Página inicial
 
Mural de recados
21.07 | jose arruda
Warley, obrigado pela informação atualizada sobre o Sub 20-2017. A FPF divulgou ...
21.07 | Adalgisio
Warley relembra aquela campanha do central na serie D que o time era comandado p ...
20.07 | Carlos
É verdade patativa é muita decepção, era melhor fechar as portas do que tanta hu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
21/01/2011
23h05 | esportes - PERNAMBUCANO 2011
(PERNAMBUCANO 2011) - Em jogo corrido, Náutico fica no 1x1 com a Cabense.
Náutico teve muita dificuldade para arrancar empate diante da Cabense, nos Aflitos.

 

Náutico teve muita dificuldade para arrancar empate diante da Cabense, nos Aflitos. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Do JC Online

O Náutico perdeu seus primeiros pontos num jogo de nível técnico acima da média dos que já aconteceram neste Campeonato Pernambucano. Diante da Cabense, o timbu ficou no 1x1 nos Aflitos, resultado que terminou sendo justo pelo que os visitantes jogaram no primeiro tempo e os mandantes no segundo. A partida terminou com o zagueiro Walter caindo em campo completamente extenuado, depois de um segundo tempo com dez jogadores de cada lado e nada menos que cinco minutos de acréscimo.

A Cabense iniciou o jogo provando que a vitória sobre o Sport não foi obra do acaso. O time fechou-se bem na defesa e só se arriscava nos contra-ataques. O time da casa só conseguia chegar em bolas paradas, todas sem grande perigo. Aos 12 minutos, num contra-ataque, Flávio Caça-Rato entrou na área e foi derrubado por Hélton. O árbitro marcou pênalti sem titubear.

O agravante é que Hélton tomara o amarelo menos de um minuto antes e terminou sendo expulso. Xinho foi para a cobrança e mandou a bola nas nuvens. O que poderia servir como combustível para o timbu surtiu o efeito contrário. Foi a Cabense o time a aumentar o apetite ofensivo, até aproveitando o fato de o adversário estar inferiorizado.

O que faltou aos visitantes foi dar um fim às jogadas criadas. A melhor delas terminou sendo um chute de fora da área por parte de Fernandes. A bola passou com perigo, à direita do gol de Douglas. Na primeira trama bem construída, Cláudio recebeu de Caça-Rato e chutou para fora, outra vez, raspando a trave alvirrubra.

Enquanto isso, o Náutico não teve muito como consertar a perda de um jogador. Sem tempo para treinar, os recifenses não tiveram outra alternativa a não ser recuar e tentar alguma coisa nos lançamentos para Bruno Meneghel, coisa que não aconteceu. O timbu só veio dar um susto aos 38. Eduardo Ramos bateu falta e Danilo mandou a escanteio.

Dois minutos depois, Éverton tentou cortar um lançamento de Rosivaldo e a bola bateu no mesmo Rosivaldo antes de entrar no gol. O 1x0 fez justiça ao que os dois times apresentaram, principalmente após a saída de Hélton. Ainda houve tempo para mais uma expulsão. Aos 45, Flávio Caça-Rato tomou o segundo amarelo e "ganhou" o vermelho.

Para o segundo tempo, o técnico Roberto Fernandes substituiu o volante Nílson pelo meia Flávio. Mas a função do jogador era a meia. Mais do que isso, a conversa no vestiário corrigiu o posicionamento, aliado ao fato de a Cabense ter perdido a vantagem númerica.

E o efeito foi sentido bem mais rápido que se imaginava. Aos cinco minutos, Bruno Meneghel sofreu falta perto da área. Peter foi para a cobrança e achou a cabeça de Eduardo Ramos. O goleiro Danilo deu rebote e Éverton Luiz apareceu para empurrar para o fundo do gol.

Além da reação do Náutico, o segundo tempo teve outro ingrediente: com mais espaço, a partida ganhou em velocidade e, enfim, Bruno Meneghel pôde participar mais da partida. O atacante caiu mais pelos lados e, num cruzamento, aos 14 minutos, deixou a bola na cabeça de Éverton Luiz, que cabeceou com muito perigo.

Mas quem pensava que os visitantes iriam apenas assistir o timbu jogar, enganou-se. A Cabense também criou, mas, outra vez apresentou problemas de finalização. O Náutico chegava mais perto. Aos 19, Eduardo Ramos bateu falta pela esquerda, Bruno Menehel cabeceou para a bola explodir na trave.

O equilíbrio permaneceu até o fim, igualmente à queda de rendimento de alguns jogadores. Mesmo assim, nem Náutico nem Cabense abriram mão de buscar a vitória até que fosse soado o último apito. Foram cinco minutos de acréscimo quando as faltas e passes errados já imperavam devido a uma jornada extenuante.

Ficha do jogo:

Náutico: Douglas; Peter, Walter, Everton Luiz e Jeff Silva; Everton, Nílson (Nílson), Élton e Eduardo Ramos; Bruno Meneghel (Rogério) e Ricardo Xavier (Daniel Caiçara). Técnico: Roberto Fernandes.

Cabense: Danilo; Fernandes, Joélcio, Fernando Belém e Coelho; Dinho, Xinho (Thiago Andrade), Guego e Rosivaldo (Thiago Almeida); Cláudio (Madson) e Flávio Caça-Rato. Técnico: Paulo Júnior.

Local: Aflitos. Árbitro: Ricardo Tavares. Assistentes: Jossemmar Diniz e Aldir Pereira. Gols: Rosivaldo, aos 40 do primeiro. Éverton Luiz, aos cinco do segundo. Cartões amarelos: Éverton Luiz, Dinho, Coelho, Fernando Belém e Guego. Expulsões: Hélton e Flávio Caça-Rato. Renda: R$ 48.520. Público: 9.880.


 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker