Página inicial
 
Mural de recados
26.06 | Paulo Junior
GAIA NELES. FUTEBOL É COISA SÉRIA, NÃO É BRINQUEDO NÃO. FICAM BRINCANDO COM O FU ...
26.06 | ALCINDO PM
GENTE...GENTE...GENTE...TEM QUE FECHAR AS PORTAS...NO PARANÁ A JUNÇÃO DE DUAS EQ ...
26.06 | alessandro viana
Triste a derrota. Mas é do jogo. Lógico q ninguem goata de perder. o jogo foi mu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
20/10/2015
13h07 | esportes - SÉRIE D 2015
SÉRIE D: Lajeadense x River teve bombas, gandula agredindo jogador e maqueiro fazendo ameaça

Jogadores do River-PI celebram acesso à Série C nacional: tensão em LajeadoJogadores do River-PI celebram acesso à Série C nacional: tensão em Lajeado

O duelo entre Lajeadense e River-PI, na última segunda-feira, no Estádio Alviazul, valia a classificação para as semifinais da Série D do Campeonato Brasileiro e a consequente vaga na terceira divisão nacional do ano que vem.

Por isso, dentro de campo, o clima era tenso. Fora dele, ainda pior.

O árbitro carioca Bruno Arleu de Araújo relatou seis incidentes durante o jogo, que terminou em 1 a 1 na cidade de Lajeado (RS) e fez o River avançar de fase (ganhou a ida por 3 a 0 em Teresina). Alguns deles beiram o surreal, como agressão de gandula e bombas atiradas na direção da área técnica dos visitantes.

 

O primeiro deles aconteceu já no final da primeira etapa, quando o Lajeadense vencia por 1 a 0: "Aos 45' (quarenta e cinco) minutos do 1º tempo, expulsei o gandula Marciano Maciel Bica por ter chutado o atleta de número 4 do River, sr Rafael Silva de Araújo, com o jogo paralisado para um lateral a favor do Lajeadense".

O segundo tempo foi mais prolífico em momentos de tensão.

"Aos 19' (dezenove) minutos do 2º tempo, explodiu uma bomba na área técnica da equipe do River, que fica localizada abaixo da arquibancada social da equipe do Lajeadense, não sendo identificado pela equipe de arbitragem a origem do artefato. Tendo sido solicitado ao policiamento a identificação de onde partiu a bomba, os mesmos não conseguiram informar", relatou o juiz.

Dois minutos depois, novo incidente: "Paralisei a partida e solicitei ao policiamento que apagasse sinalizadores que estavam acesos na torcida do Lajeadense".

"Aos 24, após a expulsão supracitada do atleta do Lajeadense (Marcio Goiano), foi arremessado na minha direção, um copo contendo líquido", descreveu.

Aos 35 minutos, Bruno Arleu expulsou "o maqueiro Leandro Arend por ter proferido as seguintes palavras para o atleta de número 13 da equipe do River, sr. Bruno Lopes Feitosa, que estava prestes a entrar na partida: 'sai da frente seu bosta (sic)'".

Para fechar, já nos acréscimos da etapa final, "explodiu novamente uma bomba na área técnica da equipe do River, que fica localizada abaixo da arquibancada social da equipe do Lajeadense, não sendo identificado pela equipe de arbitragem a origem do artefato. Tendo sido solicitado ao policiamento a identificação de onde partiu a bomba, os mesmos não conseguiram informar".

Em contato com o ESPN.com.br, o árbitro Bruno Arleu de Araújo disse que os incidentes não o surpreenderam. "Aqui no Rio de Janeiro eu sempre pego esses jogos mais complicados", afirmou. Questionado se temeu pela segurança, ele garantiu: "Até pelo policiamento, sem problema algum".

Antônio Strini, do ESPN.com.br


...
 
 
 
eXTReMe Tracker