordo também."

FICHA DO JOGO

Náutico 0 x 2 Central 

Náutico: Manguinha, Alípio (Irani), Roberval, Flávio (Vamberto) e Carlinhos; Edvaldo, Beto Cruz e Beto Sabino; Ivaldo, Fernando Lasálvia e Marquinhos.

Central: Jorge Luís, Zé Carlos, Luís Carlos, Marcos e Erivan, Marinho, Reginaldo da Silva e Júnior. Adauto (Jorge Vinícius), Ricardo e Sil.

Competição: Campeonato Pernambucano. Data: 3 de agosto de 1986. Local: Arruda. Árbitro: Elias Coelho. Auxiliares: Jurandir Lins e Severino Barbosa. Renda: Cz$ 43.753,00. Público: 2.995 pagantes.

----------------------------

E MAIS

Veja abaixo a imagem de uma página inteira do Jornal do Commercio de 6 de dezembro de 1960, noticiando uma derrota do Náutico descaradamente facilitada para o Santa Cruz. O objetivo era escolher o adversário na final do Estadual. Para não pegar o Sport, o Náutico perdeu para o Santa Cruz por 3 a 1 com dois gols contra e depois foi campeão enfrentando os tricolores na grande decisão. Leia mais sobre esse jogo.



.
 
 
 
eXTReMe Tracker